Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Mineiras fazem final histórica

Praia e Minas despacham times paulistas, pela semifinal da Superliga Feminina, e garantem uma decisão inédita para equipes do estado


postado em 09/04/2019 05:07

No interior paulista, minas-tenistas precisaram mostrar muita superação para derrotar o Osasco e selar a classificação(foto: João Pires/Fotojump)
No interior paulista, minas-tenistas precisaram mostrar muita superação para derrotar o Osasco e selar a classificação (foto: João Pires/Fotojump)


Pela primeira vez na história do vôlei brasileiro, equipes mineiras farão uma final nacional: Minas e Praia se classificaram, ontem, para a decisão da Superliga Feminina, ao fechar a série semifinal em 2 a 0. Em Uberlândia e diante de uma torcida enlouquecida, o Praia venceu o Sesi-SP por 3 a 0 (25/18, 25/21 e 25/14). O Minas, mesmo fora de casa, ganhou do Osasco-SP, no interior paulista, por 3 a 1 (25/15, 19/25, 27/25 e 25/19). As datas das partidas sairão em reunião entre os finalistas, a Confederação Brasileira de Voleibol e a rede de TV que transmite os jogos. A tendência é que a sequência decisiva, melhor de três, comece no dia 21, tenha o segundo duelo no dia 28 e o terceiro, caso necessário, seja disputado em 3 de maio. Atuais campeãs, as meninas do time do Triângulo buscam o bicampeonato, enquanto o Minas tenta o tri – não conquista o troféu há 17 anos.

Foram duas vitórias eletrizantes, que mexeram até com as jogadoras, tanto do Minas quando do Praia, que se mostraram emocionadas ao fim dos jogos. Em Uberlândia, o Praia teve uma noite espetacular, sobrou em quadra. O técnico Paulo Coco conseguiu o crescimento, principalmente, da defesa, que anulou a principal atacante do Sesi, Tiffany. Foram 17 pontos em bloqueios, uma das maiores marcas desta Superliga, contra apenas sete do adversário.

“Faltava consistência nos jogos anteriores. Mas hoje (ontem), o time teve um padrão. Tivemos mais equilíbrio na recepção e nosso sistema defensivo, em especial o bloqueio, funcionou bem” disse Paulo Coco.

Aniversariante do dia (completou 27 anos), a meio de rede Caro extravasou: “Estudamos muito o adversário. Encontramos maneiras para parar as melhores jogadoras delas. Além disso, conseguimos imprimir um bom saque. A gente precisava de tempo para acertar nosso entrosamento, e ele está muito melhor agora. Na decisão, assim como foi hoje (ontem), tem de ser o coração em cada bola”.

DIFICULDADES O Minas fez um jogo quase perfeito. Na opinião da ponteira Gabi, o time soube se superar: “Jogar aqui, no Ginásio José Liberatti, é muito difícil, por causa da torcida deles. O Osasco nos impôs uma série de dificuldades, mas nosso conjunto prevaleceu. Nosso ponto mais forte é o ataque, elas dificultaram com um saque que nos complicou em alguns momentos, porém, conseguimos sobressair na disputa do ponto a ponto. Tudo saiu de acordo e, agora, vamos em busca do título.”

A comemoração também teve tom de nostalgia, da meio de rede Carol Gattaz. “Acho que estou no melhor momento da minha vida. Estou no Minas há cinco temporadas e como aprendi a gostar deste clube! Será uma final eletrizante, queremos o título. Teremos um adversário difícil, o Praia vem crescendo muito, mas aposto no nosso conjunto”, destacou.

 

enquanto isso...

…Cruzeiro tenta igualar a série

Taubaté-SP e Cruzeiro fazem hoje, às 21h30, no Ginásio Abaeté, no interior paulista, a segunda partida da série melhor de cinco pelas semifinais da Superliga Masculina. O Sportv2 transmite. Em desvantagem por ter perdido o primeiro confronto por 3 a 1, sábado, em Contagem, o time celeste tenta evitar a repetição da situação de 2018. Na ocasião, os paulistas abriram 2 a 0 de vantagem também nessa fase da competição e a equipe mineira precisou virar para ir à final – na decisão, venceu o Sesi nos dois jogos e conquistou seu quinto título da Superliga. O oposto Evandro diz que é preciso mais empenho nesta noite: “São dois grandes times, sabíamos que a série não seria fácil. Estamos mordidos. Sinceramente, não esperava a derrota de sábado. Estávamos bem preparados. Temos que igualar o placar, caso contrário, a pressão será muito grande para o terceiro jogo, sábado, em Contagem”.


Publicidade