Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas MERCADO S/A

Reação surpreende e indústria da construção mostra alta confiança

Segundo estudo da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, 40% dos consumidores pretendem comprar um imóvel nos próximos dois anos


29/10/2020 04:00 - atualizado 29/10/2020 07:27

Vendas cresceram 25% em julho, frente ao mesmo mês do ano passado, de acordo com a Abrainc(foto: Wikipedia/Reprodução - 10/9/19 )
Vendas cresceram 25% em julho, frente ao mesmo mês do ano passado, de acordo com a Abrainc (foto: Wikipedia/Reprodução - 10/9/19 )


De tijolo em tijolo

O mercado imobiliário brasileiro tem colecionado uma série de indicadores positivos. Segundo a Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), em julho, as vendas cresceram 25% em relação ao mesmo mês do ano passado – quando, ressalte-se, não havia sinais da pandemia e a confiança dos brasileiros estava em alta.

Outro estudo, desta vez da Câmara Brasileira da Indústria da Construção, constatou que 40% dos consumidores pretendem comprar um imóvel nos próximos dois anos. Não é só. Em setembro, o crédito imobiliário com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) chegou a R$ 12,9 bilhões, o que representa disparada de 70% diante de igual período de 2019.  Foi o maior avanço da história. Como não poderia deixar de ser, a confiança dos protagonistas do setor está alta. Outra pesquisa da Abrainc mostrou que 88% dos empresários acreditam no aumento das vendas nos próximos 12 meses. 

Empresa lança 
rede 5G portátil

Os embates entre empresas de diversas partes do mundo pela liderança nos projetos da rede 5G levaram a americana FreedomFi a imaginar uma alternativa que independesse das decisões do governos. E ela veio. A companhia desenvolveu um sistema que permite instalar, em smartphones ou computadores, uma rede operacional 5G. A ideia é ousada, mas cara: por enquanto, o acesso ao programa da FreedomFi custa cerca de US$ 5 mil (aproximadamente R$ 29 mil).

Caminho para a Rumo

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso aprovou, na terça-feira, a Proposta de emenda à Constituição 16/20, que autoriza o governo estadual a construir e explorar de forma direta a malha ferroviária no estado, além de participar de outros projetos de infraestrutura. Entre as diversas mudanças, a iniciativa abre caminho para o estabelecimento de projetos como a extensão da malha da companhia de logística Rumo em direção ao Norte do Mato Grosso.

Segunda onda empareda governos

A queda de 4,22% do Ibovespa ontem, a pior desde abril, lança dúvidas sobre a capacidade de as economias suportarem mais lockdowns. A segunda onda da COVID-19 chega com força à Europa e empareda os governos: se fecharem tudo, a crise econômica pode se agravar. Se as autoridades não forem rigorosas para controlar a circulação de pessoas, há o risco de o coronavírus avançar. De todo modo, cada vez mais o mundo depende da vacina para voltar à normalidade. Sem ela, o futuro será sombrio e incerto.

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press.)
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press.)

71%
foi quanto subiu o preço médio do pacote de 5kg de arroz durante a pandemia, segundo dados do Procon e Dieese. A inflação acelerada ameaça a agenda econômica do governo

(foto: Nicholas Kamm/AFP %u2013 24/6/19)
(foto: Nicholas Kamm/AFP %u2013 24/6/19)

"Em dois ou três anos, as viagens de negócios cairão pela metade? Pode ser que sim. Se antes um vendedor era visto com mais seriedade se estivesse fisicamente presente, agora, ambas as partes aceitam uma conexão digital e a consideram mais simples e eficaz"

Bill Gates, fundador da Microsoft



RAPIDINHAS

Milton Rego, presidente-executivo da Associação Brasileira do Alumínio (Abal), garante que não há falta do insumo no mercado brasileiro. “A indústria não parou de produzir na pandemia e o suprimento está normal”, diz o executivo. “Devemos fechar o ano com ligeiro aumento na produção de alumínio primário e, ao mesmo tempo, com queda ao redor de 7% no consumo doméstico.”
>>>
Segundo o executivo, o desabastecimento de produtos de alumínio na construção civil e em outros setores é pontual e se deve a duas razões: “Uma retomada econômica mais rápida do que o previsto e o desbalanceamento momentâneo dos estoques ao longo da cadeia”. Ele diz que a situação deverá ser normalizada até o fim de novembro.
>>>
O Índice de Confiança da Indústria medido pela Fundação Getulio Vargas alcançou em outubro o maior nível desde 2011. O otimismo é notado especialmente entre os exportadores, beneficiados pela valorização do dólar. Resta saber se os patamares elevados serão mantidos nos próximos meses.
>>>
O varejo começa a se preocupar com 2021. É consenso entre as empresas do setor que o bom desempenho em 2020 se deve, em boa medida, ao auxílio emergencial. Não custa lembrar: o programa de socorro já adicionou R$ 250 bilhões à economia. Se esses recursos sumirem, haverá queda abrupta do consumo.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade