Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ANNA MARINA

Cuidados integrados de saúde podem minimizar casos de suicídios no país

No Setembro Amarelo, campanha alerta para o problema que nunca foi tão atual no Brasil, principalmente entre os jovens


15/09/2021 04:00 - atualizado 15/09/2021 07:42


O mês da campanha Setembro Amarelo, da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina, vai chegando ao fim e o problema nunca foi tão atual. E é por causa disso que a entidade alerta a sociedade sobre a necessidade de maiores cuidados integrados de saúde que possam minimizar os suicídios no Brasil, principalmente entre jovens. Apenas no Brasil, cerca de 12 mil pessoas tiram a própria vida por ano, quase 6% da população, sendo a maioria homem, negro, com idade entre 10 e 29 anos, segundo dados do Ministério da Saúde.

 - Decida Viver: projeto busca valorização da vida e combate a depressão

Mas o problema atinge também idosos e mulheres, muitos sofrendo com uma doença mental não tratada, como a depressão e o transtorno bipolar. São diversos os problemas que levam as pessoas ao entristecimento, como doenças, dificuldades financeiras, violência e abusos, solidão, em sua vida ou na de outras pessoas, e muitos ainda sentem esse vazio existencial sem ter problemas pessoais, sem um motivo aparente. Alguns relatam ser pelos problemas do mundo como um todo e outros não sabem dizer o motivo da tristeza.

"O nosso papel na psicoterapia é ajudar as pessoas a enxergarem a luz no fim do túnel. É olhar as situações como desafiadoras, mas passíveis de serem alteradas. Temos que ajudar as pessoas a perceberem que nenhum sofrimento justifica acabar com a própria vida. O Setembro Amarelo relembra as pessoas que estão sofrendo que elas não precisam ficar sozinhas e devem pedir ajuda", explica a psicóloga Patricia Lenine, da Zero Barreiras Psicoterapia Online.

A depressão é um transtorno de humor em as pessoas experimentam grande sofrimento, perda de energia, de interesse. Há sentimento de culpa, dificuldade de concentração, falta de motivação e apatia, pessimismo, baixa autoestima, medo, insegurança, desesperança, desamparo e vazio e sentimento de inutilidade. E pode durar semanas ou meses, mas seja breve ou longa, é importante pedir ajuda, pois pode trazer pensamentos de morte ou suicídio. Em alguns casos, é necessário um tratamento medicamentoso para equilibrar a atividade cerebral e a psicoterapia é uma importante ferramenta complementar no tratamento das possíveis causas e também as consequências da doença, para evitar recaídas.

"Um fator que pode manter a depressão é a pessoa recuperar de forma mais imediata memórias de experiências tristes quando está deprimida, e essas potencializam o processo depressivo. O papel da psicoterapia é quebrar esse ciclo e recuperar a saúde e o bem-estar, evitando pioras que levem ao suicídio. Mas existem fatores que podem desencadear uma crise, como a perda de um emprego ou a morte de um parente próximo. São momentos delicados na vida e todos nós precisamos de ajuda, um psicólogo poderá ajudar a que a dor da perda não se transforme numa depressão", complementa outra psicóloga Christiane Valle.

De acordo com ela, não há receita para uma vida feliz."Contudo, a psicologia positiva estuda características comuns em pessoas que ficam mais de bem com a vida. Elas vivem uma vida que consideram mais plena de sentidos, mantendo contato mais intenso com as coisas de que mais gostam: natureza, crianças, animais, amigos, familiares, livros, filmes, músicas, trabalhos voluntários. Elas evitam ruminar perdas ou diferenças e fazer comparações sociais, estabelecem metas e as celebram quando alcançam. Elas lutam para atingir as metas, deixando o medo, o pessimismo e a procrastinação de lado."

A seguir algumas dicas para uma vida mais feliz:

Cercar-se de pessoas que você ama e cultivar relacionamentos: Procurar amigos e familiares sempre que possível. O relacionamento cresce quando se está disponível para os outros, nem que seja ao menos para ouvir ou oferecer um colo.

Entender que nada é só ruim ou bom, procure olhar para o que se aprende: tudo o que se vive traz algum aprendizado. Temos sempre que olhar para a frente.
Olhe para o que possui e agradeça, pratique a gratidão: ninguém pode ter tudo o que sonha. Viver sofrendo pelo que não tem fará você perder boa parte da vida.
Perdoar e não carregar mágoas: perdoar é entender que todos erramos e aprendemos a todo momento. Muitas vezes as pessoas falam algo de forma impulsiva e se arrependem. O que falam não é o que sentem verdadeiramente. Temos que ter maturidade emocional.

–  Cuidar do corpo, fazer exercícios, meditação e esportes: é fundamental para o ser humano estar em movimento. E buscar o relaxamento com a meditação. Muitas doenças mentais são tratadas apenas com exercícios físicos constantes.

Escolha ser feliz mesmo nas situações que não são conforme havia imaginado: a dica aqui é diminuir expectativas. A simplicidade anda junto com a felicidade.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade