Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Poder soberano no Cartel de Guadalajara

Narcos: México revisa o período em que o traficante Félix Gallardounifica grupos rivais sob seu comando em busca de mais forçapara criar seu império. Série enfrenta criticas


postado em 04/11/2018 05:06

O americano Michael Peña, no papel do agente Kiki Camarena, será uma pedra no sapato do Diego Luna, que interpreta o traficante Félix Gallardo(foto: FOTOS: Carlos Somonte/Netflix)
O americano Michael Peña, no papel do agente Kiki Camarena, será uma pedra no sapato do Diego Luna, que interpreta o traficante Félix Gallardo (foto: FOTOS: Carlos Somonte/Netflix)

 

O universo ilegal e violento do tráfico de drogas é mais uma vez retratado em uma série com a marca Narcos, da Netflix – que teve início em 2015, com a primeira temporada produzida e dirigida pelo brasileiro José Padilha, de Tropa de elite (2007), sobre a saga bandida do colombiano Pablo Escobar, vivido pelo ator Wagner Moura. Agora, ambientada no México dos anos 1980, a nova atração tem como protagonistas o americano Michael Peña, no papel do agente Kiki Camarena do DEA (o departamento de combate às drogas dos Estados Unidos); e o mexicano Diego Luna, que interpreta o capo Féli
x Gallardo.


Narcos: México, que estará disponível no serviço de streaming a partir de 16 de novembro, revisita o período em que o tráfico ocorria de forma desorganizada, com os produtores de coca e as quadrilhas se enfrentando e mostra como Gallardo vislumbrou um império ao resolver unificar esses grupos rivais sob seu comando e criar o Cartel de Guadalajara.

Ao se mudar da Califórnia para a cidade mexicana, capital do Estado de Jalisco, Camarena será a pedra no sapato do poderoso capo da droga, e travará com ele, nos 10 episódios da temporada, uma guerra pública e particular.

APOLOGIA “Ao retratarmos a história, não estamos fazendo apologia às drogas, como fui acusado”, disse Luna, recentemente, em entrevista à revista mexicana Quién. “Os filmes e as séries mostram principalmente o conflito que esse comércio desencadeia. E, se da próxima vez que uma pessoa cheirar uma carreira de cocaína, ela pensar no caminho que a droga percorreu para chegar até ali, já teremos surtido algum efeito positivo”, acredita o astro mexicano.

Os atores mexicanos Tenoch Huerta, José Maria Yazpik, Tessa Ia e Joaquín Cosío também estão no elenco de Narcos: México. (Estadão Conteúdo)

‘CHEFE DOS CHEFES’

Conhecido como “o chefe dos chefes”, Félix Gallardo, originário de Sinaloa, se tornou o czar da cocaína no México na década de 1980. Foi pioneiro em traficá-la aos Estados Unidos: projetou e controlou as principais rotas de tráfico da droga no país. Durante esse período, Gallardo foi considerado o traficante mais poderoso do México, mudando a maneira como o narcotráfico operava, já que antes de entrar para o crime apenas maconha e a papoula eram transportadas para os Estados Unidos. O traficante foi preso em abril de 1989 em Guadalajara, a segunda cidade mais importante do país. Continuou operando da prisão até que foi colocado em uma penitenciária de segurança máxima. Após sua queda, Rafael Caro Quintero e Ernesto Fonseca Carrillo assumiram a liderança do Cartel de Guadalajara sob a escola de Pedro Avilés Pérez, pioneiro da droga no México.


”Ao retratarmos a história, não estamos fazendo apologia às drogas, como fui acusado”

“Os filmes e as séries mostram principalmente o conflito que esse comércio desencadeia”

Se da próxima vez que uma pessoa cheirar uma carreira de cocaína, ela pensar no caminho que a droga percorreu para chegar até ali, já teremos surtido algum efeito positivo”


Diego Luna, ator mexicano

NARCOS: MÉXICO
Estreia: 16 de novembro
1ª temporada
10 episódios
Netflix



Série mostra um tráfico desorganizado no México dos anos 1980

O astro mexicano Diego Luna contracena com Fernanda Urrejol

Poder, ambição e volência marcam a primeira temporada mexicana


Publicidade