Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Vendas de carros novos e usados caem em outubro com parada das fábricas

As vendas de carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus totalizaram 162,4 mil unidades no mês, o que representa um tombo inesperado de 24,5%


04/11/2021 04:00 - atualizado 04/11/2021 07:22

Pátio de revenda de carros
Revendas de veículos tiveram o pior outubro dos últimos cinco anos (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press - 27/5/21)

A indústria de veículos teve o pior outubro dos cinco últimos anos. As vendas de carros de passeio, utilitários leves, caminhões e ônibus totalizaram 162,4 mil unidades no mês, o que representa um tombo inesperado de 24,5% em relação ao mesmo período de 2020 – ano, ressalve-se, marcado pelo pandemia.

O resultado fraco se deve sobretudo à paralisação de fábricas por falta de componentes como chips, mas a crise econômica também tem causado estragos no setor.

Até os negócios envolvendo usados, que vinham em bom ritmo, recuaram. Segundo a Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), 58.424 carros de segunda mão foram vendidos por dia em outubro, contra 63.823 em setembro.

O aumento da taxa Selic é um complicador: com os juros em alta, os financiamentos de automóveis inevitavelmente sobem. Como se vê, o segmento parece viver uma tempestade perfeita

Família de Kobe Bryant embolsa US$ 400 milhões com negócio da Coca-Cola
A compra da fabricante de bebidas Body Armor pela Coca-Cola fará a família de Kobe Bryant, a estrela da NBA que morreu em um acidente de helicóptero em 2020, embolsar uma fortuna. Em 2014, Bryant investiu US$ 6 milhões para adquirir 10% da empresa. Com o negócio feito pela Coca-Cola, a participação equivale agora a US$ 400 milhões – é mais do que todo o dinheiro que o jogador ganhou na liga profissional de basquete dos Estados Unidos. O valor irá para os herdeiros 
de Bryant.

Com aumento da Selic, prestação da casa própria fica mais cara
A alta da Selic afeta todos os setores econômicos – e o bolso dos consumidores. Segundo a Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), a aceleração da Selic 
tornará a prestação da casa própria mais cara. A projeção é que os juros dos empréstimos subam de 7% para 9% ao ano. “Um novo aumento vai tirar parte das pessoas do mercado”, diz Cristiane Portella, presidente da Abecip. Mesmo assim, a entidade espera um avanço de 57% no volume de empréstimos em 2021.

Rede de supermercados lança pagamento por reconhecimento facial
O varejo brasileiro é inovador. Em Minas Gerais, a rede D’Ville Supermercados, baseada em Uberlândia, passou a oferecer em uma de suas lojas físicas a opção de pagamento por reconhecimento facial – é a primeira rede do estado a implementar a inovação. A tecnologia foi desenvolvida em parceria com a Rede, empresa de meios de pagamento do Itaú Unibanco, e a startup Payface. Funciona assim: sem mostrar o cartão, o consumidor paga as compras usando apenas o rosto.

RAPIDINHAS

• A retomada do turismo aumentou a procura por seguro-viagem. A Globus Seguros, corretora com atuação nacional, observou no mês de outubro alta de 30% na contratação desse tipo de produto ante igual período de 2020. “Estimamos que nos meses de novembro, dezembro e janeiro o aumento será de 80% em relação a outubro”, diz Bruno Motta, diretor da empresa.

• A suspensão das vendas de carne bovina do Brasil para a China, que se mantém desde 4 de setembro após dois casos atípicos de vaca louca, provoca estragos no setor. Segundo a Secretaria de Comércio Exterior, as exportações brasileiras registraram em outubro o menor volume mensal desde junho de 2018.

• Uma pesquisa realizada pela Bare International, empresa americana especializada em análise de dados, mostra a importância da Black Friday para a economia brasileira. Segundo o estudo, 84% dos brasileiros planejam consumir no período. Os valores, contudo, não são altos: metade deles pretende gastar no máximo R$ 500.

• O ano de 2021 não tem sido fácil para as redes sociais. Depois da pane que no início de outubro tirou o Facebook, WhatsApp e Instagram do ar por aproximadamente seis horas, ontem houve nova instabilidade. Desta vez, apenas o Instagram apresentou oscilações no funcionamento em diversos países, inclusive no Brasil.


''A degradação do meio ambiente afeta as políticas monetárias. Vimos isso no Brasil: tivemos uma geada que afetou a produção de alimentos e muitos eventos climatológicos que mudaram as cadeias de fornecimento''

Roberto Campos Neto, presidente do Banco Central, ao admitir a urgência de se investir na chamada economia verde


R$ 22,4 bilhões

serão retirados do PIB do Brasil em 2021 e 2022 em decorrência da alta de preços da energia, segundo cálculos da Confederação Nacional da Indústria (CNI)

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade