Publicidade

Estado de Minas MINAS TÊNIS CLUBE

William diz que conquista do feminino traz 'energia positiva' ao Minas

Levantador da equipe minas-tenista espera que título do feminino motive equipe masculina nas semifinais da Superliga


06/04/2021 20:38 - atualizado 06/04/2021 20:55

William elogiou time feminino campeão e espera 'boa energia' para o Minas na Superliga Masculina (foto: Orlando Bento/Minas)
William elogiou time feminino campeão e espera 'boa energia' para o Minas na Superliga Masculina (foto: Orlando Bento/Minas)
Jogador mais experiente e um dos líderes do Minas em quadra, o levantador William é uma das armas da equipe mineira para o duelo contra o Itapetininga, nesta quarta-feira (7/4), às 16h30, em Saquarema-RJ, na abertura das semifinais da Superliga Masculina. O veterano vibrou com o título do time feminino, que bateu o Praia Clube na final, em três confrontos eletrizantes, e levantou a quarta taça nacional.

“Parabéns para as meninas. É um titulo importante para o clube, um time montado para ganhar e que deu resultado. Comentei já com o time, vi vídeos, foi muito bacana", disse o levantador, em entrevista virtual promovida pela CBV nesta terça-feira.

Ele espera que o título no feminino traga bons fluidos para o time masculino, que vai brigar para chegar à decisão na mesma quadra do Centro de Desenvolvimento de Vôlei (CDV).

"E espero que elas tenham deixado a energia positiva ali na quadra para a nossa equipe. Acompanho um pouco o feminino e sei que o psicológico influencia muito, mesmo com sets de altos e baixos, mesmo com 25 a 12, parece que é 15 a 15. Deu tudo certo”, acrescentou o levantador, acostumado a grandes jogos e conquistas – foi campeão olímpico nos jogos do Rio de Janeiro, em 2016, e levantou diversas taças com o Cruzeiro, entre elas três do Mundial de Clubes e cinco da Superliga.

Sem favorito


Questionado se o Minas, por ter feito melhor campanha na fase de classificação – foi o quarto colocado, enquanto o Itapetininga ficou em oitavo –, poderia ser encarado como favorito nas semifinais, o levantador rechaçou essa hipótese.

Ele disse que a eliminação do Cruzeiro diante do rival paulista, com duas derrotas em Contagem, nas quartas de final, mostrou que em uma etapa decisiva não há vantagem antes de a bola subir.

“Na semifinal e na final quem chegou é por méritos, é porque tem qualidade, então não acredito em favoritismo de nenhum lado, todos os times estão em condições iguais”, argumentou William, de 41 anos, que chegou ao Minas após duas temporadas no Sesi-SP e sete no Cruzeiro.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade