Publicidade

Estado de Minas FUTEBOL MINEIRO

Atlético: pausa do futebol é senha para a recuperação de jogadores

Parada do futebol até o fim de março será respiro pelo menos para quatro jogadores no Atlético


24/03/2021 13:01 - atualizado 24/03/2021 14:34

Com pequena contusão na coxa direita, o atacante Diego Tardelli terá mais tempo para tratamento da contratura muscular(foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS 7/3/21 )
Com pequena contusão na coxa direita, o atacante Diego Tardelli terá mais tempo para tratamento da contratura muscular (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS 7/3/21 )

A pandemia de COVID-19 tem interferido na vida de todos, assim como no futebol. Mas ao menos para quatro jogadores do Atlético a parada da bola até 31 de março foi benéfica. O zagueiro Réver, o volante Alan Franco e os atacantes Savarino e Diego Tardelli aproveitam o momento para aprimorar a forma ou se recuperar de problemas físicos, devendo estar à disposição do técnico Cuca já em 1º de abril, quando o Galo visita a Caldense, pela sexta rodada do Campeonato Mineiro.

Segundo o preparador físico Cristiano Nunes, o momento é mesmo de se valer da paralisação da melhor forma possível, dando homogeneidade ao grupo, que foi dividido em dois depois do fim da temporada 2020, em fevereiro. Enquanto os principais atletas ganharam folga de 10 dias, os demais disputaram as quatro primeiras rodadas do Estadual.

“É uma semana que se abre para treinamento, que serão intensificados, principalmente para os que se apresentaram depois, que terão atividades em tempo integral. Vamos complementar a parte física. O grupo tem se comportado bem, mas é início de temporada e precisamos evoluir, intensificando as atividades. E a partir da semana que vem, que todos estejam em melhores condições para suportar a sequência de jogos que teremos pela frente”, afirma ele.

No caso de Réver, Alan Franco e Savarino, eles nem estrearam ainda na temporada 2021. Enquanto os dois gringos tiveram problemas para retornar ao Brasil em função do cancelamento de voos devido às restrições impostas pelo novo coronavírus, o defensor, de 36 anos, está merecendo cuidado especial da comissão técnica para suportar a série de partidas, que promete ser pesada.

“O Réver vem realizando atividades direcionadas para a sua questão muscular, procurando fortalecer a sua estrutura, dando uma base de musculatura, para que ele consiga suportar a sequência de jogo, a temporada. Estamos diferenciando um pouquinho as atividades dele e o jogador está respondendo muito bem. Evidentemente, nós precisaremos também ter um controle com ele com relação à minutagem, fazer com que ele aumente a participação em jogos oficiais de forma gradual”, sinaliza Nunes.
Já sobre Tardelli, que fará 36 anos em 10 de maio, há ainda a questão de ele estar vindo de longo período afastado devido a cirurgia no tornozelo. Retornou bem, até mesmo fazendo gol no Mineiro, mas teve pequena lesão na coxa direita e ficou fora dos dois últimos duelos.

Evoluindo

Até por esse histórico recente, é outro que vem sendo bem cuidado na Cidade do Galo. “O Tardelli teve uma interrupção grande depois da lesão no tornozelo no ano passado, está se recuperando bem de uma pequena lesão que teve. Porém, nesse retorno, também estão direcionadas as atividades no tocante à sua questão muscular. É importante também que este atleta gradualmente aumente a sua minutagem em jogos oficiais, que nós tenhamos paciência com ele, em virtude do tempo de inatividade que aconteceu em relação à sua lesão”, analisa o preparador.
E cita o que pode ajudar: “Isso acontecendo, com esse controle de carga de trabalho e da minutagem em jogos oficiais, com certeza o Tardelli vai poder nos ajudar muito, por sua qualidade técnica e seu comprometimento no dia a dia. É um atleta que está extremamente aplicado naquilo que está sendo proposto a ele”.

Enquanto isso...
...Cuca retornando

O técnico Cuca e o auxiliar Cuquinha devem voltar a comandar as atividades na Cidade do Galo hoje. Eles viajaram depois do jogo com o Coimbra, sábado, para Coritiba e ontem acompanharam a traqueostomia da mãe, Nilde, que está internada na UTI de um hospital da capital paranaense tratando de COVID-19. Eles já haviam demorado um pouco para assumir os cargos este mês, justamente em função do estado de saúde dela.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade