Publicidade

Estado de Minas NOVELA

Elizangela diz que Bibi, de 'A força do querer', entrou no crime por opção

Atriz afirma que a personagem de Juliana Paes escolheu acompanhar o marido traficante, apesar das advertências da mãe, vivida por ela na trama da Globo


17/01/2021 04:00

Elizangela e Juliana Paes interpretam mãe e filha em A força do querer(foto: Estevam Avellar/divulgação )
Elizangela e Juliana Paes interpretam mãe e filha em A força do querer (foto: Estevam Avellar/divulgação )

Para Elizangela, Aurora é uma mãezona que faz tudo pelo bem da filha Bibi (Juliana Paes), em A força do querer, novela das nove reprisada pela Globo. A matriarca insiste em abrir os olhos da herdeira para que se afaste de Rubinho (Emílio Dantas). No entanto, a cada capítulo, a moça está mais envolvida com o mundo do crime, apresentado a ela pela ligação do marido com o tráfico de drogas.

Elizangela não tem duvida: Bibi tem culpa por suas ações criminosas, apesar da manipulação de Rubinho. “Ela escolheu ficar com esse homem. Passa por cima de qualquer conversa com a mãe. Existem mulheres que se envolvem por conta do amor. Mas, às vezes, é uma questão de escolha. Por causa dele, Bibi enfrentou todas as consequências”, observa a atriz.

Um dos momentos mais difíceis do folhetim para a intérprete de Aurora ainda não foi ao ar nesta edição especial. Trata-se da prisão preventiva de Bibi, por associação ao tráfico de drogas. A mãe visita a filha na cadeia, bate nela e diz que a ex-noiva de Caio (Rodrigo Lombardi) jogou a vida no lixo.

A decepção é visível em cada gesto de Elizangela. “Não sabia como ia fazer a cena. Era uma sequência forte demais e o resultado foi tão bom que não sei nem explicar. Aurora vinha de uma situação em que as emoções saíam. Sou visceral, preciso sentir. Não sei agir só tecnicamente”, afirma.

Em isolamento social, Elizangela diz que sua vida mudou pouco desde o começo da pandemia. Acostumada a morar sozinha, a atriz ainda avalia as mudanças que o país enfrenta neste momento.

No entanto, ela acredita que o Brasil caminha para grandes transformações no futuro. Enquanto isso, coloca os sentimentos em uma balança. Mas sem conclusões.

“Converso mais por mensagem e chamada de vídeo com a família e os amigos. Estou acostumada a ficar sozinha há muitos anos. Porém, agora não posso sair a qualquer momento como antes. O quintal é grande e está vazio há muito tempo. Já me peguei discutindo comigo mesma, com a televisão. Isso já ficou comum”, revela a atriz.  


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade