Publicidade

Estado de Minas VERSÃO RANCH

Avaliação: de cara nova, Fiat Toro 2022 também ficou mais tecnológica

Modelo passou por um discreto facelift e ganhou painel central de dar inveja até mesmo às picapes médias. Porém, velhos problemas ainda não foram solucionados


15/05/2021 04:00 - atualizado 15/05/2021 09:20



A linha 2022 da Fiat Toro chegou com duas mudanças principais: um tapa leve no visual e a chegada do motor 1.3 turbo flex, mais eficiente. Testamos a versão de topo Ranch, disponível apenas com o motor 2.0 a diesel, que traz os mesmos opcionais do pacote Ultra, que se diferencia apenas pela capota rígida da caçamba, enquanto a unidade avaliada traz a boa e velha capota em lona. Outras novidades são um sistema multimídia de dar inveja e um pacote tecnológico e de monitoramento do veículo por smartphone, que são os pontos fortes da picape.
 
 
Novo visual manteve a robustez da picape de porte intermediário(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Novo visual manteve a robustez da picape de porte intermediário (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
O facelift da Fiat Toro agrada bem aos olhos. Na frente, a versão Ranch ganhou uma nova grade com moldura cromada e a logomarca em destaque, além da bandeira da Itália, detalhes que se tornaram padrão nos carros da montadora. Os para-choques ganharam ângulos mais elevados – 25 graus de entrada, 28,4 graus de saída e 20,9 graus de rampa – que ajudam no off-road. O conjunto óptico é muito eficiente, com faróis Full-LED e auxiliares com função cornering light, que iluminam cada lado durante as conversões em baixa velocidade.
 
Versão de topo Ranch tem rack de teto, estribos e santantônio(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Versão de topo Ranch tem rack de teto, estribos e santantônio (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
As laterais continuam as mesmas. No pacote testado, os retrovisores ganham capa cromada, santantônio estampando o nome do modelo, um charmoso rack de teto e estribos laterais que não ajudam muito, pois a caminhonete não tem uma altura mínima em relação ao solo muito grande, 23,6 centímetros. As rodas são de 18 polegadas, com pneus de uso misto que podem ajudar nas pequenas aventuras no fora de estrada. A traseira manteve tampa da caçamba bipartida e abertura horizontal, que não exige esforço para ser manuseada. Já a capota marítima, quando aberta, não fica devidamente acomodada por conta do santantônio.
 
Destaque do novo painel é a tela vertical de 10,1 polegadas(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Destaque do novo painel é a tela vertical de 10,1 polegadas (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

INTERIOR O interior da versão Ranch é vistoso, apesar de abusar do plástico duro, que aparenta boa qualidade. Mas, pelo preço, o acabamento poderia ser melhor. Os painéis de porta são revestidos em couro, mesmo material que reveste os bancos, com bom toque e visual. O banco do motorista tem regulagens elétricas e conta com ajuste lombar. No banco do passageiro, os ajustes são manuais. Na parte de trás, os bancos têm todos os itens de segurança para três pessoas, mas com conforto apenas para duas. Um ponto negativo do banco, por ele ser reto e revestido em couro, é que ficar parado nele pode ser um desafio, principalmente em curvas de alta velocidade.
 
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

CONECTIVIDADE A nova central multimídia com tela de 10,1 polegadas posicionada na vertical é uma plataforma de serviços conectados. De forma remota, o usuário passa a contar no seu smartphone com serviços de manutenção, segurança e emergência, navegação, assistência virtual e entretenimento, já que o veículo tem um chip de internet dedicado. O sistema também traz funções tradicionais, como navegação nativa, comandos do ar-condicionado, pareamento com smartphone e mapeamento de perfil de condutores.
 
Tampa bipartida com abertura horizontal não exige esforço(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Tampa bipartida com abertura horizontal não exige esforço (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
Outra novidade na picape é o painel de instrumentos 100% digital que proporciona uma melhor visualização das informações, com imagens e mensagens completas, sem abreviação de palavras. O equipamento oferece a visualização das informações em tela com três perfis diferentes. O recurso disponibiliza também a exibição de diversas funções, como status do veículo, alertas e instruções, ambiente de performance e ambiente de condução semiautônoma.
 
Motor 2.0 a diesel de 170cv só %u201Cacorda%u201D depois das 2.000rpm(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Motor 2.0 a diesel de 170cv só %u201Cacorda%u201D depois das 2.000rpm (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

RODANDO A Fiat Toro Ranch é equipada com um motor 2.0 turbodiesel, de 170cv de potência e 35,7kgfm de torque, que desenvolve bem. O carro é esperto e tem boas retomadas acima de 2.000 “giros”. Porém, abaixo dessas rotações falta torque e o motor demora a responder. Acoplado ao motor, o câmbio automático de 9 velocidades realiza trocas suaves. Um problema são as mudanças manuais, tanto pela alavanca de câmbio quanto pelas aletas, que demoram cerca de 2 segundos para trocar de marcha.
 
É muito tempo, principalmente em ocasiões de perigo, em que a resposta do veículo precisa ser imediata. A tração é integral sob demanda, com opções de 4x4 permanente e 4x4 reduzida. As suspensões proporcionam boa estabilidade à picape, e transferem pouco as imperfeições do solo. A toro é um veículo gostoso de dirigir, mas peca quando o assunto é estacionar. O diâmetro de giro é elevado, o que dificulta muito fazer manobras.

EQUIPAMENTOS Nos itens de série da Toro Ranch, destaque para ar-condicionado de dupla zona, chave presencial, faróis de neblina com função cornering, airbags frontais, laterais, de cortina e de joelho, controle eletrônico de tração e estabilidade, sistema multimídia com navegação nativa e partida remota do motor. O pacote também traz o Sistema Avançado de Assistência ao Condutor, que conta com frenagem autônoma de emergência, aviso e correção de mudança de faixa de rodagem e comutação automática do farol alto. O modelo testado custa R$ 185.490, muito dinheiro para uma caminhonete intermediária. Com essa motorização diesel, a Toro não tem concorrentes e “nada de braçada” no segmento.
 
FICHA TÉCNICA

» MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, 16 válvulas, 1.956cm³ de cilindrada, a diesel, turbo, que desenvolve potência máxima de 170cv a 3.750rpm e torque máximo de 35,7kgfm a 1.750rpm

» TRANSMISSÃO
Tração integral sob demanda, com opção de tração 4x4 e reduzida; câmbio automático de nove marchas e opção de trocas manuais por aletas ou na própria alavanca

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, tipo McPherson, com braços oscilantes fixados ao subchassi e barra estabilizadora; e traseira independente, tipo multilink, com barra estabilizadora/ 6,5 x 18 polegadas (liga leve) / 225/60 R18

» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

» FREIOS
A discos ventilados na frente e tambores na traseira, com ABS

» CAPACIDADES
Tanque, 60 litros; capacidade de carga (passageiro e carga), 1.000 quilos

» PESO
1.918 quilos

» DIMENSÕES (AxBxCxDxE)*
4,94 x 1,84 x 1,73 x 2,99 x 0,23 (em metros)

» DESEMPENHO
Velocidade máxima, 189km/h; aceleração até 100km/h, 
12,4 segundos

» CONSUMO
Cidade, 10km/l; estrada, 12,5km/l

(*) A: comprimento; B: largura; C: altura; D: entre-eixos; e E: distância mínima do solo

» EQUIPAMENTOS

» DE SÉRIE
Frenagem autônoma de emergência; aviso de saída de pista; comutação automática do farol alto; controle de tração e estabilidade; airbags frontais, laterais, de cortina e de joelho; apoio de braço frontal; ar-condicionado digital de dupla zona; banco do motorista com regulagens elétricas; bancos revestidos em couro marrom; barra de proteção para o vidro traseiro; barras longitudinais no teto; capota marítima; central multimídia com tela tátil de 10 polegadas, navegação nativa e sistema de conectividade veicular; computador de bordo; câmera de ré; faróis Full-LED; faróis de neblina em LED; assistente de partida em rampa; controle de descida; chave presencial com partida remota; sensores de chuva e crepuscular; retrovisor interno eletrocrômico; luzes de rodagem diurna; retrovisores com comandos elétricos e tilt-down; sensores de estacionamento dianteiro e traseiro; carregador do celular por indução; e sensor de pressão dos pneus.

» OPCIONAIS
Não há.

» Quanto custa?

A Fiat Toro Ranch 2.0 turbodiesel AT9 4x4 chega à linha 2022 com preço sugerido de R$ 185.490. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade