Publicidade

Estado de Minas AVALIAÇÃO

Testamos o Chevrolet Spin Premier 1.8 AT6: versátil, mas com preço salgado

Trata-se do modelo de sete lugares mais acessível do mercado brasileiro, mas que nem por isso é barato. Projeto já sente a idade


05/12/2020 04:00 - atualizado 05/12/2020 00:31

(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)


Se com a extinção das peruas compactas a escolha natural para quem precisa de um veículo que alie bom espaço interno e porta-malas mora no segmento dos SUVs (ainda que nem todos entreguem essas características), as opções são bem menores para quem precisa de um veículo com sete lugares. Destinada a esse usuário, testamos a Chevrolet Spin 1.8 Premier, vendida a partir de R$ 97.290. Apesar de estar longe de ser barata, a minivan é a opção mais acessível a oferecer a terceira fileira de bancos.
 
O estilo da minivan não é seu ponto forte, já que não tem linhas ousadas(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
O estilo da minivan não é seu ponto forte, já que não tem linhas ousadas (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
Mas, para começo de conversa, é preciso deixar claro que, diferentemente da versão de cinco passageiros, a Spin de sete lugares não é um carro espaçoso, mas versátil. São os diferentes arranjos dos bancos traseiros que vão melhorar ou piorar o espaço para passageiros ou bagagem, e sempre abrindo mão de um para beneficiar outro aspecto. Para obter uma segunda fileira realmente espaçosa, é preciso que a terceira não esteja em uso, o que torna possível ajustar a fileira em distância para trás. Mas, quando a terceira fileira está em uso, a segunda precisa ser ajustada para a frente, obrigando também os passageiros da frente a conter a sua folga. Nessa situação, o espaço para as pernas é restrito e só não é pior porque o assento é alto em relação ao assoalho, o que traz certo conforto. Já o passageiro central, apesar do assoalho quase plano, não encontra bom espaço para os pés.
 
Acabamento é simples, com materiais de boa qualidade, e multimídia é MyLink(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Acabamento é simples, com materiais de boa qualidade, e multimídia é MyLink (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
A terceira fileira de bancos também está longe de oferecer conforto. Além do acesso ruim, os assentos são muito baixos em relação ao assoalho. Ali não tem muito espaço para as pernas e passageiros medianos também encostam a cabeça no teto, motivos que tornam a terceira fileira ideal para crianças. Outras falhas nas fileiras de trás são as ausências de saídas de ar-condicionado, tomadas USB e até iluminação (existe apenas uma lampada entre as fileiras, que atende também ao porta-malas.
 
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

A BORDO Outras características deixam a desejar em um veículo com a proposta da Spin, como os porta-trecos das portas, muito rasos, e o porta-luvas pequeno. Para o motorista, o volante tem regulagem apenas em altura, a telinha do quadro de instrumentos não tem velocímetro digital e o comando da regulagem dos retrovisores fica mal posicionado, próximo à coluna A. Ao menos a maioria dos comandos internos são iluminados, facilitando o manuseio durante a noite. O acabamento é simples, com amplo uso de plástico de qualidade. Além dos bancos, os painéis de porta trazem aplique em couro marrom.
 
Com a segunda e terceira fileiras rebatidas forma-se amplo espaço para carga(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
Com a segunda e terceira fileiras rebatidas forma-se amplo espaço para carga (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
Apesar do preço salgado, o Chevrolet Spin Premier ainda não recebeu a nova geração do MyLink, que traz conexão com a internet por wi-fi. O sistema multimídia que equipa o modelo traz tela tátil de sete polegadas. O destaque é o espelhamento do smartphone pelo Android Auto ou Apple CarPlay, que permite usar os aplicativos do celular na tela do veículo. As mídias disponíveis são rádio, Bluetooth, entradas USB e auxiliar. A função de telefonia permite fazer e receber ligações mantendo as mãos no volante. Mas a central oferece o sistema OnStar, serviço pago de conveniência, segurança e emergência.
 
As rodas de liga leve de 16 polegadas são calçadas com pneus de perfil 60(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
As rodas de liga leve de 16 polegadas são calçadas com pneus de perfil 60 (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 
 
PORTA-MALAS Da mesma forma que as fileiras de bancos, o espaço do porta-malas também muda de acordo com a configuração os bancos. Por exemplo, se a segunda fileira estiver ajustada para trás, não é possível rebater a terceira fileira por completo, e isso compromete bastante o espaço do compartimento de bagagem. Para aproveitá-lo ao máximo, é preciso que a segunda fileira seja ajustada para a frente. E o volume de 553 litros do porta-malas nessa condição pode não impressionar muito, mas a Spin oferece muito espaço a ser preenchido a partir da linha dos vidros.
 
Naturalmente, quando a terceira fileira está em uso, só restam 162 litros para o porta-malas. Ainda fica faltando no compartimento de bagagem o bagagito, para esconder os objetos guardados ali da cobiça alheia. Também é preciso ter cuidado com as quinas da tampa quando está aberta, que formam uma ponta que está na altura da cabeça das pessoas.
 
O velhor motor 1.8 ainda usa o tanquinho de partida a frio e tem consumo alto(foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
O velhor motor 1.8 ainda usa o tanquinho de partida a frio e tem consumo alto (foto: Jorge Lopes/EM/D.A Press)
 

RODANDO Os números de potência e torque do velho motor 1.8, que ainda usa tanquinho de partida a frio, não impressionam. O propulsor fornece bom torque em baixas rotações, tornando o veículo agradável de ser dirigido na cidade, mas na estrada o desempenho é apenas ok. Para fazer retomadas e ultrapassagens com o veículo de 1,3 tonelada é preciso paciência, o que piora à medida que você o enche com pessoas e bagagem. E a coisa poderia ser ainda pior se o câmbio automático de seis marchas não fosse ligeiro para identificar a necessidade de reduzir para não perder o pique.
 
Mesmo procurando deixar o motor com rotações baixas sempre que possível, o alto consumo de combustível é o maior vilão do Spin. Mas a transmissão deixa a desejar por não perceber a necessidade de fazer a função de freio-motor, obrigando o motorista a optar pelo modo manual e descer marchas pelo botão na alavanca. Não é a proposta da Spin, mas é bom registrar que o veículo não gosta nem um pouco de uma direção mais agressiva, comportando-se de maneira desequilibrada, não transmitindo confiança para o motorista, o que talvez nem seja culpa da suspensão, mas do projeto mesmo.

CONCORRENTES Mesmo nesta versão de topo, o modelo não se destaca pelo conteúdo. Talvez seu ponto alto seja o controle de tração e estabilidade. O câmbio automático soma R$ 4.400 ao preço sugerido, fazendo com que o veículo ultrapasse a barreira dos R$ 100 mil. Seu principal concorrente é o Fiat Doblò, vendido em versão única 1.8 Essence de sete lugares (R$ 100.590), com câmbio manual, que também não se destaca em conteúdo. Ambos os modelos só podem se dar ao luxo de oferecer tão pouco em contrapartida a um preço tão alto por falta de concorrência. Apesar de bastante salgado, os próximos modelos que oferecem sete lugares são o Lifan X80 (R$ 132.777) e o JAC T80 (R$ 149.990), que são SUVs médios de marcas que ainda precisam se estabelecer de forma mais sólida no Brasil.
 
 
z FICHA TÉCNICA

» MOTOR
Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha, oito válvulas, 1.796cm³ de cilindrada, que desenvolve potências máximas de 106cv (gasolina) e de 111cv (etanol) a 5.200rpm e torques máximos de 16,8kgfm (gasolina) 
a 2.500rpm e de 17,7kgfm (etanol) 
a 2.600rpm

» TRANSMISSÃO
Tração dianteira, com câmbio automático de seis velocidades

» DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica progressiva

» FREIOS
A discos ventilados na dianteira e a tambores na traseira, com ABS

» SUSPENSÕES/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora ligada à haste tensora; e traseira, semi-independente, com eixo de torção e barra estabilizadora/6,5 x 15 polegadas, de liga leve/205/60 R16

» CAPACIDADES
Do tanque, 53 litros; e de carga (ocupantes e bagagem), 518 quilos; porta-malas, 162 litros (com a terceira fileira em uso) e 553 litros (com a terceira fileira recolhida)

» DIMENSÕES
Comprimento, 4,41m; largura, 1,73m; altura, 1,60m; e distância entre-eixos, 2,62m; altura em relação ao solo, 13,6cm

» PESO
1.282 quilos

» DESEMPENHO
Velocidade máxima 168km/h (e);
aceleração até 100km/h em 11,3s (e)

» CONSUMO (*)
Cidade: 10,2km/l (g)/7,1km/l (e)
Estrada: 12,4km/l (g)/8,7km/l (e)

Dados dos fabricantes
(*) Dados do Inmetro
(g): gasolina e (e): etanol


» EQUIPAMENTOS
Airbags frontais; controle eletrônico de estabilidade e tração; assistente de partida em aclive; alarme; luz de posição em LED; lanterna de neblina; regulagem de altura dos faróis; faróis e lanterna de neblina; freios com ABS e distribuição de frenagem (EBD); Isofix e Top Tether; retrovisores com ajustes elétricos; rack de teto; ar-condicionado; volante com regulagem em altura; computador de bordo; controlador de velocidade de cruzeiro e de limite de velocidade; desembaçador, limpador e lavador do vidro traseiro; acendimento automático dos faróis; sensor de chuva; câmera de ré; sensor de estacionamento traseiro; trava elétrica das portas com acionamento na chave; vidro elétrico nas portas; banco do motorista com regulagem de altura; banco da segunda fileira bipartido e rebatível; banco da terceira fileira rebatível; bancos com revestimento em couro; sistema multimídia MyLink; antena no teto.

» OPCIONAIS
Pintura metálica (R$ 1.600)

» Quanto custa?
O Chevrolet Spin Premier 1.8 AT6 tem preço sugerido de R$ 101.690, um adicional de R$ 4.400 em relação à mesma versão equipada com câmbio manual. Com o opcional descrito, a unidade testada custa R$ 103.290.


» NOTAS

Desempenho 7
Espaço interno 8
Porta-malas 8
Suspensão/direção 8
Conforto/ergonomia 8
Itens de série/opcionais 6
Segurança 7
Estilo 7
Consumo 7
Tecnologia 7
Acabamento 8
Custo/benefício 7

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade