Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

Cortes na verba da Polícia Federal são mais crimes por vir

Vamos ter operações policiais minimizadas ou suspensas, só as imprescindíveis porque não vai ter dinheiro para diária e passagem dos agentes


29/04/2021 04:00 - atualizado 29/04/2021 07:48

Restrição no Orçamento vai limitar ação da Polícia Federal, segundo alerta a associação dos delegados federais(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 26/3/21)
Restrição no Orçamento vai limitar ação da Polícia Federal, segundo alerta a associação dos delegados federais (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press - 26/3/21)
“Tem gente apavorada. Então, toma a vacina na minha frente. Eu sou chefe de Estado e tenho que dar exemplo. O meu exemplo é esse. É deixar, já que não tem vacina para todo mundo ainda, o mundo inteiro não tem vacina ainda, tome na minha frente. Sempre foi assim. Sou o último a comer no quartel.”

“Eu não estou preocupado com política. Quem decide são vocês. Mas votar num cara com um passado desses... Não tem cabimento. No BNDES, foi meio trilhão de reais. Alguns delatores devolveram bilhões de reais. O cara fez obras em várias ditaduras do mundo todo. Não é o suficiente?” Tudo isso partiu do presidente da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro.

“Discurso, muito discurso. Vamos aguardar para ver o que vai acontecer. Acho que vai ter muita discussão política nisso aí, muita gente aproveitando para reaparecer, gente que estava no limbo retorna. É aquela história, tem gente que sempre ressuscita”. Desta vez é o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB). O alvo, o relator da CPI da COVID-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL).

Chama que a polícia vem aí. “Com um corte deste tamanho, vamos ter problema para continuar prestando nosso serviço. Vamos ter operações policiais minimizadas ou suspensas, porque não vai ter dinheiro para diária e passagem dos agentes.” Desta vez é o presidente da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (PF), Edvanir Paiva.

E ele fez questão de deixar óbvio: “Não faz sentido, mesmo em épocas de crise, cortar verba de quem dá retorno para a sociedade”. Afinal, Edvanir Paiva destaca ainda que “chega a um ponto em que não vamos conseguir fazer mais operações, só as imprescindíveis”.

Já no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Luiz Fux questiona se há divergências na corte. Silêncio por pouquíssimo tempo e proclama o resultado: por unanimidade, o deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) se tornou réu, ontem, por ter defendido o AI-5, aquele da ditadura militar, de triste lembrança.

Ainda terá mais alguns capítulos, mas o último registro mostra que se fez justiça. Daniel Silveira é aquele que ficou conhecido também por aparecer em vídeo destruindo uma placa que homenageava a vereadora Marielle Franco, aquela que foi assassinada no Rio de Janeiro.

Se ele tem ainda o inquérito, entre outras pendengas, que trata das fake news, o melhor a fazer é encerrar por hoje. Afinal, na Câmara dos Deputados ele foi mantido na prisão. Foram 364 votos a favor e, quem diria, outros 130 votos de parlamentares foram contrários.

Sendo assim, basta por hoje. O corporativismo de 130 deputados deixou apenas uma irritação. FIM!

@WanmingYang

“Nesta manhã, conversei, por telefone, com o chanceler brasileiro, Sr. Carlos França. Concordamos em reforçar ainda mais a confiança política mútua em ambiente sadio e amigável, implementar os consensos entre os chanceleres e continuar nossa parceira de vacinas.” Bastaria, mas teve mais: “Até o momento, a China é o principal fornecedor das vacinas e dos insumos ao Brasil, que respondem por 95% do total recebido pelo Brasil e são suficientes para cobrir 60% dos grupos prioritários na fase emergencial. A CoronaVac representa 84% das vacinas aplicadas no Brasil. Ainda Yang Wanming.

Diplomacia

“Sem a cooperação internacional para oferta de vacinas e medicamentos e sem os acordos comerciais não há esperança de melhoria para o Brasil”. O alerta foi feito pelo deputado Aécio Neves (PSDB), ontem, na Comissão de Relações Exteriores da Câmara, que recebeu o chanceler Carlos França. Para o parlamentar, o desafio é resgatar o melhor da nossa diplomacia. “Vamos confiar que isso seja feito frente à gravidade da tragédia que enfrentamos”, finalizou Aécio.

Longe de mim

O senador Marcos Rogério (DEM) enviou requerimento de convocação do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), para que fale na CPI da COVID-19. “Pensamos que a convocação supracitada será de importância singular para que exponha sua atuação e seus conhecimentos sobre os fatos acima relacionados, o que, por si só, justifica a convocação para esta CPI, com o objetivo único de restabelecer a verdade.” Doria entende de florestas, é expert em meio ambiente? Resposta rápida: o senador afirma que o governador poderia prestar informações sobre o colapso da saúde no Amazonas e sobre as ações desenvolvidas pelo governo federal para enfrentar a pandemia.

Ele ainda é?

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, deu aula magna na Universidade Federal da Paraíba (UFPB), na segunda-feira desta semana. E foi lá que ele declarou que crianças de 9 anos não sabem ler, mas sabem colocar camisinha. Milton Ribeiro tem 62 anos, nasceu em Santos, é teólogo e advogado. Apesar de ser pastor, Ribeiro não é consenso nem mesmo na totalidade da bancada evangélica, que apoiava o reitor do inquestionável e famoso mundo afora Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), Anderson Ribeiro Correia, para a pasta.

A convocação

“Como se sabe, o maior problema, além da vacinação, é garantir leito de UTI a todos os cidadãos que necessitem, a fim de conter a mortalidade da COVID-19. A falta de leitos de UTI gera colapso no sistema de saúde, pondo milhares de vidas em risco. É inadmissível que as Forças Armadas tenham, em seus hospitais, leitos ociosos, enquanto pessoas morrem por falta de leito.” É trecho do requerimento de uma coleção de parlamentares. O fato é que o ministro da Defesa, general Walter Braga Neto, foi convocado para esclarecer por que as unidades de terapia intensiva (UTIs) estão ociosas nos hospitais das Forças Armadas e não para o combate à pandemia.

PINGA FOGO

  • Em tempo, sobre a convocação do ministro Braga Neto: ele terá até 30 dias, isso mesmo, um mês, para comparecer. Detalhe: diferentemente da modalidade convite, que pode ser recusada, a convocação tem caráter obrigatório. O general terá de comparecer. Vai?
  • Para entender a nota Longe de mim: o requerimento do parlamentar ainda precisa ser aprovado. A convocação do governador João Doria, um presidenciável, é defendida pelo presidente da República, Jair Messias Bolsonaro. É óbvio que Doria vai ficar bem longe deste palanque.
  • Já sobre o Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA): em todo o Brasil, o vestibular do ITA é reconhecido como um dos mais difíceis do país. Abrange provas de física, matemática, química e as provas são aplicadas não só em português, mas também em inglês.
  • Para encerrar, um último registro: O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello deu liminar para determinar que o governo Jair Bolsonaro adote providências para a realização do censo de 2021.
  • O fato é que o Poder Executivo, o Ministério da Economia, para ser mais claro, havia informado, na semana passada, que o censo populacional deste ano estava cancelado por falta de dinheiro, ou seja, por causa dos cortes orçamentários feitos pelo governo federal.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade