Publicidade

Estado de Minas

Príncipe Harry se une a grandes empresas turísticas e lança iniciativa global de viagens sustentáveis

A marca Travalyst é pioneira do setor e tem como objetivo explorar e promover soluções de preservação e a proteção ambiental, de pessoas, lugares e o meio-ambiente, sem esquecer de garantir um futuro melhor para os destinos e as comunidades locais


postado em 04/09/2019 12:47 / atualizado em 04/09/2019 16:11

O crescimento inevitável do turismo, é essencial que atitudes mais sustentáveis sejam praticadas no mundo todo(foto: Koen van Weel/AFP)
O crescimento inevitável do turismo, é essencial que atitudes mais sustentáveis sejam praticadas no mundo todo (foto: Koen van Weel/AFP)

O príncipe Harry, Duque de Sussex, anunciou uma nova parceria mundial que incentiva práticas sustentáveis de viagem no setor de turismo. O objetivo é fomentar a preservação e a proteção ambiental, além de promover o desenvolvimento econômico de comunidades locais. Batizada como Travalyst, a iniciativa foi criada para tornar o setor de turismo uma força do bem, visando transformar o futuro das viagens para todas as pessoas.

Liderada pelo príncipe britânico e fundada em parceria com prestadoras de serviço do setor de turismoBooking.com, Ctrip, Skyscanner, TripAdvisor e Visa –, a Travalyst tem o objetivo de explorar e promover soluções que tornem as viagens mais sustentáveis. Essa iniciativa pioneira uniu grandes empresas – aquelas capazes de conectar consumidores e operadoras do mercado de turismo – para, a partir de sua posição privilegiada, educar, conscientizar e incentivar mudanças positivas.

 

 

Mercado em expansão

Os chineses são os maiores viajantes do mundo . É preciso que o crescimento do turismo seja equilibrado com as necessidades do meio-ambiente e das comunidades locais(foto: Melissa/Unsplash)
Os chineses são os maiores viajantes do mundo . É preciso que o crescimento do turismo seja equilibrado com as necessidades do meio-ambiente e das comunidades locais (foto: Melissa/Unsplash)
 

À medida que mais pessoas viajam, cresce o impacto nas comunidades locais e no meio-ambiente. No entanto, o número de oportunidades para fazer o bem também aumenta a cada viagem. Números apontam para o potencial turístico global e como os impactos podem ser positivos ou negativos:

  • De acordo com a Organização Mundial do Turismo, no ano passado, o número de viagens internacionais realizadas por ano, em todo o mundo, chegou a 1,4 bilhões.
  • Desde 2000, o número de viagens realizadas anualmente por pessoas do mundo todo mais do que dobrou.(Banco Mundial).
  • Viagens e turismo geraram $ 8,8 trilhões para a economia global em 2018.(Conselho Mundial de Viagens e Turismo).
  •  O aumento contínuo no número de viajantes indica que chegaremos a 1,8 bilhão de viagens internacionais até 2030, ou seja, o dobro do número de viagens feitas anualmente em menos de 20 anos.(Organização Mundial de Turismo).
  • Um a cada 10 empregos no mundo estão relacionados a viagens(Conselho Mundial de Viagens e Turismo)
  • Em 10 anos, o número de turistas que visitam países emergentes vai chegar a 1 bilhão por ano – 57% de todas as viagens internacionais do mundo.(Organização Mundial de Turismo)


O intuito da Travalyst é aproveitar a força e o alcance do mercado mundial de turismo, aumentar a colaboração entre participantes do setor e estimular e apoiar novas soluções e iniciativas sustentáveis de viagem. Os parceiros fundadores querem que empresas, organizações, ONGs e formadores de opinião com mentalidades parecidas tornem o futuro do turismo mais sustentável.

De acordo com o príncipe Harry: "O turismo tem o poder inigualável de fazer com que as pessoas se abram para outras culturas e novas experiências. Mais do que isso, de fazer com que valorizem tudo o que nosso mundo tem a oferecer. Com o crescimento inevitável do turismo, é essencial que atitudes mais sustentáveis sejam praticadas no mundo todo e que esse crescimento seja equilibrado com as necessidades do meio-ambiente e das comunidades locais. A união de empresas, consumidores e comunidades é nossa melhor chance de preservar destinos e ecossistemas para as gerações futuras."

Gillian Tans, Presidente do Conselho de Diretores da Booking.com: "É muito inspirador o compromisso que essas marcas firmaram para trabalhar juntas e ajudar a construir uma rede global de empreendedores sociais, ONGs e legisladores de mentalidades parecidas. A única forma possível de quebrarmos os paradigmas do setor de viagens é por meio da colaboração. Queremos proteger os destinos que amamos e garantir que eles continuem preservados para as próximas gerações, mas não podemos fazer isso sozinhos. Apesar de ainda não sabermos todas as respostas, estamos determinados a descobri-las juntos."

Jane Sun, CEO da Ctrip: "Viajar é uma forma poderosa de nos tornar mais próximos – de compartilharmos a beleza dos nossos países e de nossas diferentes culturas. Além disso, de enxergarmos o que temos em comum. Porém, viajar também nos torna responsáveis por proteger nosso delicado planeta. É por isso que estamos trabalhando, junto às mentes mais brilhantes, para garantir que as próximas gerações possam seguir nossos passos de forma sustentável e que o mundo e seus habitantes possam crescer em harmonia."

Bryan Dove, CEO da Skyscanner: "A possibilidade de viajar o mundo é uma dádiva dos tempos modernos, algo que une culturas e comunidades de todo o globo. Por isso, temos a obrigação de preservar nosso planeta para que as próximas gerações possam também conhecê-lo e aproveitá-lo. Mas, para fazer isso, é preciso tomar uma atitude agora, já que mudanças não acontecem da noite para o dia. Como líderes do setor de turismo, é nossa responsabilidade usar nossa influência coletiva para encabeçar essa mudança."

Stephen Kaufer, Presidente e CEO do TripAdvisor: "Somos todos responsáveis por preservar nosso planeta e suas comunidades para as próximas gerações. Realmente acredito que, juntos, podemos conquistar muito mais. Por isso, estamos muito felizes em fazer parte da Travalyst e em buscar formas de influenciar positivamente o futuro do turismo."

Al Kelly, Diretor do Conselho e CEO da Visa: "Possibilitar o comércio e o turismo global por meio de pagamentos digitais é uma das inúmeras formas com que a Visa conecta e empodera indivíduos, empresas e economias dia após dia. Nos esforçamos para fazer isso mantendo nosso compromisso com a sustentabilidade. Temos orgulho de participar dessa iniciativa e apoiar o crescimento econômico a longo prazo por meio do turismo."


As tendências de consumo mostram como as pessoas estão buscando impactos positivos

Veneza sofre com o turismo predatório. Cidade italiana pensa em limitar acesso à ilha(foto: José Santos/Unsplash)
Veneza sofre com o turismo predatório. Cidade italiana pensa em limitar acesso à ilha (foto: José Santos/Unsplash)
 


Cada vez mais, os consumidores querem acesso fácil e transparente a uma variedade maior de opções sustentáveis no turismo. A Travalyst quer ajudar as empresas a suprir essa demanda, além de conscientizar os consumidores a respeito da importância de atitudes sustentáveis. O trabalho com comunidades locais, o envolvimento com empreendedores sociais e a promoção de melhores práticas também são prioridades da iniciativa.

Mais da metade de todos os viajantes afirmam que, neste ano, estão determinados a tornar suas escolhas de viagem mais sustentáveis do que no ano anterior. Porém, muitos não sabem como fazer isso. Entre as barreiras, estão a falta de conhecimento, a percepção de que viagens sustentáveis são mais caras e a indisponibilidade ou falta de opção quando se trata de colocar essas escolhas em prática.


Da mesma forma, o impacto do turismo sobre as comunidades locais e o meio-ambiente é um dos principais pontos de consideração de muitos viajantes

  • 71% dos viajantes globais disseram à Booking.com que acham que empresas de viagem deveriam oferecer mais opções de viagem sustentáveis. Não só isso: 68% afirmaram que, para eles, é importante que o dinheiro que gastem seja investido nas comunidades locais.
  • Nos últimos 12 meses, 10 milhões de viajantes que usaram o Skyscanner escolheram opções de voo com as menores emissões de CO2.
  • 75% dos parceiros da Ctrip estão de acordo com as iniciativas do programa 4R da empresa: Reduzir, Reutilizar e Reciclar recursos e Regenerar vidas no ecossistema de viagens.
  • Nos próximos 4 anos, a previsão é que o mercado mundial de turismo sustentável cresça US$ 340 bilhões, ou seja, 10%.(TechNavio)

 

 

Expandindo a comunidade Travalyst


O objetivo da Travalyst é criar mais parcerias colaborativas que unam o conhecimento e a experiência das comunidades locais, dos governos, das ONGs, das empresas e dos empreendedores sociais para, assim, alavancar iniciativas estratégicas e tecnológicas e desenvolver soluções que consigam atender à crescente demanda do mercado por opções sustentáveis de viagem.

Com isso, essa nova parceria está abrindo caminho para um novo jeito de viajar. Um jeito que incentiva mudanças que ajudem todos a explorar o mundo de forma mais sustentável, protegendo pessoas, lugares e o meio-ambiente, sem esquecer de garantir um futuro melhor para os destinos e as comunidades locais.

Trabalhando com empresas, consumidores e comunidades, essa parceria inicialmente vai explorar e promover soluções que ajudem os consumidores a desenvolver atitudes e escolhas sustentáveis em diversas áreas. Entre elas estão: apoio a moradores locais, proteção do meio-ambiente, combate às mudanças climáticas e danos ambientais e redução do excesso de turistas.

Para saber como apoiar essa iniciativa, acesse www.travalyst.org.

 

 

Brasil na contramão

Fernando de Noronha corre o risco de aumentar o número de visitantes com o fim da taxa federal de visitação proposta pelo presidente Bolsonaro(foto: Alex Braga/Unsplash)
Fernando de Noronha corre o risco de aumentar o número de visitantes com o fim da taxa federal de visitação proposta pelo presidente Bolsonaro (foto: Alex Braga/Unsplash)
 

 

Enquanto o mundo propõe discutir ações para dimunuir o turismo predatório em cidades ao redor do globo, o presidente Bolsonaro quer, a qualquer custo, incentivar a presença de mais visitantes em áreas preservadas como o santuário do Arquipélago de Fernando de Noronha e transformar Angra dos Reis em uma Cancún brasileira. Para ambientalistas, a preservação ambiental desses destinos brasileiros está sob ameaça caso as decisões do mandatário do país se concretize.  

 

 


Publicidade