Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Doenças de inverno: saiba como se prevenir de infecções comuns

Vacinação é a melhor medida de prevenção e redução de complicações graves relacionadas à gripe


14/07/2021 04:00

Vacinação é a melhor medida de prevenção e redução de complicações graves relacionadas à gripe(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Vacinação é a melhor medida de prevenção e redução de complicações graves relacionadas à gripe (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
 
Milagres que acontecem: tarde dessas, uma funcionária da Drogaria Araújo telefonou gentilmente para minha casa. Estava me oferecendo vacina contra gripe, sem espera e sem preço. Agradeci muito pela oferta, mas como já tive uma triste experiência com essa vacina, dispensei. O que não aconselho, é claro, para ninguém. Como estou dentro de casa, enfrento esse novo tipo de frio, apesar de ter uma ótima lareira em casa (saudade daquelas lareiras que usei no Canadá, que não precisam de fogo). Quando me mudei, era uma dificuldade achar lenha para acender a lareira. Como depois ficou fácil, ela não pode ser acesa porque tem no seu topo um ninho de andorinha que, volta e meia, solta um pequeno passarinho na sala. Não tenho coragem de acabar com ele.

Mesmo sabendo que esse tempo frio facilita a transmissão de diversos tipos de vírus e bactérias, podendo causar doenças como gripe, pneumonia, sarampo e meningite. No contexto atual de pandemia, os cuidados devem ser redobrados. A melhor forma de prevenção é sem dúvida a vacinação. Com a chegada do inverno e das mudanças de temperaturas, algumas doenças infectocontagiosas, como gripe, pneumonia, sarampo e meningite, podem aparecer. E, em tempos de COVID-19,os cuidados de todos devem ser redobrados.

Para evitar o contágio, é preciso ficar atento e se prevenir. Segundo Lessandra Michelin, infectologista e gerente médica de vacinas da GSK, o tempo frio faz com que as pessoas fiquem mais tempo em espaços fechados, o que facilita a transmissão de diversos tipos de vírus e bactérias.

"É só esfriar um pouquinho que as pessoas fecham as janelas para se proteger, e com o ambiente fechado, o ar não circula nem se renova, favorecendo a proliferação e a propagação de quadros infecciosos. E, como muitas dessas doenças têm transmissão respiratória, como a COVID-19, é fundamental que a população, principalmente crianças e idosos, que são os mais vulneráveis, estejam imunizados. A vacinação é a principal forma de prevenção, lembrando que outros cuidados, como lavar as mãos, também são importantes para essa proteção", afirma.

Para muitos, é só o tempo esfriar um pouco que a coriza, o nariz entupido e a tosse surgem. Se for gripe, os sintomas incluem ainda febre/calafrios, dor de garganta, dores musculares, dores de cabeça e fadiga. A gripe é uma infecção viral respiratória aguda e altamente contagiosa, podendo levar a complicações graves e a óbito. A doença pode afetar indivíduos de todas as idades, sendo facilmente transmitida através da tosse, espirro e contato próximo com uma pessoa ou superfície contaminada.

No resfriado, os sintomas, apesar de parecidos e comumente confundidos com os da gripe, são mais brandos e duram menos tempo. Por causa disso, a vacinação anual é a melhor medida de prevenção, de redução de complicações graves e de redução de óbitos relacionados à gripe. Quem ainda não se imunizou contra a doença este ano, é muito importante se vacinar o mais rápido possível.

E a vacina não é importante apenas para grupos prioritários como idosos e crianças. A vacinação contra a gripe é essencial para todas as faixas etárias. As pessoas devem checar se fazem parte dos grupos de risco que podem se vacinar nos postos de saúde. Caso contrário, devem procurar, se possível, as vacinas na rede privada.

Outro lance importante é a pneumonia, doença que preocupa e pode ser provocada por bactérias, vírus ou fungos. A bactéria Streptococcus pneumoniae (ou pneumococo) é o agente causador de doenças pneumocócicas e é responsável por 60% dos casos de pneumonia. O pneumococo também pode causar otite média, sinusite e, em casos mais graves, bacteremia e meningite. Os principais sintomas são tosse constante, febre, gemidos por causa de problemas respiratórios, dificuldade para se alimentar, apatia, prostração e aumento da frequência respiratória.

Muitos não sabem, mas a ocorrência da meningite bacteriana também é mais comum no inverno. A doença é grave, evolui muito rápido e pode se manifestar em qualquer faixa etária. Um dos principais agentes que causam meningite é a bactéria Neisseria meningitidis. Ela atinge as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal e, se não for rapidamente diagnosticada, em 24 horas pode mudar o rumo da vida do paciente, evoluindo para sequelas graves e até óbito. Por isso, é preciso estar atento aos primeiros sinais e, claro, estar em dia com a vacinação contra os cinco principais sorogrupos.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade