Publicidade

Estado de Minas FUTEBOL E A COVID-19

Prefeitura de BH ainda não autoriza volta de público aos estádios: 'Decisão cabe ao município'

CBF ganhou a aprovação do Ministério da Saúde para que as equipes da Série A do Campeonato Brasileiro voltem a receber torcedores nos estádios


22/09/2020 17:43

Mineirão (foto) e Independência continuam com portões fechados para os torcedores até segunda ordem (foto: Mineirão/Divulgação)
Mineirão (foto) e Independência continuam com portões fechados para os torcedores até segunda ordem (foto: Mineirão/Divulgação)

Apesar da aprovação do Ministério da Saúde para que os jogos das equipes da Série A voltem a receber público a partir de outubro, a Prefeitura de Belo Horizonte diz ser soberana para tomar a decisão no município e ainda não autoriza a presença de torcedores nos estádios.

 

"A Secretaria Municipal de Saúde e o Comitê de Enfrentamento à Covid, neste momento, não autorizam o retorno das torcidas aos estádios em Belo Horizonte. A SMSA não recebeu qualquer notificação ou comunicado a este respeito e reafirma que essa decisão cabe ao município”, disse a assessoria da PBH por meio de nota.

 

No sábado, o Estado de Minas/Superesportes já havia publicado reportagem com o veto da PBH aos jogos com público na capital mineira. "A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que ainda não há previsão de retorno da torcida aos jogos de futebol".

 

O total de casos de COVID-19 em Minas Gerais continua subindo, assim com o número de óbitos. Nas últimas 24 horas, foram mais 2.039 pessoas infectadas, chegando a 273.233. Também foram registradas mais 37 mortes, totalizando 6.764 vidas perdidas. Os dados são do boletim da Secretaria de Estado de Saúde divulgado na manhã desta terça-feira. 

 

Ainda segundo o boletim, há 239.717 pessoas recuperadas da doença e outros 26.752 casos em acompanhamento.

 

Em Belo Horizonte, cidade com o maior número de casos no estado, a taxa de transmissão voltou a aumentar, deixando a capital novamente em estado de alerta. Isso acontece quando um paciente infectado transmite a doença para ao menos uma outra pessoa. A taxa mais atualizada é de 1,03.

 

Governo Federal deu aval à CBF

 

Nesta terça-feira, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) ganhou a aprovação do Ministério da Saúde para que as equipes da Série A do Campeonato Brasileiro voltem a receber torcedores nos estádios. As propostas de plano sanitário e de protocolo enviadas ao órgão federal ganharam o aval. O objetivo é liberar a presença de até 30% da capacidade de público em outubro, mas ainda sem data definida.

 

Para prosseguir com o plano, porém, será necessário receber a permissão das autoridades sanitárias de estados e prefeituras.

 

Nas últimas semanas, a CBF havia elaborado um rascunho da proposta com informações preliminares. O conteúdo trazia principalmente a limitação para somente a torcida mandante frequentar os estádios e não contempla as Séries B, C e D do Brasileiro.

 

O plano da entidade é nas próximas semanas aprofundar a discussão com os clubes para se ter um protocolo mais rígido de conduta e de cuidados com o distanciamento social.

 

Alguns clubes incentivam o retorno da torcida principalmente para amenizar problemas com bilheteria. Como os jogos têm sido realizados com portões fechados desde o início da competição, as equipes têm acumulado prejuízos com os custos operacionais das partidas.

 

A CBF avalia uma forma de em todos os estados ser possível ao mesmo tempo retomar a presença de torcida, para não gerar o desequilíbrio competitivo de um time ter público em casa e o outro, não.

 

Os últimos jogos com a presença de público no Brasil foram em março, ainda antes da paralisação pela pandemia do novo coronavírus, Os campeonatos nacionais recomeçaram em agosto, sem público. 

 

Posição dos clubes mineiros

 

Em Minas Gerais, os presidentes do Atlético, Sérgio Sette Câmara, e do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, já se posicionaram favoravelmente ao retorno da torcida.

 

Segundo dados do próprio Ministério da Saúde publicados nessa segunda-feira, o Brasil registrou 4.558.068 casos de COVID-19, dos quais 137.272 resultaram em mortes. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade