Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ANNA MARINA

Cuidado com as varizes, que castigam 45% das mulheres no Brasil

Estudo da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular mostra que a doença atinge cerca de 38% dos adultos


30/09/2020 04:00 - atualizado 30/09/2020 07:59

(foto: Angiomais/reprodução)
(foto: Angiomais/reprodução)
 
Desde que meu primo querido – um irmão – Márcio de Castro Silva se foi, não trato dessas pequenas varizes externas que aparecem nas pernas. Na realidade, elas são melhores do que as internas, que precisam ser operadas. Mas até onde dá para saber, não existe tratamento mais atual do que pequenas aplicações de produtos para reprimir o fluxo de sangue nas veias externas. Parece que ainda não foi inventada – ou não existe por aqui – aplicação de alguma luz que acabe com essa canseira.

Estou constantemente procurando uma novidade para usar. E o problema não é exclusivo meu, pois estudo divulgado pela Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV) mostra que as varizes atingem cerca de 38% das pessoas na fase adulta. Entre as mulheres, esse índice chega a 45%. Cerca de 70% de pacientes acima de 70 anos apresentam sintomas dessa condição, caracterizada pela dilatação de vasos sanguíneos decorrente da insuficiência venosa crônica.

De acordo com o cirurgião vascular Gustavo Solano, parceiro da Sigvaris Group – empresa líder no mercado de acessórios de compressão graduada –, as varizes fazem parte de um quadro de debilitação das veias dos membros inferiores.

“Com o passar da idade, as veias das pernas deixam de cumprir seu papel de retornar o sangue para o coração. Há dilatação dos vasos sanguíneos na região e isso é preocupante, pois aumenta a chance de se formarem coágulos sanguíneos nas pernas, o que conhecemos como trombose venosa profunda, um risco à saúde”, explica Solano.

Pessoas com varizes podem apresentar inchaços, edemas (manchas esverdeadas ou roxas), cansaço e sensação de peso nas pernas. “Em alguns casos, há o surgimento de úlceras de difícil cicatrização na pele, provocadas pela inflamação das veias afetadas”, comenta.

Entre os motivos do surgimento de varizes, Solano destaca fatores genéticos, sedentarismo, obesidade e, no caso das mulheres, o período de gestação, além dos hormônios, pois quem faz terapia de reposição hormonal ou ingere medicamento que altera o sistema hormonal pode ter a integridade dos vasos sanguíneos alterada.

Apesar das diferentes técnicas para tratar as varizes, é importante estar atento à prevenção, ressalta o especialista. Gustavo Solano orienta a sempre procurar um profissional para avaliar a saúde das pernas. Abaixo, ele dá algumas dicas:

“Mantenha uma dieta saudável. É sempre bom evitar a ingestão frequente de alimentos gordurosos. Deve-se aumentar o consumo de alimentos com fibras, que auxiliam a digestão e a eliminação de toxinas do organismo.

Mantenha-se sempre hidratado. Beber água e outros líquidos, muitas vezes presentes em alimentos como frutas e legumes, ajuda a desintoxicar o organismo e manter o bom funcionamento dos órgãos.

Evite bebidas alcoólicas e o fumo. A ingestão de álcool e tabaco prejudica o bom funcionamento do organismo. No caso do fumo, o risco de desenvolver doenças cardiovasculares é muito maior, pois há o entupimento das veias.

Use meias ou canelitos de compressão graduada para prevenir e tratar varizes ou outras doenças venosas.

 Acessórios de compressão graduada promovem o fluxo sanguíneo adequado nas pernas e pés, evitando a formação de varizes e coágulos. Há várias opções no comércio que podem ser usadas no dia a dia.

Pratique exercícios, pois a atividade física é essencial para manter a saúde do corpo, fortalecendo os músculos e os vasos sanguíneos. Isso também ajuda a eliminar toxinas, evitando o entupimento das veias.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade