Publicidade

Estado de Minas CRUZEIRO

Negociação com América-RN esfria, e Zé Eduardo deve voltar ao Cruzeiro; entenda

Sem espaço na Toca da Raposa II, atacante estava próximo de acertar com o clube do Rio Grande do Norte


16/11/2020 11:25 - atualizado 16/11/2020 16:06

Zé Eduardo ainda não jogou sob o comando de Felipão(foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
Zé Eduardo ainda não jogou sob o comando de Felipão (foto: Gustavo Aleixo/Cruzeiro)
As negociações entre Cruzeiro e América-RN para a volta do atacante Zé Eduardo ao Rio Grande do Norte esfriaram. Algumas cláusulas do negócio não agradaram ao jogador e aos dirigentes do time nordestino.  

Em comunicado enviado à imprensa no sábado, o Cruzeiro informou que emprestava Zé Eduardo ao América com algumas condições, como o pagamento de apenas 20% do salário, o cancelamento da taxa de vitrine de 15% que havia sido oferecida ao América no retorno do atleta à Toca e a possibilidade de requisitar o retorno do Zé Eduardo a qualquer momento.

Nesses termos, o América não fechou negócio, pois queria manter pelo menos 10% de vitrine em uma eventual venda do Zé Eduardo.

Além disso, Zé Eduardo, no novo contrato assinado com o Cruzeiro, tinha previsão de reajuste salarial de R$ 25 para R$ 40 mil a partir de janeiro de 2021. O Cruzeiro, para liberar o jogador, pediu que ele abrisse mão dessa cláusula durante todo o ano. O atacante não aceitou essas condições. Topou abrir mão do reajuste somente até abril de 2021.

O único acordo firmado foi o tempo de contrato do empréstimo. O América pediu cessão do atleta até o fim de 2021, mas o Cruzeiro propôs somente para o restante da Série D. O time nordestino aceitou. 

Sem chances no Cruzeiro

Na última segunda-feira, Zé Eduardo ficou no banco de reservas no empate do Cruzeiro com o Guarani, por 3 a 3, no Mineirão, pela 21ª rodada da Série B. O técnico Luiz Felipe Scolari optou por colocar Thiago no lugar de Sassá, aos 18 minutos do segundo tempo. Ele respondeu sobre a escolha na entrevista coletiva pós-jogo e garantiu que a decisão foi tomada mediante análise técnica nos treinamentos.

“Vou colocando aqueles que eu acho que para determinados jogos são os mais talhados, dependendo dos treinamentos e da situação da partida. O Thiago, se ele foi colocado para jogar no sub-20, é porque nós vínhamos observando o Thiago e o colocamos para jogar no sub-20 para ganhar um pouco mais de ritmo”, disse.

“Quanto a outros jogadores que jogam ou não jogam, são observados nos treinos e dentro de partidas que nós imaginamos contra adversários e tentamos colocar aqueles que são escolhidos para determinados jogos por causa de uma situação ou outra. O Thiago entrou muito bem, fez aquele pivô, é um jogador alto e forte, precisávamos de alguém ali por uma bola aérea. Ele fez o seu papel, e eu fiquei muito satisfeito”, complementou Felipão.

Sem perspectivas de atuar no Cruzeiro, o próprio Zé Eduardo comunicou à diretoria e à comissão técnica o desejo de sair. No América-RN, ele terá a concorrência de Wallace Pernambucano, artilheiro da equipe na Série D, com sete gols em 11 partidas. O Mecão é o primeiro colocado do Grupo 3, com 24 pontos. Os quatro melhores da chave avançam à segunda fase, a ser disputada por 32 equipes. Os semifinalistas sobem à Série C de 2021.

Além dos cinco gols pelo América de Natal, Zé Eduardo balançou a rede quatro vezes em cinco jogos a serviço do Villa Nova no Campeonato Mineiro 2020. Os nove tentos na temporada, portanto, o colocam à frente dos colegas de posição no elenco cruzeirense

Apesar dos bons números, o jovem não convenceu Scolari de que merecia uma chance. O treinador prefere contar com nomes experientes, como o boliviano Marcelo Moreno e o recém-contratado Rafael Sobis. Outro reforço que pode ser confirmado na próxima semana é Jonathan Copete, do Santos.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade