Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Entre rosas, pedras e ovelhas


postado em 11/12/2018 05:10

Harmonização de vinhos é o forte no turismo da região
Harmonização de vinhos é o forte no turismo da região

 

 

Quem visita o Vale dos Vinhedos se apaixona. Ainda mais quando se visita a Vinícola Cainelli e se conhece a história da família de imigrantes italianos que tocaram a terra e fizeram do lugar um solo sagrado. À frente do negócio familiar, Roberto Cainelli, a esposa Bernadete e o filho Roberto Cainelli Jr. sabem como oferecer aos seus visitantes momentos lúdicos de puro prazer. Bernadete é quem nos convida a conhecer a casa, comprada em 1929. Dentro dela, é possível regressar ao passado e sentir na pele como era a vida simples dos antepassados dos seus primeiros moradores.


Hoje, a casa-museu conserva o mobiliário e, nesse lugar de puro encanto, a família Cainelli. E eles sabem, com maestria, o que é vivenciar o turismo de experiência. Tudo começa pela visita ao terroir a bordo de winetuc comandado pelo viticultor Roberto Cainelli. Nesse passeio na carroceria de um tuc-tuc, o turista visita os vinhedos, conhece o solo e o clima local.


Ele nos explica a presença das rosas plantadas à frente de cada fileira de videiras. “As rosas são a “protetoras” das uvas. Os roseirais são os primeiros a serem atacados por uma praga (formiga ou pulgão). Assim, ficamos de prontidão para combatê-la”, explica. No retorno, uma degustação no deque com os vinhos que representam a Cainelli, incluindo a linha Origem1929. Para janeiro do próximo ano, a grande expectativa é a tão esperada Vindima na Cainelli. É o momento de celebrar o trabalho de um ano inteiro com muito vinho, uva, comida e música. Com direito à experiência única de colher e pisar nas uvas.


A antiga estrada por onde passavam os tropeiros que liga Bento Conçalves a Porto Alegre é conhecida como Caminho de Pedras por causa das construções dos imigrantes, que ergueram suas casas sobre porões de pedras para poder conservar as carnes e vinhos. Depois de anos de abandono, a região foi redescoberta e virou polo turístico-gatronômico. Entre os empreendimentos está a Casa da Ovelha. Quem vista o local não consegue sair lá sem uma vontade louca de ter uma ovelhinha peludinha em casa. Na visita ao local, crianças e adultos acompanham desde a amamentação e alimentação das ovelhas. O ponto alto fica pela exibição-show do pastoreio. Nela, o visitante acompanha a conexão de um adestrador (pastor) com o cão da raça bolder collie ao movimentar as ovelhas. Vale toda a visita! A Casa da Ovelha processa aproximadamente 250 mil litros de leite por ano. Ela produz alimentos saudáveis sem glúten e lactose e produtos como iogurtes, doces e queijos.


E na mesma estrada, uma visita a dois ícones da região: a Casa da Erva-Mate (no casarão de madeira tivemos a demonstração do processo de produção artesanal da erva do chimarrão gaúcho em um maquinário antigo movido por uma charmosa roda d’água), e a experiência gastr-etílica no Casa Vanni Adegga e Vino Bar (degustamos um almoço divino harmonizado com vinhos finos). Para fechar, degustar cada nota de um suave espumante deitado em uma espreguiçadeira, enquanto a sensação de prazer era amplificada pelo som de uma cascatinha bem à nossa frente.


Publicidade