Publicidade

Estado de Minas

A pedido de Ney Franco, Cruzeiro encaminha contratação de Giovanni Piccolomo, do Coritiba

Meia já foi liberado do Coxa e deve assinar até o fim de 2021


23/09/2020 17:32 - atualizado 23/09/2020 18:12

Giovanni, do Coritiba, está a caminho do Cruzeiro(foto: Coritiba/Divulgação)
Giovanni, do Coritiba, está a caminho do Cruzeiro (foto: Coritiba/Divulgação)

A pedido do técnico Ney Franco, o Cruzeiro encaminhou a contratação do meia Giovanni Piccolomo, do Coritiba. A informação da Rádio Banda B foi confirmada ao Superesportes por Paulo Pelaipe, diretor-executivo do clube paranaense.

“Procede sim. Recebemos ontem um e-mail do Deivid, diretor do Cruzeiro, oficializando o interesse no Giovanni. Como o jogador não estava mais nos planos, acertamos a rescisão”, disse o dirigente.

 

De acordo com Pelaipe, o empresário Ricardo Scheidt comunicou ao Coritiba que o contrato de Giovanni com o Cruzeiro será até dezembro de 2021.

 

Procurado, o agente não atendeu aos telefonemas e nem respondeu as mensagens. O clube celeste, por sua vez, adota o discurso de não comentar negociações que não estejam concretizadas.

 

Giovanni Piccolomo, de 26 anos, foi peça importante no Goiás treinado por Ney Franco em 2018. Na Série B, ele marcou cinco gols em 33 jogos, além de contribuir com nove assistências. O time subiu à elite nacional em quarto lugar, com 60 pontos.

 

Em janeiro de 2019, o Coritiba anunciou Giovanni para ser o camisa 10. Na temporada, ele participou de 42 jogos oficiais e marcou quatro gols. Na Série B, obteve o segundo acesso consecutivo ao integrar o elenco terceiro colocado, com 66 pontos.

 

No início de 2020, o meia sofreu uma lesão no tendão direito durante um treinamento no Coxa e precisou passar por cirurgia. A recuperação completa durou cerca de oito meses.

 

O retorno oficial de Giovanni foi em 6 de setembro, no revés para o Atlético por 1 a 0, no Couto Pereira, em Curitiba, pela oitava rodada do Brasileirão. Ele entrou aos 38min do segundo tempo.

 

Dois dias depois, o jogador publicou uma mensagem no Instagram, na qual revelou ter cogitado encerrar a carreira, porém conseguiu se manter focado na recuperação graças ao apoio de familiares e amigos.

 

Segundo a Rádio Transamérica, o Coritiba manterá 30% dos direitos econômicos de Giovanni, que tem como principais virtudes o chute de média distância, a bola parada e o passe vertical, mas necessita de adquirir o condicionamento físico ideal.

 

Punição na Fifa

 

Para registrar Giovanni, o Cruzeiro precisa se livrar do transfer ban na Fifa. O motivo é a dívida de 1.159.786,31 euros (cerca de R$ 7 milhões) com o Zorya, da Ucrânia, referente à compra dos direitos econômicos do atacante Willian, em julho 2014.

 

Em razão dessa sanção, o clube ainda não regularizou o atacante Iván Angulo, emprestado pelo Palmeiras até o fim da Série B. A mesma situação se aplica ao meia Matheus Índio, revelado no Vasco e que estava no Estoril, de Portugal.

 

No dia 15 de setembro, o Cruzeiro divulgou que uma perícia concluiu a autenticidade dos e-mails do Zorya aceitando a proposta de parcelamento de 1 milhão de euros em dez vezes e cedendo os créditos ao Alik Football Management, da Estônia. Os ucranianos contestaram esse acordo à entidade máxima do futebol.

 

Como alternativa à proibição, a Raposa solicitou o retorno do atacante Zé Eduardo, autor de nove gols em 10 jogos em 2020 (Villa Nova e América-RN), e reintegrou o meia Marquinhos Gabriel, que estava no Athletico-PR.

 

Também por recomendação de Ney Franco, a diretoria desistiu de emprestar o lateral-esquerdo Giovanni e o recolocou nos planos para ser alternativa ao jovem Matheus Pereira, de 19 anos. 

 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade