Publicidade

Estado de Minas FIM DE LINHA

Fiat confirma o fim da produção da perua Palio Weekend

Conforme foi antecipado pelo VRUM em dezembro, a perua Palio Weekend deixou a linha de montagem da fábrica de Betim hoje, totalizando mais de 530 mil unidades vendidas no Brasil


postado em 01/02/2020 04:00

A Palio Weekend ganha o sistema Locker, com bloqueio do diferencial(foto: Fiat/divulgação)
A Palio Weekend ganha o sistema Locker, com bloqueio do diferencial (foto: Fiat/divulgação)

 
E lá se vai ela, a última representante do segmento de peruas compactas do mercado brasileiro. Depois de amargar números baixos de vendas nos últimos meses de 2019, a perua Palio Weekend finalmente teve a sua “morte” anunciada pela Fiat. A última unidade da station wagon deixou a linha de montagem após 23 anos de produção no Polo Automotivo da Fiat, em Betim. De acordo com o fabricante, foram mais de 530 mil unidades do modelo, em suas diferentes versões comercializadas no país.
 
As peruas são mais uma vítima da ação avassaladora dos SUVs, que tomaram espaço também dos sedãs e até dos hatches. No Brasil, onde elas já tiveram seu lugar de destaque, com alguns modelos disponíveis, as station wagon foram definhando e perdendo espaço para outros modelos, já que o perfil das famílias também mudou. Os únicos modelos que vinham resistindo à extinção eram a Volkswagen Space Fox a Fiat Palio Weekend. A primeira a entregar os pontos foi a Space Fox, que em outubro de 2019 deixou a linha de produção da fábrica da VW em Pacheco, na Argentina, onde era fabricada desde 2006.
 
Funcionários da fábrica em Betim posam ao lado do modelo que fez história, a perua Weekend(foto: Fiat/divulgação)
Funcionários da fábrica em Betim posam ao lado do modelo que fez história, a perua Weekend (foto: Fiat/divulgação)
E não tardou para a Palio Weekend dar sinais de que seguiria o mesmo caminho. Em outubro de 2019, a Fenabrave havia registrado 513 emplacamentos da perua da Fiat, mas no mês seguinte ficou claro que a perua estava com os dias contados, pois foram vendidas apenas 81 unidades do modelo. A Fiat negou seu fim, quando na verdade já estava preparando o velório para depois anunciar o enterro.
E esse anúncio oficial finalmente foi dado esta semana, quando a montadora divulgou: “Missão cumprida para a Weekend, que se despede do mercado nacional”. A fabricante afirmou que a station wagon se destacou por “muitas inovações que marcaram o setor automotivo nacional, como a criação de um segmento de mercado com a linha Adventure, o sistema Locker (primeiro veículo 4x2 com bloqueio do diferencial) e uma versão 100% elétrica”.
 
O primeiro modelo foi lançado em 1997 e logo passou a liderar o segmento de peruas(foto: Fiat/divulgação)
O primeiro modelo foi lançado em 1997 e logo passou a liderar o segmento de peruas (foto: Fiat/divulgação)
Realmente, a perua da Fiat foi um modelo de sucesso no mercado brasileiro, procurado principalmente por pessoas que queriam um carro familiar. Tinha porta-malas com 460 litros de capacidade, um dos maiores do segmento, mas perdia para alguns sedãs compactos, que passavam da casa dos 500 litros. A versão Adventure, com suspensão elevada e estilo aventureiro, foi um verdadeiro achado, pois ajudou a impulsionar as vendas do modelo.

HISTÓRICO A Weekend foi lançada no início de 1997, derivada do hatch compacto Palio. A diferença técnica entre os dois é que a perua tinha suspensão traseira com braços arrastados, para proporcionar maior conforto e melhor estabilidade em curvas. Além disso, a distância entre-eixos também era seis centímetros maior na perua. O modelo começou a ser vendido em três versões e quatro meses depois já assumia a liderança do segmento.
 
Em 1999, foi lançada a versão Adventure da Weekend, com proposta aventureira. O sucesso foi tão grande que a versão passou a ser oferecida também no Idea, no Doblò e na Strada. Mas, no mesmo ano, a perua ganhou uma versão que certamente a Fiat prefere esquecer que existiu. Era a Weekend com motor 1.0 de 61cv e 8,1kgfm de torque, associado ao câmbio manual de seis marchas. A ideia não deu muito certo, pois o câmbio tinha a primeira e a segunda marchas muito curtas e as demais mais longas, obrigando o motorista a fazer constantes mudanças.
 
Em 2001, veio a primeira reestilização, assinada pelo estilista italiano Giorgetto Giugiaro. E foi ele mesmo que em 2004 promoveu outra alteração de estilo na perua, que ganhou lanternas traseiras maiores, de gosto questionável. Em 2008, outra reestilização e a versão Adventure ganhou o Locker, fazendo da perua o primeiro veículo de tração dianteira 4x2 com bloqueio de diferencial. O recurso proporcionava melhor condição de tração, mas estava longe de ser um sistema 4x4. No mesmo ano a Fiat apresentou ainda a Palio Weekend Elétrica, desenvolvido com a hidrelétrica Itaipu Binacional. O motor tinha potência de 15Kw (20cv) e torque de 5,1kgfm, sendo alimentado por uma bateria de níquel, instalada no fundo do porta-malas, que garantia autonomia de 120 quilômetros.
 
Em 2012 a perua Weekend passou por sua última modificação de estilo, ganhando nova grade e novo para-choque frontal, além de lanternas traseiras escurecidas. E a partir de 2015, a station passou a ser identificada apenas pelo nome Weekend. Depois disso, o modelo passou por alterações no pacote de conteúdo, mas não resistiu à pressão imposta pelos SUVs, e foi perdendo cada vez mais espaço no mercado.
 
“A Weekend teve um papel muito importante para a Fiat, liderando o segmento durante quase toda sua trajetória comercial”, afirmou Herlander Zola, diretor do Brand Fiat e Operações Comerciais Brasil. Para compensar a saída de linha da perua e atender aos desejos do consumidor brasileiro, Zola revelou que a Fiat vai iniciar a produção de três novos modelos a partir deste, dois deles serão SUVs.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade