Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Resgate histórico da TV


postado em 13/01/2019 05:07

Quadros como o Vídeo game, apresentado por Angélica (C), trouxeram fama ao Vídeo show (foto: Willian Andrade/GLOBO )
Quadros como o Vídeo game, apresentado por Angélica (C), trouxeram fama ao Vídeo show (foto: Willian Andrade/GLOBO )

Considerado um dos programas mais longevos da televisão brasileira, o Vídeo show trazia atualidades, curiosidades, notícias do meio artístico e, principalmente, os bastidores da emissora e de seu casting. Vários quadros caíram no gosto popular, como o Túnel do tempo, Por onde anda?, Meu vídeo é um show, Vale a pena rir de novo, Antes da fama, e o mais querido de todos, o Falha nossa. Os próprios artistas da Globo brincavam que quando pisavam na bola durante as gravações era certo irem direto para o programa. Até um jogo de tabuleiro com perguntas e curiosidades sobre a TV chegou a ser lançado na década de 2000, quando Angélica passou a comandar dentro da atração o Video game, jogo envolvendo celebridades.

A estreia do Vídeo show foi em 20 de março de 1983, um domingo, com apresentação de Tássia Camargo. Ao longo desses anos, a bancada foi ocupada por nomes como Carla Camuratti, Paulo Betti, Kadu Moliterno, Lúcia Veríssimo, Júlia Lemmertz, Herson Capri, Fernanda Torres, Débora Bloch, Nuno Leal Maia, Paulo César Grande, Paulo Goulart, Paulo José, Tony Ramos, Patrícia Pillar, Malu Mader, Miriam Rios, Lucélia Santos, Marcelo Tas, André Marques, e o mais famoso deles, Miguel Falabella, que entrou na atração em 1987.

Em um texto postado nas redes sociais, Falabella declarou que só tinha amor e gratidão pelo programa. “Fui muito feliz ali, agradeço ao Boni a oportunidade de ter me deixado capitanear o show por 15 anos; depois, voltei para os encerramentos, homenageei meus amigos em Memória nacional e agora sopro a vela, junto com toda a equipe, com o coração tranquilo. Foi um prazer e uma honra ter vivido o que vivi nesse programa. Não sei de audiências, de mudanças, disso ou daquilo. Sei das relações que ali eu criei, da família que fomos um dia...” O ator, diretor e apresentador ficou 15 anos à frente do Video show, tendo apresentado 2.618 edições do programa.

FUTURO O jornalista Fernando Oliveira acredita que o legado da produção é inestimável e que teve como uma das funções mais importantes o resgate histórico da TV brasileira. “Nenhuma emissora fez tão bem a crossmídia, ou seja, divulgar si própria dentro da própria programação, divulgar seus artistas, como a Globo. Acho que o Vídeo show ainda teria espaço na televisão se fosse reformulado, com uma nova pegada, mesclando programação e celebridade. Assim, eu veria futuro.”


Publicidade