Publicidade

Estado de Minas

Por que Porto Seguro é o destino preferido dos mineiros?

De acordo com duas pesquisas nacionais, a cidade no Sul da Bahia superou Lisboa, Miami, São Paulo, Rio e Vitória na preferência de viagem


postado em 09/09/2019 14:34 / atualizado em 09/09/2019 16:32

Porto Seguro: paraíso de áquas esverdeadas no Sul da Bahia(foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação )
Porto Seguro: paraíso de áquas esverdeadas no Sul da Bahia (foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação )
 
Praias paradisíacas, natureza intocável, mar de água quente e de cor esverdeada. Assim é Porto Seguro, no Sul da Bahia, um destino de descanso e, ao mesmo tempo, de muito agito. A cidade baiana preferida dos mineiros está localizada na chamada Costa do Descobrimento – onde há 519 anos os portugueses aportaram na região.
 
Há quem não perde uma temporada de férias, carnaval ou fim de semana nas dezenas de praias da cidade preferida dos mineiros – que engloba os distritos de Arraial d'Ajuda, Caraíva e Trancoso no cardápio de paraísos que merecem ser visitados.  
 
Índios da tribo Pataxó(foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação)
Índios da tribo Pataxó (foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação)
Uma pesquisa do buscador de voos Viajala concluiu que a procura dos mineiros por Porto Seguro triplicou no primeiro semestre deste ano, na comparação com o mesmo período em 2018. O estudo usou uma amostragem de 100 mil buscas de voos realizadas de janeiro a julho de 2019 om origem no Aeroporto Internacional de Confins.  
Centro Histórico de Porto Seguro(foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação)
Centro Histórico de Porto Seguro (foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação)

A cidade baiana ficou em primeiro lugar nas pesquisas registradas pela plataforma em 2019, com 20,6% das buscas. No ano passado, a procura por Porto Seguro ocupou a terceira posição, com 6,5%, atrás de Lisboa, em Portugal, e São Paulo. As duas perderam uma posição esse ano e são agora seguidas de Vitória (ES), que subiu do quinto para o quarto lugar, ultrapassando Salvador (BA), que caiu para sexto, e Rio de Janeiro (RJ), que subiu do sexto para o quinto lugar.
Mineiros buscam belezas naturais, descanso e diversão (foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação)
Mineiros buscam belezas naturais, descanso e diversão (foto: Secretaria de Turismo de Porto Seguro/Divulgação)

Para Eduardo Martins, diretor nacional do Viajala, o aumento na procura por Porto Seguro pode ter várias razões, como a alta do dólar e os bons preços de passagens para a Bahia. "Registramos boas promoções saindo de Belo Horizonte esse ano, com passagens de ida e volta na faixa dos R$300 já com taxas tanto para Porto Seguro quanto para Salvador, o que é um preço muito atrativo para um voo direto", aponta. "Além disso, com a alta do dólar é natural que o turista olhe mais para dentro do Brasil, primando pelo turismo nacional. Como Minas não tem praia, o mineiro aposta no mar mais próximo", brinca o executivo.

Lisboa, capital portuguesa, era líder nas buscas dos mineiros no primeiro semestre do ano passado, com 12% das buscas. Este ano, caiu para o segundo lugar, com 10% da procura dos usuários da plataforma, com origem no Aeroporto de Confins. "Portugal não só é um país turístico, mas também virou uma porta de entrada dos brasileiros na Europa", explica Martins. "Muitos turistas preferem entrar no continente via Lisboa ou Porto para fazer os trâmites da imigração em português, o que facilita o processo e diminui o nervosismo, especialmente para quem está saindo do Brasil pela primeira vez", comenta. Como Belo Horizonte tem voos diretos a Lisboa, usar a cidade como ponto de partida da viagem é ainda mais conveniente para os mineiros. Outros destinos internacionais registrados no Viajala no primeiro semestre são Miami, nos Estados Unidos; Buenos Aires, na Argentina; Santiago do Chile.

São Paulo, Vitória e Rio de Janeiro costumam ser muito procurados tanto para negócios quanto para lazer, pela proximidade e pelo preço baixo comummente praticado nas passagens aéreas. "As praias do Sudeste, especialmente as de Vitória e Rio de Janeiro, também estão entre as mais procuradas pelos mineiros o ano todo", aponta Martins. "O Rio é uma opção mais agitada, com mais eventos culturais e vida noturna mais intensa, enquanto Vitória e a vizinha Guarapari são opções mais tranquilas, baratas e com bom custo-benefício, especialmente para viagens em família e com crianças", conclui o executivo.

Confira a lista de 10 destinos mais buscados pelos mineiros no Viajala.com.br no primeiro semestre de 2019:


1, Porto Seguro (BA), com 20,6% das buscas
2, Lisboa, Portugal, com 10%
3, São Paulo (SP), com 9,5%
4, Vitória (ES), com 7%
5, Rio de Janeiro (RJ), com 6,6%
7, Salvador (BA), com 5,8%
8, Fortaleza (CE), com 4%
9, Recife (PE), com 3,5%
10, Brasília (DF), com 2,2%
 
 

Nordeste na cabeça

 
Praia de Pajuçara, a mais cobiçada de Maceió(foto: Secretaria de Turismo de Alagoas/Divulgação)
Praia de Pajuçara, a mais cobiçada de Maceió (foto: Secretaria de Turismo de Alagoas/Divulgação)
Em outro estudo, agora, encomendado pelo Ministério do Turismo, apontou que as cidades de Porto Seguro (BA), Maceió (AL) e Natal (RN) são os três destinos mais procurados pelos mineiros, entre os meses de junho e julho, em agências de turismo de Minas Gerais. A constatação é da Pesquisa de Sondagem Empresarial com 175 empresas de comércio de viagens do estado. O levantamento trouxe, ainda, que 6 em cada 10 mineiros procuram destinos onde possam aproveitar os momentos de lazer com sol e praia.


Perfil do público mineiro

 
  • Casais com filhos correspondem ao maior número (43,7%) dos viajantes que utilizam agências de viagens
  • Casais sem crianças, com 25,8%,
  • Viagens em família, com 21,1%.

“Temos observado que os mineiros têm sido importantes indutores do turismo no país, além de estarem procurando conhecer mais as belezas da costa brasileira. Isso é um importante impulso para continuarmos trabalhando ainda mais para desenvolver o setor turístico nacional, gerando emprego e renda”, finalizou o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio. Os números mostram otimismo e corroboram para a virada que esta nova gestão está realizando no setor. 
 

 

Desempenho, faturamento, demanda de serviços e geração de empregos de maio a outubro de 2019

 
  • Para 16,3%, a perspectiva é de que o número de empregados aumente.
  • 60,8% acreditam que a demanda pelos serviços ofertados cresça no período
  • 60% indicaram um cenário com perspectiva de aumento no faturamento para os próximos meses.

Com a pesquisa, o Ministério do Turismo tem o objetivo de auxiliar as empresas de Minas Gerais do setor de agenciamento de viagens a avaliarem nichos de mercados a serem melhor explorados. Com esta sondagem, por exemplo, é possível identificar que os turistas das agências consultadas pela pesquisa não têm certos estados como escolha, para a viagem no período. 
 
COMO FOI FEITO O ESTUDO
Vamos para Genipabu, em Natal(foto: Giovanni Sérgio/Setur RN)
Vamos para Genipabu, em Natal (foto: Giovanni Sérgio/Setur RN)
 
 

 

A Pesquisa de Sondagem Empresarial das Agências e Organização de Viagens está em sua primeira edição e será realizada semestralmente pelo Ministério do Turismo. O estudo é uma expansão da sondagem já realizada com o setor hoteleiro e pretende avaliar a percepção de desempenho, no cenário atual e futuro, das agências e operadores turísticos, além de identificar o comportamento do consumidor sob a perspectiva dos empresários para os períodos de alta temporada. 

 


Para o subsecretário de Inovação e Gestão do Conhecimento do Ministério do Turismo, Marcelo Garcia, área responsável pelo estudo, este novo nicho atua diretamente com o consumidor (potencial ou real) de viagens. “Além de informações sobre o desempenho da empresa, o setor de agências e operadores representa uma potencial fonte de informações sobre o comportamento de consumo do mercado doméstico, em especial para a projeção da demanda com informações sobre motivo de viagem, segmento turístico de interesse e principais destinos demandados”, destaca Moreira. Segundo o subsecretário, a ideia é aumentar cada vez mais as agências consultadas pela pesquisa.
 


Publicidade