Publicidade

Estado de Minas GASTRONOMIA

Conheça os chefs viajantes donos do pedaço

Conheça os chefs viajantes, que, além de proporcionar uma deliciosa experiência pelos sabores, carregam nas malas temperos e prazeres


postado em 10/03/2020 04:00 / atualizado em 10/03/2020 13:29

(foto: Flávio de Castro / Toujours)
(foto: Flávio de Castro / Toujours)

 

Massimo Battaglini

 

Nascido em Veneza, o chef é morador de Belo Horizonte desde 1998. Proprietário da Osteria Casa Mattiazzi, no Santa Efigênia, foi o primeiro a investir na Rua Sapucaí, no Floresta, hoje centro boêmio da capital. Ali, em 2012, abriu a Salumeria Central, especializada em embutidos e queijos. Logo em seguida, em 2013, inaugurou o Pecatore Banca de Peixes, casa dedicada a pescados. Também passou pelo Eva Cucina Originale, no Belvedere. Hoje, tem sob comando o Club do Chef, que atende casamentos, festas e eventos empresariais em todo o país.

 

(foto: Osvaldo Castro/Divulgação)
(foto: Osvaldo Castro/Divulgação)
Matheus Paratella

 

Neto e bisneto de italianos, Matheus Paratella nasceu em Belo Horizonte. Aos 14 anos, mudou-se para Alba, região do Piemonte, onde morou por mais de 20 anos. Logo quando chegou ao país de seus antepassados, começou a trabalhar em uma pizzaria. Formado em gastronomia na cidade de Barolo, passou por diversos esta- belecimentos no Canadá, Alemanha e França. No Brasil, Matheus passou pela cozinha do Hotel Ouro Minas e pelos restaurantes Trindade e Alma Chef. Em junho de 2013, foi o vencedor do Fecha a Conta, no programa Mais você, na Globo. Hoje, comanda o D’Agostim di Paratella, no Santo Agostinho. Sua cozinha é reconhecida pelo menu autêntico e contemporâneo. 

 

(foto: Victor Schwaner/Divulgação)
(foto: Victor Schwaner/Divulgação)
Mariana Correa

 

Depois de se formar em direito na UFMG, Mariana Correa trocou a toga pelo dólmã. Formou-se em gastronomia pela Estácio de Sá, em 2013, e seguiu direto para França, onde cursou o Le Grand Diplome na escola de culinária Le Cordon Bleu. Sua experiência em Paris só fez confirmar sua paixão pela confeitaria. Em outubro de 2015, fundou a La Parisserie, com o objetivo de trazer a verdadeira pâtisserie francesa para Belo Horizonte. Suas criações, muitas delas uma mistura de ingredientes mineiros com técnicas clássicas francesas, podem ser encomendadas diretamente em seu ateliê.

 

(foto: Nereu Jr/Divulgação)
(foto: Nereu Jr/Divulgação)
Cristóvão Laruça

 

Representante da contemporânea gastronomia portuguesa, o chef Cristóvão Laruça nasceu em Lisboa, mas foi criado na Costa de Caparica, a 15 quilômetros de sua cidade natal. Formado em arquitetura, chegou ao Brasil em 2004. Entre 2006 e 2007, foi dono de uma pousada em Salvador, na Bahia. Em 2014, assumiu um restaurante no condomínio onde morava, em Casa Branca, Brumadinho. Assim nasceu o Caravela, que em 2017 foi reinaugurado no Museu Abílio Barreto, na Cidade Jardim. Hoje, é dono também do Capitão Leitão, que tem como especialidade o leitão à bairrada, tradicional receita lusa, em Santa Tereza. No próximo mês, inaugura o Tura, cozinha de fogo, no Ponteio. 


Publicidade