Publicidade

Estado de Minas AVALIAÇÃO

Testamos o Jeep Renegade Moab, versão mais em conta com motor a diesel

Trata-se do único SUV compacto com propulsor a diesel no Brasil, mas com preço igual ao de um Jeep Compass flex ou superior aos concorrentes bicombustível


06/03/2021 04:00 - atualizado 05/03/2021 23:10

(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
 
Há quem diga que um bom jipe tem de ter obrigatoriamente motor a diesel, com força suficiente para enfrentar as tranqueiras do fora de estrada. O problema é que, geralmente, os modelos equipados com esse tipo de motorização são bem mais caros. Pensando nisso, a Jeep lançou o Renegade Moab, versão mais em conta do SUV compacto equipada com motor a diesel. Trata-se do mesmo conjunto mecânico que equipa as versões de topo, mas com um pacote de equipamentos mais reduzido. Quando comparado com um Compass de mesmo valor ou as versões de topo do VW T-Cross e Chevrolet Tracker, todos com motor flex, o Renegade Moab pode convencer pela boa relação custo/benefício. Confira o teste.
 
A versão tem rodas de liga leve escurecidas, de 17 polegadas, e rack de teto preto(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
A versão tem rodas de liga leve escurecidas, de 17 polegadas, e rack de teto preto (foto: Jorge Lopes/D.A Press)
 
 
Não há como negar que o Jeep Renegade é um modelo de sucesso. Perdeu a liderança do segmento de SUVs compactos no ano passado para o VW T-Cross, mas já recuperou a primeira posição nos dois primeiros meses deste ano, com 12.925 unidades emplacadas, contra 10.764 do concorrente da marca alemã. Mas o Renegade tem um problema. O modelo tem quatro versões equipadas com o motor 1.8 16V, com preços que variam de R$ 84.590 a R$ 128.490. Só que esse propulsor não agrada pelo desempenho (tem 139cv de potência máxima) e muito menos pelo consumo, que é bem elevado. Por isso, será substituído em breve por novo motor turbo.
 
O SUV compacto conta com um gancho para reboque na traseira e dois na frente(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
O SUV compacto conta com um gancho para reboque na traseira e dois na frente (foto: Jorge Lopes/D.A Press)
 
 
Enquanto isso não acontece, a Jeep resolveu lançar a versão Moab equipada com o motor 2.0 a diesel, que atualmente está com preço sugerido de R$ 150.390. A ideia foi disponibilizar uma versão mais em conta com essa motorização, para se aproximar das versões de topo de linha do VW T-Cross e o Chevrolet Tracker, seus principais concorrentes. A diferença de preço ainda é considerável, mas para quem tem muita vontade de ter um jipinho com motor a diesel, o Renegade Moab chegou para fazer muita gente repensar a compra.
 
No painel, predomina o plástico duro e a tela multimídia é de sete polegadas(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
No painel, predomina o plástico duro e a tela multimídia é de sete polegadas (foto: Jorge Lopes/D.A Press)
 

DETALHES O Renegade é um dos modelos da Jeep que realmente têm cara de jipe, assim como o Wrangler. E na versão Moab, o SUV compacto ganhou um visual diferenciado, com o nome estampado em adesivos nos para-lamas dianteiros e em um badge na traseira. Traz ainda a grade escurecida, faróis de neblina, dois ganchos de reboque na frente e um na traseira, rack de teto pintado de preto, assim como os retrovisores e as maçanetas das portas. As rodas de liga leve são de 17 polegadas, com desenho diferenciado, pintadas em preto e calçadas com pneus de uso misto. São os detalhes que identificam a versão Moab, nome que faz referência a um deserto no estado norte-americano de Utah, onde entusiastas de veículos off road se encontram.
 
Com 320 litros de capacidade, o porta-malas é apenas razoável(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
Com 320 litros de capacidade, o porta-malas é apenas razoável (foto: Jorge Lopes/D.A Press)
 
 
Por dentro, a versão tem o mesmo acabamento das outras, com muito plástico duro, de boa qualidade, e detalhes imitando alumínio. Os bancos são revestidos em tecido, nas cores cinza escuro e preto, enquanto o revestimento interno do teto é em cinza claro. O volante tem ajuste de altura e distância, revestido com material emborrachado, e traz os comandos do sistema de som, celular, computador de bordo e controlador de velocidade.
 
Além do motor 2.0 turbodiesel, o Moab tem câmbio automático de nove marchas(foto: Jorge Lopes/D.A Press)
Além do motor 2.0 turbodiesel, o Moab tem câmbio automático de nove marchas (foto: Jorge Lopes/D.A Press)
 

CONECTIVIDADE O modelo é equipado com sistema multimídia com tela tátil de sete polegadas, conectividade com smartphones pelo Android Auto e Apple CarPlay, que permite usar aplicativos como Waze e Spotify, mas com uso de cabo. Não tem navegação nativa. O modelo tem comandos de áudio e telefonia no volante. As mídias disponíveis são uma entrada USB no console central e outra para os passageiros do banco traseiro, além de uma terceira auxiliar e Bluetooth (com streaming). O motorista conta ainda com câmera de ré com linhas dinâmicas, que ajudam muito nas manobras de estacionamento.

ESPAÇO O espaço interno do Renegade é razoável. Os bancos dianteiros com abas laterais e ajustes manuais são confortáveis, e o do passageiro tem um compartimento sob o assento para guardar pequenos objetos. No banco traseiro, o túnel do assoalho é até baixo, mas o console invade um pouco o espaço e o assento é curto, não apoiando bem as pernas. E o encosto fica a praticamente 90 graus, causando desconforto em viagens longas. Apesar de ter espaço ideal apenas para dois passageiros, o banco traseiro tem todos os itens de segurança para três pessoas, além de Isofix e Top Tether para fixação de cadeiras infantis. O porta-malas não é dos maiores do segmento, mas tem espaço razoável.

DESEMPENHO O principal destaque da versão Moab é sem dúvida o conjunto mecânico. O conhecido motor 2.0 turbodiesel despeja torque e potência ao menor estímulo. O propulsor garante muita força nas arrancadas, além de segurança nas retomadas de velocidade, e atua de forma inteligente com o câmbio automático de nove velocidades, que proporciona trocas suaves, sem trancos. Fazem falta as aletas para as trocas de marcha atrás do volante. Com esse conjunto, imprimindo uma condução mais moderada, o computador de bordo do Renegade Moab registrou consumo médio de 9km/l.
 
Para o fora de estrada, a versão conta com sistema 4x4 com comando eletrônico, trazendo as opções 4WD Low e 4WD Lock, com reduzida, além de auxílio de descida em rampa. O motorista conta ainda com o seletor de modos de condução, que traz as opções auto, neve, areia, lama e pedras, além dos controles de tração e estabilidade.  Com toda essa parafernália eletrônica, o Renegade Moab vai bem no off road mais leve, transpondo riachos e pisos escorregadios sem apertos. Superou trilhas de média dificuldade, mostrando que tem boa altura em relação ao solo. Mas com pneus de uso misto, não é recomendado para encarar trilhas mais radicais.
 
O jipinho tem direção com assistência elétrica, mas o diâmetro de giro não ajuda muito nas situações de manobras em espaços mais apertados. As suspensões foram bem calibradas e proporcionam boa estabilidade, com pouca inclinação da carroceria em curvas, e ainda filtra bem as irregularidades do solo. O sistema de freios conta com discos nas quatro rodas e ABS com distribuição eletrônica de frenagem (EBD).

CONCORRENTES A versão Moab tem um bom pacote de itens de série e com o motor a diesel se torna uma opção interessante. Mas com o mesmo valor, o cliente pode optar também por um Jeep Compass Longitude, de segmento superior, porém equipado com motor 2.0 flex de 166cv, vendido por R$ 150.990. Já o VW T-Cross 250 TSI Highline, com motor flex de 150cv, tem preço sugerido de R$ 134.050, e vem equipado com quatro airbags, hill hold, monitoramento de pressão dos pneus, Post Colision Brake, bloqueio do diferencial, controles de tração e estabilidade detector de fadiga, volante multifuncional, paddle shift e multimídia VW Play com tela de 10,1 polegadas.
 
Já o Chevrolet Tracker Premier 1.2 turbo, com potência máxima de 133cv e câmbio automático de seis velocidades, tem preço de R$ 126.830, e traz entre os principais equipamentos seis airbags, alerta de colisão frontal, alerta de ponto cego, controle de estabilidade, faróis em LED, frenagem automática de emergência, monitoramento da pressão dos pneus, rodas de liga leve de 17 polegadas, assistente de partida em aclive, câmera de ré, carregador de celular wireless, Easy Park, sensores de chuva e estacionamento, teto solar elétrico, multimídia MyLink e Wi-Fi nativo.
 
FICHA TÉCNICA

» MOTOR (*)
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em 
linha, 16 válvulas, 1.956cm³ de cilindrada, turbodiesel, que desenvolve 170cv a 3.750rpm e torque máximo de 
35,7kgfm a 1.750rpm

» TRANSMISSÃO (*)
Tração 4x4 com reduzida e câmbio automático de nove marchas

» SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS (*)
Dianteira do tipo McPherson, com rodas independentes, braços oscilantes inferiores transversais com geometria triangular e barra estabilizadora; traseira, com rodas independentes, links transversais/laterais e barra estabilizadora / 7 x 17, de liga leve/ 215/60 R17 de uso misto

» DIREÇÃO (*)
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

» FREIOS (*)
A discos ventilados na dianteira e sólidos na traseira, com ABS e ESC

» CAPACIDADES (*)
Do tanque, 60 litros; porta-malas, 320 litros; e de carga útil (passageiros mais bagagem), 400 quilos

» PESO (*)
1.627 quilos

» DIMENSÕES (*)
Comprimento, 4,23m; largura, 1,80m; altura, 1,72m; distância entre-eixos, 2,57m; altura livre do solo, 21,6cm

» ÂNGULOS DE ATAQUE/SAÍDA/RAMPA (*)
30 graus/33 graus/22 GRAUS

» DESEMPENHO (*)
Velocidade máxima, 190km/h; 0 a 100km/h em 9,9s

» CONSUMO (**)
Na cidade, 10,1km/l; na estrada, 12,5km/l

(*) Dados dos fabricantes
(**) Dados do Inmetro

» EQUIPAMENTOS

» DE SÉRIE – Freios ABS, air bags dianteiros, ajuste do volante em altura e distância, alertas de limite de velocidade e manutenção programada, ar-condicionado dual zone, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido 60/40 e rebatível, chave canivete com telecomando, comandos do sistema de áudio e Bluetooth no volante, computador de bordo, controle de estabilidade para trailer (quando com engate Mopar), controle eletrônico anticapotamento, câmera de ré com linhas dinâmicas, entrada USB para os ocupantes do banco traseiro, controle eletrônico de estabilidade (ESC), freio de estacionamento eletrônico, Isofix para fixação de cadeira infantil, controle eletrônico de velocidade em descidas (HDC), hill start control, limitador de velocidade, luzes diurnas (DRL), Panic Break Assist, piloto automático, quadro de instrumentos 3,5 polegadas, rack do teto, revestimento dos bancos em tecido, rodas de liga leve aro 17 polegadas e pneus 215/60 de uso misto, retrovisores elétricos, rádio integrado ao painel com RDS e porta USB, seletor para quatro tipos de terreno (Select-Terrain), sistema de áudio com tela tátil de sete polegadas, Apple Carplay e Android Auto, comando de voz, sensor de estacionamento traseiro, controle de tração (TC), travamento automático das portas a 20km/h, tomada 12V e vidros elétricos nas quatro portas com one touch.

» OPCIONAL
Pintura sólida (R$ 780) e metálica (R$ 1.700)

» QUANTO CUSTA
O Jeep Renegade Moab 2.0 turbodiesel tem preço sugerido de R$ 150.390. Com a pintura sólida na cor branco ambiente vai para R$ 151.170.

n NOTAS

Desempenho 9
Espaço interno 8
Porta-malas 7
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 8
Segurança 8
Estilo 9
Consumo 8
Tecnologia 8
Acabamento 8
Custo/benefício 8 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade