Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Ultrapassado

Os técnicos brasileiros são culpados pelo péssimo futebol dos nossos clubes


postado em 06/04/2019 05:08

(foto: CARL DE SOUZA/AFP)
(foto: CARL DE SOUZA/AFP)


Levir Culpi assumiu a culpa pelo péssimo futebol apresentado pelo Galo até aqui. Eu não esperava outra coisa, já que o time do Atlético não é tão ruim como dizem. Para mim, está no nível de 16 equipes brasileiras. Levir esteve no Japão, recentemente, perdeu oito jogos e foi mandado embora. O alvinegro não mostra um esquema de jogo seguro, que dê consistência à equipe. O primeiro tempo contra o Zamora deu calo nos olhos. Os técnicos brasileiros se sentem acima do bem e do mal, mas, na verdade, estão bem atrás dos europeus. Basta vermos um jogo dos campeonatos de lá que a gente percebe a diferença abissal. Não estou falando de jogadores de grande potencial, mas, sim, do esquema tático adotado pelos treinadores do Velho Mundo.

VENEZUELA
O futebol venezuelano cresceu em relação ao brasileiro e hoje os times de lá não se assustam mais com o nossas equipes. Recentemente, no Sul-Americano, a Venezuela ganhou da Seleção Brasileira. No jogo contra o Cruzeiro, o Deportivo Lara deu sufoco no Cruzeiro, em pleno Mineirão. E, na quarta, o Zamora chegou a abrir 2 a 0 no Galo, sucumbindo no segundo tempo. São os novos tempos do nosso futebol, que não ganha uma Copa há 17 anos e que busca uma identidade. Os jovens treinadores não conseguem se firmar. Os velhos estão ultrapassados. Há um hiato muito grande.

TIME MILIONÁRIO
Quando o Flamengo investiu em vários jogadores de nome, eu escrevi aqui que já tinha visto esse filme antes. “SeleGalo” é um exemplo. Só com De Arrascaeta, Gabigol, Bruno Henrique e Diego, o Fla gasta quase R$ 6 milhões em salários. A folha chega a R$ 15 milhões, mas, mesmo assim, o time não está jogando bem. Gosto muito do Abel Braga, mas é outro que está ultrapassado, com esquema de jogo arcaico. Pelo grupo que tem, o Flamengo era para estar voando, pois já estamos no mês de abril e até agora o futebol apresentado é pobre. Até no Campeonato Carioca o rubro-negro tem dificuldades para vencer os adversários, de futebol com qualidade duvidosa. Volto ao tema: o Brasil não tem técnicos competentes, exceto um ou dois, e ponho Renato Gaúcho como o melhor técnico da atualidade.

SERGIO SETTE BRILHA
O piloto mineiro Sérgio Sette Câmara, que tem entre os patrocinadores a MRV e o BMG, continua brilhando na Fórmula 2, conquistando pódios e deixando sua equipe feliz. Contratado como piloto de testes da McLaren, o garoto segue à risca tudo o que foi traçado para se transformar num grande piloto da principal categoria do automobilismo mundial. Arrojado, sabe como acertar um carro como poucos. Sérgio é dedicado ao extremo. Abre mão da vida social para brilhar em breve nos circuitos de F-1 do mundo. Quando está no Brasil, dá palestras, principalmente nas empresas pelas quais é patrocinado. O jovem já é um ídolo nacional e não tenho dúvidas de que em breve estará pondo o Brasil no lugar mais alto do pódio da Fórmula-1, para que possamos ouvir nosso hino novamente.


Publicidade