Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Museu a céu aberto

A cidade dos profetas apresenta riqueza histórica, arquitetônica e cultural eternizada pelas mãos do mestre Aleijadinho


postado em 01/01/2019 05:06

Basílica de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas, é um dos cartões-postais de Minas Gerais (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press %u2013 28/6/18 )
Basílica de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas, é um dos cartões-postais de Minas Gerais (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press %u2013 28/6/18 )

 


 








“No anfiteatro das montanhas
Os profetas do Aleijadinho
Momentalizam a paisagem
[…] Bíblia de pedra-sabão
Banhada no ouro das Minas”
Oswald de Andrade

Um dos maiores e mais representativos cartões-postais de Minas Gerais está localizado a 80 quilômetros de Belo Horizonte. Congonhas se destaca entre muitas e é uma das mais tradicionais cidades mineiras. Um passeio pela cidade é uma verdadeira viagem no tempo. Congonhas tem expressivo conjunto de riqueza barroca criado por Antônio Francisco Lisboa, o famoso Aleijadinho. As manifestações de fé conferem ao local um valor espiritual e cultural transcendente.

A fama do Santuário do Bom Jesus de Matosinhos ultrapassa a questão religiosa; guarda um dos maiores patrimônios artísticos do Brasil. Aleijadinho esculpiu em pedra-sabão as famosas imagens de 12 profetas em tamanho real que são visitadas anualmente por milhares de turistas do Brasil e de todo o mundo. Representados pelas estátuas estão Jeremias, Baruc, Ezequiel, Daniel, Oseias, Joel, Abdias, Amós, Jonas, Habacuc, Nahum e Isaías.

Além disso, as seis capelas que formam o Jardim dos Passos em frente à basílica representam a via-sacra com 64 imagens esculpidas em cedro, também pelo artista. O caminho relembra momentos como o Passo da Ceia, Horto, Prisão, Flagelação e Coroação de espinhos, Calvário (Cruz às costas) e Crucificação. O conjunto também tem a Sala dos Milagres, que abriga uma coletânea de ex-votos, objetos oferecidos em agradecimento por graças alcançadas. Em 1985, todo o conjunto foi tombado pela Unesco como patrimônio cultural da humanidade.

Entre as igrejas, destaque para a Capela de Nossa Senhora da Ajuda, a Capela de Nossa Senhora da Soledade, a Igreja de Nossa Senhora do Rosário (a mais antiga de Congonhas), a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição e a Igreja Matriz de São José.

ATRATIVOS

Porém, não são apenas igrejas e monumentos religiosos que atraem os turistas. Congonhas tem museus, parques e construções que impressionam. O Parque da Cachoeira é ideal para passeios com a família em um fim de semana. Tem 10 piscinas de água corrente, quadras poliesportivas, campo de futebol, playground, churrasqueiras e quiosques, anfiteatro, restaurante, lanchonete, camping e estacionamento. Localizado a cinco quilômetros do Centro de Congonhas, abriga a Cachoeira de Santo Antônio em uma área de preservação ecológica.

Uma das construções emblemáticas para a cidade é a antiga Romaria, construída em 1932. A hospedaria circular com um grande pátio no centro serviu de pousada aos fiéis que vinham para o Jubileu do Senhor Bom Jesus de Matosinhos, realizado de 7 a 14 de setembro. Em agosto de 1981, esse monumento, que foi parcialmente demolido em 1968, foi tombado pelo Decreto-lei 21.178. Em 1995, conforme o projeto original, foi reconstruída.


Publicidade