Publicidade

Estado de Minas AMÉRICA

'Nunca acreditei na saída do Mancini', afirma presidente do América

Em publicação nas redes sociais, Alencar diz ter sido pego de surpresa com o pedido de demissão do técnico


15/10/2021 07:05 - atualizado 15/10/2021 07:15

Após quatro meses no comando do América, Vagner Mancini deixou o clube nesta quinta-feira (14)
Após quatro meses no comando do América, Vagner Mancini deixou o clube nesta quinta-feira (14) (foto: Mourão Panda/América)
O América foi pego de surpreso nesta quinta-feira (14).  No final desta tarde, o técnico Vagner Mancini pediu demissão do clube e aceitou uma proposta para ser o novo treinador do Grêmio . Em uma postagem no seu twitter oficial, o presidente do Coelho, Alencar da Silveira Jr., afirma ter sido pego de surpreso com a decisão.

"Nunca acreditei na saída do Mancini. Pela convivência, pelo trabalho e pela família que foi formada dentro do América", afirma o dirigente. Ainda sem um substituto para a vaga deixada por Vagner, o mandatário disse que o departamento de futebol do clube vai continuar trabalhando para fazer um América cada vez mais forte e para alcançar seus objetivos nesta temporada.

Na publicação, Alencar também pede por mudanças no meio da bola: "O futebol tem que parar com essa mudança constante de treinadores". Contratado pelo em junho, Vagner Mancini comandou o Coelho em 21 partidas, tendo 47,6% de aproveitamento. Neste período, o clube somou sete vitórias, nove empates e cinco derrotas, melhorando seu desempenho no Campeonato Brasileiro, onde ocupa atualmente a 11ª colocação. Ele foi o segundo técnico alviverde em 2021, sendo contratado para substituir Lisca, que havia pedido demissão poucos dias antes de sua chegada.

Ainda nesta quinta, o presidente americano havia afirmado ao Superesportes que "Mancini construiu uma família de jogadores no América", ressaltando que o Grêmio teria de ir atrás de outro treinador, pois Vagner estava satisfeito no Coelho e iria permanecer no clube.

Confira a nota completa de Alencar:

Nunca acreditei na saída do Mancini. Pela convivência, pelo trabalho e pela família que foi formada dentro do América. O futebol tem que parar com essa mudança constante de treinadores. Mas vida que segue, o América é superior e o trabalho precisa continuar.

Agora, o departamento de futebol vai continuar esse trabalho para fazer um América cada vez mais forte e para alcançarmos nossos objetivos nessa temporada.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade