Publicidade

Estado de Minas FINLÂNDIA

Confira as dicas de roteiros incríveis na capital da Finlândia

Frutas típicas, doces e peixes fazem a festa no centenário mercado à beira do Báltico


postado em 10/12/2019 04:00 / atualizado em 10/12/2019 16:19

Catedral Luterana se impõe pela arquitetura(foto: gustavo werneck/em/d. a press)
Catedral Luterana se impõe pela arquitetura (foto: gustavo werneck/em/d. a press)

Depois do museu, decidi ir ao centenário mercado à beira do Mar Báltico. No caminho, para me proteger da chuva, entrei na Capela Kamppi, que muitos conhecem por Capela do Silêncio e teve projeto dos arquitetos Mik- ko Summanen, Niko Sirola e Kimmo Lintula. A forma chamou minha atenção e, pelo folheto disponível em português, fico sabendo que o templo é administrado em conjunto pelas congregações luteranas de Helsinque e pelo Departamento de Serviços Sociais e Cuidados de Saúde da Cidade. Construída com três tipos diferentes de madeira e 11,5 metros de altura, a capela, na parte externa, tem paredes revestidas com um tipo especial de cera. À porta, um jovem pastor luterano me mostra desenhos feitos por crianças a respeito da forma da capela: uma enxergou uma xícara, outra, um barco, uma terceira, colmeia, e a última, um vaso de flores. Não sei o porquê, talvez pelo estado de espírito, vi ali o globo terrestre, para surpresa do religioso.
 
(foto: gustavo werneck/em/d. a press)
(foto: gustavo werneck/em/d. a press)
Resolvi enfrentar a chuvinha, entrei num shopping e depois num supermercado. Distraí um tempão olhando para a vitrine, na qual dançava uma família de ursos-polares carregando presentes. Um homem não se conteve e fotografou – segui seu exemplo e, logo depois, ganhei a rua em direção ao mercado. Como todo ambiente em Helsinque, a calefação torna o lugar mais aconchegante. Numa vitrine, caviar de todos os países do Norte europeu e regiões da Rússia, carne de rena, e um doce (halva) no formato de queijo que me intrigou. Perguntei à vendedora e ela me explicou que leva pistache e outros ingredientes.
 
No mercado, há peixes, carnes, frutas típicas e muitos doces irresistíveis(foto: gustavo werneck/em/d. a press)
No mercado, há peixes, carnes, frutas típicas e muitos doces irresistíveis (foto: gustavo werneck/em/d. a press)
 
Parei em outra banca e comprei geleia de blueberry, e a simpática vendedora me “confidenciou” que as frutinhas são da Lapônia, terra de Papai Noel. Sobraram alguns euros, comprei chocolate. E, destemido, ajeitei o cachecol, arrumei a touca e abri a porta principal. Na rua, ventava e apertei o passo admirando os navios ancorados no porto. De repente, vi a carteira de um homem caindo do bolso e, de imediato, um pedestre a pegando e entregando a ele.
 
Catedral Ortodoxa sobressai na paisagem e atrai olhares atentos, no interior, para os ícones(foto: gustavo werneck/em/d. a press)
Catedral Ortodoxa sobressai na paisagem e atrai olhares atentos, no interior, para os ícones (foto: gustavo werneck/em/d. a press)
De longe, enxerguei a belíssima Catedral de Uspenski e confesso que, à primeira vista, imaginei um castelo vermelho– só depois vi a cruz dourada no alto da torre central, O templo da Igreja Ortodoxa fica numa parte mais alta, onde se chega subindo uma escada de pedra. Quando me sentei, vi entrar um grupo de cerca de 40 crianças ciceroneadas pelo padre jovem de cabelos louros escorridos, mais parecido com um rockstar. Ele estava de batina preta e, pelo que imaginei da cena, falava sobre os ícones (quadros de santos). Ouvi um ruído e notei, no alto, um restaurador trabalhando na parte superior do templo. Comprei postais e puxei conversa com o vendedor, que, naquele momento, estava mais preocupado com a tela do celular.
 
 

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade