Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO BRASILEIRO

Empate que dá confiança

A estratégia traçada pelo técnico Rodrigo Santana com três zagueiros deu certo e por pouco o Atlético não volta de São Paulo com uma vitória sobre o Palmeiras


postado em 07/10/2019 04:00

O venezuelano Otero fez outra boa partida e deu trabalho à defesa palmeirense(foto: Bruno Cantini/Atlético)
O venezuelano Otero fez outra boa partida e deu trabalho à defesa palmeirense (foto: Bruno Cantini/Atlético)


O empate por 1 a 1 com o Palmeiras, ontem, no Allianz Parque, em São Paulo, deixou os atleticanos com sentimentos dúbios. Se o ponto conquistado fora de casa, diante de um dos melhores times do Campeonato Brasileiro, merece ser comemorado, o fato de ter cedido a igualdade aos 37min da etapa final, depois de ser melhor na maior parte do jogo e ter saído na frente, deixou gosto amargo na boca alvinegra.


Ao menos a atuação convincente, uma das melhores no ano, deixa expectativa de melhor sorte no futuro. Até porque a adoção do esquema com três zagueiros se mostrou acertada, apesar do pouco tempo para treiná-lo.


“Antes do jogo todos concordariam que um ponto contra o Palmeiras estaria excelente. Mas devido às circunstâncias de jogo lamentamos não ter conquistado os três pontos. Acredito que o mais importante foi a entrega, a raça, a determinação. Os jogadores foram ao limite”, afirmou o técnico Rodrigo Santana.


Os atletas concordam. “A gente fica chateado porque estávamos à frente no placar, mas ficamos satisfeitos pela entrega do grupo. O Rodrigo montou estratégia que deu muito certo e temos de valorizar este ponto”, disse o lateral-esquerdo Fábio Santos.


Os próximos compromissos são contra o líder Flamengo, fora de casa, e Grêmio, no Independência, paradas consideradas dificílimas, ainda mais que a equipe não poderá contar com o goleiro Cleiton e o lateral Guga, convocados para a Seleção Brasileira; o armador Otero, convocado para a Seleção Venezuelana; e o armador Luan, suspenso por ter recebido o terceiro cartão amarelo.


“Nosso momento, olhando para a tabela, é difícil. Mas se a gente conseguir bons resultados, podemos dar salto grande de confiança, maturidade. Então, vamos nos preparar para isso”, declarou o treinador, que aguarda para saber se poderá contar com o zagueiro Réver e o atacante Chará, que desfalcaram a equipe por problemas físicos.

 

(foto: Bruno Cantini/Atlético)
(foto: Bruno Cantini/Atlético)
 

 

Tempos distintos

 

No jogo de ontem, o Galo começou melhor e aos 14min Di Santo desperdiçou boa chance depois de cruzamento da esquerda de Luan. Com o jogo bem disputado, mas com poucas chances claras, o time alvinegro voltou a ameaçar apenas aos 41min, novamente com o argentino, dessa vez de cabeça, obrigando Weverton a grande defesa. O goleiro também pegou chute certeiro de Otero da entrada da área. Já nos acréscimos, Gutavo Gómez conseguiu subir mais que a defesa e cabeceou com perigo, no melhor lance dos palmeirenses.


No último ataque antes do fim da etapa inicial saiu o gol. Nathan fez boa jogada individual e bateu cruzado, abrindo o placar.


Como era de se esperar, o Palmeiras voltou mais ligado para o segundo tempo. Mas desperdiçou chances, como fez Bruno Henrique aos 12min, mandando para fora depois de cruzamento da direita.
De tanto tentar, o time paulista empatou aos 37min, com Dudu. Ele tabelou por cima com Gustavo Scarpa e tocou rasteiro, mesmo com pouco ângulo, vencendo Cleiton.


Com o empate, os donos da casa foram para cima. Aos 42min, Vitor Hugo cabeceou e só não marcou por conta de grande defesa de Cleiton. Já os atleticanos se seguraram, pois não conseguiram aproveitar os contra-ataques.


“Tomara que este ponto e atuação nos traga confiança daqui para frente. Podemos jogar de igual para igual com qualquer equipe do campeonato e é assim que vamos para o jogo de quinta-feira”, ponderou Fábio Santos.


Publicidade