Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Bariloche no outono

A charmosa cidade na Cordilheira dos Andes ganha tons de marrom e vermelho, as temperaturas ficam mais amenas e os turistas descobrem um belo destino muito além da neve


postado em 26/03/2019 05:07

 Cidade ganha um novo cartão-postal nesta estação. Sem neve, vegetação ganha destaque na paisagem (foto: chiwi Giambirtone/Divulgação)
Cidade ganha um novo cartão-postal nesta estação. Sem neve, vegetação ganha destaque na paisagem (foto: chiwi Giambirtone/Divulgação)


Visitar Bariloche no outono é uma experiência imperdível. A época é linda para conhecer a cidade, descobrir a beleza de seu do pôr do sol e a vasta gama de cores que apresentam seus bosques: montanhas na cor de marrom e amarelo repletas de árvores com folhas avermelhadas, como as lengas e os álamos. E, assim como nas outras estações, o que não falta são atividades para fazer em mais essa estação. Percorrer o Circuito Chico, chegar à base do Monte Catedral, visitar o bar de gelo, estar em contato com a natureza e muito, muito mais, deve entrar no roteiro de quem se aventura até a região entre março e junho. Viva a experiência completa de outono e, quem sabe, você até tem a sorte de ver a primeira nevasca do ano?


O outono começou, exatamente, em 20 de março, e marcou o início da queda das temperaturas na cidade. Nos dois primeiros meses do ano, os termômetros chegam a marcar até 30 graus. Em junho, quando termina a estação, a temperatura máxima não chega a 5 graus, que é quando podem ocorrer as primeiras nevascas, já preparando a cidade para a temporada de inverno. Para celebrar a semana santa e a Páscoa, a cidade sedia o Festival do Chocolate, de 18 a 21 de abril. Fora do festival, a cidade abriga diversas chocolaterias em uma única rua, a Calle Mitre, onde os visitantes se deliciam com essa iguaria, que é uma das especialidades da região.


Um passeio completo (e quase obrigatório) para conhecer Bariloche de uma ponta a outra é o Circuito Chico. O roteiro começa no centro da cidade, seguindo pela margem sul do Lago Nahuel Huapi. Avançando pela Avenida Bustillo, você encontra o Club Regatas na altura do quilômetro 20 – é lá onde fica a península de San Pedro. O circuito segue para a península Llao Llao, passa pela Villa Tacul, depois pelo Lago Moreno, onde é possível conhecer a Colonia Suiza, um pedaço da Suíça em Bariloche. A 17 quilômetros do Centro da cidade, o Circuito Chico passa pelo monte Campanário, um dos mirantes mais lindos com vista privilegiada da cidade toda. No caminho do circuito, existem várias casas de chá muito charmosas e aconchegantes, onde é possível fazer uma parada para se aquecer e admirar a paisagem local.


Para quem gosta de natureza, a Ilha Victoria e o Bosque de Arrayanes são uma boa pedida. Considerado um dos passeios mais lindos da região, o turista pode embarcar em um catamarã e navegar pelas águas calmas do Lago Nahuel Huapi. Com paisagens deslumbrantes, a Isla Victoria brinda o viajante com pinheiros, praias desertas, água verde-esmeralda e um “clima” que vai de sossegado a romântico – além de inesquecível. Para quem adentra o Bosque de Arrayanes, confere uma vegetação típica que parece de filmes e livros de personagens em quadrinho. Em meio à floresta, a caminhada se torna mágica.


Publicidade