Publicidade

Estado de Minas DUAS RODAS - HONDA CB 500X

Mais pé no chão

Aventureira ganhou suspensões de maior curso, roda dianteira com aro de 19 polegadas, iluminação Full-LED, novo painel, para-brisa e também mais força em baixas rotações


postado em 22/02/2020 04:00

Téo Mascarenhas*
De Campos do Jordão (SP)
 
A suspensão traseira, tipo mono, tem 135mm e regulagens na pré-carga(foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
A suspensão traseira, tipo mono, tem 135mm e regulagens na pré-carga (foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
 

A nova geração da aventureira Honda CB 500X desembarca no Brasil agregando modernizações e um caráter mais fora de estrada em relação ao modelo anterior, com preço sugerido de R$ 28.900. Além disso, o compartilhamento de vários componentes e sistemas – como quadro, motor e rodas – com a irmã naked CB 500F ficou menor. O modelo adotou suspensões com cursos mais longos, roda dianteira maior, de 19 polegadas (contra as de 17 do modelo anterior), para-brisa mais alto, nova carenagem, tanque maior e quadro com modificações no ângulo do canote.
 
O motor de dois cilindros entrega 50,4cv de potência e 4,55kgfm de torque(foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
O motor de dois cilindros entrega 50,4cv de potência e 4,55kgfm de torque (foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
O indicador de marcha engatada e a iluminação Full-LED permanecem comuns aos dois modelos. A sigla CB significa Citzen Band (faixa do cidadão, em tradução livre) e ganhou fama mundial com o modelo CB 750 Four, apelidada no Brasil de Sete Galo, lançada há mais de 50 anos, em 1969. Posteriormente o modelo foi eleito a moto do século. Seria uma família de motos para o transporte e lazer do cidadão, mas com o tempo a linha foi ganhando variáveis, agregando novos segmentos.

TERRA A letra “X” incorporada ao nome indica a vocação aventureira (Extra, ou Extreme), que, até então, tinha menor participação, apesar do visual trail. O modelo 2020 corrige a denominação, ganhando maior aptidão para encarar terra e também o rali diário das nossas ruas. A suspensão dianteira não invertida, com tubos de 41mm de diâmetro, que tinha curso de 140mm, passou para 150mm. A suspensão traseira, tipo mono, com cinco regulagens na pré-carga da mola, que anteriormente tinha 118mm, foi majorada para 135mm de curso.
 
O painel estilo blackout tem indicador de marcha e shift light(foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
O painel estilo blackout tem indicador de marcha e shift light (foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
Os novos pneus de uso misto (60% asfalto e 40% terra), com medida de 110/80 na dianteira e 160/60 na traseira, somados às suspensões de maior curso possibilitam uma melhor performance no fora de estrada, embora as rodas sejam de liga leve e o banco em dois níveis, o que dificulta a movimentação. Por outro lado, o encaixe do banco, que fica a 834mm de altura, com o tanque (de 17,7 litros) ficou mais estreito, facilitando o apoio dos pés na hora de parar, aumentando também o conforto na porção voltada para asfalto do modelo.
 
A iluminação é 100% em LED(foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)
A iluminação é 100% em LED (foto: Caio Mattos/Honda/Divulgação)

VENTO As modificações na ergonomia passam por um novo guidão cônico mais alto e plano, além do novo para-brisa, com maior área, para proporcionar mais conforto aerodinâmico em velocidades elevadas. A posição do guidão e das pedaleiras também permite rodar em pé, no fora de estrada. O painel, com fundo preto (blackout) ganhou indicador de marcha e shift light para permitir uma melhor leitura e aproveitamento da potência e do torque. Outra mudança estética foi na carenagem, com novas aletas laterais.
 
O motor com dois cilindros em linha e 471cm³ de cilindrada (compartilhado com a CB 500F) manteve a potência de 50,4cv a 8.500rpm e o pico de torque de 4,55kgfm a 6.500rpm. Porém, um novo comando de válvulas, novos dutos de admissão e escape deixaram a curva de torque 4% mais plana, com mais força em baixas e médias rotações (acima de 3.000rpm), permitindo retomadas mais vigorosas e melhor desempenho no asfalto e na terra. Os freios se mostraram precisos e confiáveis, com discos de 310mm na dianteira e 240mm na traseira.

* Viajou a convite da Honda
 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade