Publicidade

Estado de Minas AMÉRICA

América tem bons motivos para pensar na final do Mineiro

Vale o retrospecto da equipe sob o comando de Cauan de Almeida, auxiliar técnico de Lisca, que será o responsável por comandar o time no clássico


07/05/2021 13:02 - atualizado 07/05/2021 13:05

O auxiliar Cauan de Almeida comandou o América em nove partidas e está invicto: se mantiver a escrita, o time irá à final(foto: Daniel Hott/América %u2013 26/1/20)
O auxiliar Cauan de Almeida comandou o América em nove partidas e está invicto: se mantiver a escrita, o time irá à final (foto: Daniel Hott/América %u2013 26/1/20)

O América tem bons motivos para acreditar que voltará a disputar a final do Campeonato Mineiro após cinco anos. Há mais do que a vantagem construída diante do Cruzeiro, já que pode até perder por um gol de diferença no domingo, que, ainda assim, se classificará. Vale o retrospecto da equipe sob o comando de Cauan de Almeida, auxiliar técnico de Lisca, que será o responsável por comandar o time no clássico. Com o profissional à beira do gramado, o Coelho nunca perdeu.



Cauan comandou o América em nove oportunidades desde a chegada de Lisca, em janeiro de 2020 – em jogos do Estadual, do Campeonato Brasileiro e também da Copa do Brasil. Obteve sete vitórias e dois empates – com impressionantes 85,1% de aproveitamento. Nesses confrontos, o Coelho marcou 11 gols e sofreu apenas dois.

O auxiliar foi promovido do time sub-17 para a comissão técnica permanente em meados de 2019, por Felipe Conceição – hoje, técnico do Cruzeiro. Sua primeira oportunidade no 'comando' profissional do alviverde ocorreu justamente após a saída de Conceição, enquanto o clube aguardava a chegada de Lisca. Em 29 de janeiro de 2020, Cauan dirigiu o Coelho na vitória por 1 a 0 sobre o Tupynambás, em Juiz de Fora, pela primeira fase do Campeonato Mineiro.

De lá para cá, foi acionado em outras oportunidades devido a suspensões de Lisca. No domingo, às 16h, no Independência, Cauan comandará novamente o América contra o Cruzeiro, já que o treinador recebeu seu terceiro cartão amarelo no Estadual na primeira partida da semifinal. Como venceu por 2 a 1 no Mineirão, o Coelho joga por um empate, e pode até mesmo perder por um gol de diferença que avançará à grande decisão.

Iniciativa

 
O zagueiro Anderson, porém, afirmou que o alviverde não entrará pensado em empatar nem mesmo em administrar a vantagem. A promessa, segundo ele, é de atuar em busca de uma segunda vitória. “Sabemos que no futebol existem essas vantagens, mas não vamos ‘sentar nela’, não vamos jogar para empatar e nem nos omitir. Vamos jogar nosso futebol, tentar ser melhor do que fomos no primeiro jogo e colocar em prática o nosso trabalho. Vamos com tudo em cima da passagem para a final”, afirmou.

Na visão do defensor, de 26 anos, mudar o estilo de jogo num momento como esse talvez não seja a escolha ideal: “Vamos trabalhar do jeito que estamos trabalhando e jogar do jeito que estamos jogando. Vamos melhorar, colocar em prática nossas construções, definições e jogo apoiado. Sabemos que no primeiro jogo não fomos muito efetivos, mas sabemos que podemos melhorar. Um jogo pode ser abaixo, mas no outro podemos melhorar e futebol é assim. No domingo temos total condição de conseguir a classificação. Sabemos que será difícil, vamos enfrentar uma grande equipe, mas temos condição de passar para a decisão”.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade