Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Bolsonaro dirige ônibus elétrico entre o Alvorada e o Palácio do Planalto

Presidente da República afirma em entrevista a jornalistas que o Brasil é exemplo para o mundo na área ambiental


30/11/2021 04:00 - atualizado 30/11/2021 07:04

bolsonaro
Bolsonaro dirigiu ônibus elétrico depois de ser reunir com executivo da Marcopolo (foto: FACEBOOK/REPRODUÇÃO)

 
A secretária-geral da Organização do Tratado da Cooperação Amazônica (OTCA), Maria Alexandra Moreira, apontou que a COP-26 reconheceu que a bacia amazônica tem ponto de destaque para as decisões globais estratégicas sobre as mudanças climáticas. Ela lamentou a realidade da degradação da floresta e pediu a união dos países da região amazônica em favor da preservação ambiental.

O fato é que no Senado Federal, o Grupo Parlamentar da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica promoveu um painel, na tarde de ontem. Os debatedores apontaram avanços da COP-26, mas frisaram que os parlamentos nacionais ainda têm muito trabalho a fazer em favor da preservação ambiental e do controle das mudanças climáticas.

Vale um exemplo, quase um resumo: a secretária-geral da Organização do Tratado da Cooperação Amazônica (OTCA), Maria Alexandra Moreira, reconheceu que a bacia amazônica tem ponto de destaque para as decisões globais estratégicas sobre as mudanças climáticas.

Já por outro lado, Maria Alexandra lamentou a realidade da degradação da floresta e pediu a união dos países da região amazônica em favor da preservação ambiental. “A COP-26 não foi suficiente, mas nos levou a uma direção correta. Reconheceu o papel que tem a natureza para enfrentar as alterações climáticas”. Desta vez, quem destacou foi o ex-ministro do Meio Ambiente do Peru, Manuel Pulgar Vidal.

E tem mais aqui no Brasil. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) dirigiu um ônibus elétrico desde o Palácio da Alvorada até o Palácio do Planalto, em Brasília, ontem. Ele testou a tecnologia depois de uma reunião com representantes da fabricante Marcopolo, na qual foi apresentado ao modelo elétrico produzido pela fabricante gaúcha. Mas o melhor ainda estava por vir.

“O Brasil é um exemplo para o mundo na sua preservação ambiental, diferentemente do que se divulga pelo mundo, inclusive o Brasil tá reflorestando.” O presidente destacou que grande parte da matriz energética nacional é limpa. É preciso dar uma conferida, já que os ruralistas não dão trégua. Fica como colher de chá.

“É o Brasil reagindo com uma tecnologia verde para tentar justamente derrubar o preço do transporte público de massa”, antes quem havia declarado foi o ministro da Economia, Paulo Guedes. Ele enalteceu o ônibus 100% elétrico. E finalizou: “É o país com uma tecnologia verde, para tentar derrubar o preço do transporte de massa”.

A fiação

A senadora Kátia Abreu (PP-TO) deu parecer pela aprovação do projeto que determina critérios na sinalização de linhas aéreas de transmissão de energia. O projeto deve ser votado na Comissão de Infraestrutura (CI), hoje, às 9h. Se for aprovado, poderá ir direto a Câmara dos Deputados. O projeto foi apresentado pelo senador Telmário Mota (Pros-RR) depois do acidente que matou a cantora Marília Mendonça, em 5 de novembro. A proposta prevê que as torres devem ser pintadas em cores de forma que pilotos de aeronaves possam identificá-los como advertência.

Ficar atento

“Eles até conseguiram entrar na rede do TSE com esses ataques, mas não conseguem chegar no sistema de votação, ou seja, é um ataque importante que nós temos que encontrar mecanismo de bloquear, mas não é grave. Só consideramos grave o que tem a potencialidade de alterar o voto do eleitor”. A declaração é do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso. E foi cuidadoso: “Ainda que não tenham sido graves, são importantes e merecem atenção e estudo do TSE para fins de aprimoramento”.

Saudoso vice

“Quanto mais se ampliar uma frente com outras pessoas e outros pensamentos, mais chances de ganhar. Não é muito distante do que o próprio Lula fez quando trouxe o José Alencar, que nada tinha a ver com a esquerda, que era um grande empresário. E se tornou o vice dele.” Quem diz é o ex-governador Fernando Haddad (PT). O fato é que o também ex-governador, só que de São Paulo, Márcio França (PSB) aventou a possibilidade de Geraldo Alckmin, que está de saída do ninho tucano, isso mesmo, ele vai deixar o PSDB e pode compor chapa com o ex–presidente Lula (PT).

Novela sem fim

“Nada, absolutamente nada, obsta que sejam publicadas essas informações. Não há impossibilidade fática’ de registro de demandas, mas sim divulgar os elementos e documentos que já existem”. As aspas são de nota da Consultoria de Orçamento, Fiscalização e Controle do Senado. A posição contraria a versão dos presidentes do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Eles tinham dito que era impossível cumprir 100% a ordem da ministra do Supremo Tribunal Federal, Rosa Weber sobre a divulgação de nomes de parlamentares beneficiados por emendas. E agora a novela deve continuar.

Resultado do Enem

O presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), Danilo Dupas, informou que o resultado do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) será divulgado em 11 de fevereiro. E que os pedidos de reaplicação das provas já estão disponíveis na página do participante e vão até 3 de dezembro. Sobre a adesão ao segundo dia de provas, ele afirmou que foram registrados 70,1% de presentes. “Mesmo em pandemia, tivemos a manutenção da série histórica”. Quando questionado por jornalistas sobre a informação vazada por servidores do Inep de que o banco de questões para as próximas provas havia se esgotado, Danilo assegurou que ele está sendo renovado e que “não haverá problemas em relação a isso nos próximos anos”.

PINGA FOGO

  • A Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados concluiu pela incompatibilidade e inadequação orçamentária e financeira do projeto que tinha como endereço o Supremo Tribunal Federal, ou melhor, os servidores do Poder Judiciário da União.

  • A votação seguiu recomendação do relator, deputado Kim Kataguiri (DEM-SP). E ele comprou briga feia. Justificou que as emendas não atendem às exigências da Constituição e da legislação fiscal. O projeto será arquivado, a menos que haja recurso. É só esperar que o STF vai vencer.

  • Em tempo, sobre o texto que abre a coluna: o Grupo Parlamentar da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica foi criado em março de 2021 para dar suporte ao Parlamento Amazônico e viabilizar a integração entre as Casas parlamentares dos países ligados à Floresta Amazônica.

  • E tem mais: o colegiado também pode manter relações culturais e de intercâmbio, bem como cooperação técnica, com entidades nacionais e estrangeiras. O foco do grupo é nas questões climáticas e na preservação da região amazônica.

  • Tomara que seja mesmo uma promessa a ser cumprida. Já que até Bolsonaro não desafinou, vá lá. Bem, semana está só começando. Sendo assim, FIM!

 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade