Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

O defeito é o preço

Aceleramos a oitava geração do Porsche 911, que desembarca no Brasil com sutis mudanças no visual, motor de 450cv, câmbio automatizado de oito marchas, a partir de R$ 679 mil


postado em 23/03/2019 05:11

 Modelo ganhou entrada de ar dianteira mais larga e faróis com quatro focos de LED, além de painel de linhas retas(foto: Porsche/divulgação)
Modelo ganhou entrada de ar dianteira mais larga e faróis com quatro focos de LED, além de painel de linhas retas (foto: Porsche/divulgação)


Mexer em um esportivo com o histórico do Porsche 911 é missão um tanto quanto complicada. Talvez por isso a montadora alemã tenha optado por não fazer grandes mudanças no visual do carro, que ganhou retoques que fazem lembrar o estilo das primeiras gerações do modelo. No Brasil, a Porsche vai comercializar as versões Carrera S e Carrera 4S, ambas equipadas com motor seis-cilindros de 450cv e câmbio automatizado de dupla embreagem. O esportivo ganhou alguns auxílios tecnológicos para otimizar a performance e sistema que garante segurança em piso molhado. O problema da nova geração do 911 é o preço, que vai de R$ 679 mil a R$ 719 mil. E no segundo semestre chega a versão Cabrio, ainda mais cara.


Fomos até o autódromo Velo Cittá, em Mogi Guaçu (SP), para conhecer e dirigir a oitava geração do Porsche 911. E teve até surpresa no lançamento. A Porsche do Brasil apresentou as sete gerações do esportivo, desde o primeiro produzido a partir de 1963. Uma verdadeira viagem no tempo, comprovando que, em seus mais de 50 anos, o modelo manteve suas principais características, que o fazem ser facilmente reconhecido em qualquer lugar do mundo.


ESTILO A nova geração do 911 tem o capô em cunha, mais rebaixado, mas mantém os faróis ovalados, agora com quatro focos de LED e luzes diurnas de LED. A carroceria ficou 45mm mais larga na frente, que ganhou entrada de ar mais ampla. Os para-lamas estão mais volumosos para abrigar rodas de alumínio de 20 polegadas na dianteira e 21 polegadas na traseira, proporcionando aspecto bem mais robusto. A traseira também está 44mm mais larga e traz um spoiler maior, com posicionamento variável. A principal novidade ali é a faixa luminosa contínua, que une as duas lanternas de LED. Na parte inferior do para-choque traseiro, um único elemento horizontal abriga saídas de ar nas extremidades, saídas duplas do escape e a placa. O novo 911 tem apenas 30% da carroceria feita de aço, sendo o restante de alumínio.


Para compor o novo interior do 911, a Porsche buscou inspiração no passado, mais especificamente nas primeiras gerações do modelo. O painel ganhou desenho de linhas mais retas, com instrumentos embutidos e conta-giros analógico. O sistema multimídia PCM tem tela tátil de 10,9 polegadas. O volante tem novo desenho, ainda mais esportivo, e traz o botão seletor dos modos de condução, com as opções normal, Wet (para pisos molhados) sport e sport plus, que ajustam motor, direção e a transmissão.


MECÂNICA O coração que pulsa na parte traseira do novo 911 é um seis-cilindros horizontal, biturbo, que gera 54kgfm de torque e 450cv, ou seja, 30cv a mais que o motor da geração anterior. Na versão Carrera S, o bólido chega a 308km/h de máxima, enquanto na Carrera 4S, com tração integral, alcança um pouco menos, 306km/h. O novo 911 superou a geração anterior em aceleração, sendo que o Carrera S acelera até 100km/h em 3,7 segundos, e o 911 Carrera 4S em 3,6 segundos. Mas se o esportivo estiver equipado com o pacote Sport Chrono (que altera 22 parâmetros no carro), o 0 a 100km/h cai para 3,4 segundos. Quem compra um Porsche 911 geralmente não está preocupado com o consumo de combustível, mas a montadora informa: no Carrera S é de 11,2km/l, enquanto no Carrera 4S é de 11,1km/l, em circuito combinado.


O motor traz turbinas maiores, que proporcionam respostas mais rápidas na aceleração e menor consumo de combustível em altas rotações. O câmbio é automatizado de dupla embreagem e oito marchas, sendo a primeira mais curta. De acordo com a engenharia da Porsche, foram otimizados os pontos de fixação do motor, para diminuir as ocilações e vibrações, deixando o esportivo mais confortável. A direção tem assistência elétrica, com relação mais direta, exigindo o mínimo esforço em situações de manobra, mas em velocidades elevadas é preciso ter braços fortes para segurar o tranco.

ASSISTÊNCIA Um dos destaques da nova geração do 911 são os novos sistemas de assistência, que aumentam a segurança e o conforto. Um deles é o Wet mode, de série no 911, que detecta água na pista, pré-condiciona os sistemas de controle para essa condição e alerta o motorista. Para o modelo equipado com o pacote Sport Chrono, basta usar o seletor de modos no volante e posicionar na opção Wet. É impressionante a mudança de comportamento do carro sobre piso molhado, se mantendo na trajetória, sem escorregar. O 911 traz ainda de série o sistema de alerta e assistência na frenagem, que detecta o risco de colisões com objetos móveis e inicia uma frenagem de emergência, se for necessário.
O modelo pode ser equipado também com o Night Vision Assist, assistente de visão noturna, com câmera de imagens térmica, que é disponibilizado pela primeira vez como opcional no 911. A lista de equipamentos inclui ainda controle de velocidade de cruzeiro (piloto automático) adaptativo, com controle automático de distância, função stop-and-go, proteção reversível dos ocupantes e função autônoma de assistência de emergência.

PISANDO FUNDO Acelerando na pista do autódromo Velo Citta, fica difícil definir qual a versão mais divertida de dirigir. Começamos pela Carrera 4S, que além de tração integral traz o Porsche Active Suspension Management, eixo traseiro direcional, torque Vectoring Plus, Dynamic Chassi control, elevação do eixo dianteiro e chassi 4D. O carro parece uma locomotiva sobre trilhos e com toda a parafernália eletrônica se mantém na trajetória, contornando curvas em alta velocidade. O motor responde muito rápido às acelerações e o turbo mostra ao que veio, fazendo o 911 passar fácil dos 200km/h. Já o Carrera S, com o mesmo motor e desprovido de tantas assistências, exige que o motorista tenha mais braço, pois se o pé for pesado, ele pode sair de frente, de traseira e até de lado, tornando a direção bem mais divertida.
Pena que é um brinquedinho muito caro e não cabe no bolso de qualquer um. A nova geração do Porsche 911 chega às concessionárias da marca em maio, e os preços sugeridos são de R$ 679 mil para o Carrera S e de R$ 719 mil para o Carrera 4S. A versão Cabrio, que chegará ao Brasil no segundo semestre, tem preços de R$ 729 mil para o Carrera S e R$ 769 mil para o Carrera 4S. Se você gostou e tem bala na agulha, a Porsche já aceita encomendas para qualquer uma das opções.

(*) Jornalista viajou a convite da Porsche do Brasil


Publicidade