Publicidade

Estado de Minas COLUNA VERTEBRAL

Espondilolistese: o que é o distúrbio que acomete a cantora Alcione

Na doença ocorre um deslizamento entre duas vértebras, causando um desalinhamento, seja posterior, anterior ou lateral em relação à vértebra que está abaixo


22/07/2022 09:51

A cantora Alcione
(foto: Marcos Hermes/Divulgação)

A cantora Alcione, 74 anos, foi submetida no último domingo (17/7) a uma cirurgia na coluna vertebral devido a um quadro de espondilolistese, distúrbio em que ocorre um deslizamento entre duas vértebras, causando um desalinhamento, seja posterior, anterior ou lateral em relação à vértebra que está abaixo.

De acordo com publicação da assessoria da cantora no Instagram, o procedimento na coluna foi para tratamento de espondilolistese de L5 - VT, associada à discopatia degenerativa de L5, com sinais de radiculopatia à direita.


Segundo o médico especializado em coluna vertebral e diretor do Núcleo de Ortopedia e Traumatologia de Belo Horizonte (NOT), Daniel Oliveira, os principais sintomas da patologia são a dor lombar, dor irradiada (ciática), dor nas pernas ao caminhar, perda de força e/ou de coordenação motora e sensação de formigamento.

"Existem duas causas: a degenerativa, que ocorre em adultos e idosos devido ao desgaste das articulações facetárias e a quadros de envelhecimento da coluna vertebral; e a ístmica, mais frequente entre a última vértebra lombar e o sacro, e pode ter relação com problemas presentes no nascimento, traumas ou fraturas ocorridas na infância e adolescência, que acabam tornando a coluna mais frágil."

O médico especializado em coluna vertebral Daniel Oliveira
O médico especializado em coluna vertebral Daniel Oliveira conta que a cirurgia, como a ocorrida com Alcione, deve ser realizada apenas em casos mais graves (foto: Violeta Andrada/Divulgação)
O diagnóstico é feito a partir de exames de imagem como a radiografia, ressonância magnética e tomografia computadorizada (TC). Daniel Oliveira conta que a cirurgia, como a ocorrida com Alcione, deve ser realizada apenas em casos mais graves.

Inicialmente, o tratamento inclui repouso e medicações como uso de analgésicos e anti-inflamatórios e suporte para as costas. Dependendo do grau da espondilolistese, é feito um procedimento com injeção epidural de esteroides.

"Procedimentos cirúrgicos são indicados na falha dos tratamentos mencionados anteriormente. Nesse ponto, é importante definir se existe instabilidade (movimento anormal entre as vértebras) ou não. Nos casos sem instabilidade, pode-se realizar uma técnica mais simples apenas para descomprimir os nervos da coluna, destacando-se para isso a endoscopia de coluna, capaz de realizar o procedimento com cortes milimétricos e rápida recuperação pós-operatória. Nos casos com instabilidade, é necessário realizar uma artrodese, além da descompressão com colocação de parafusos e outros implantes na coluna", ressalta.

A prevenção continua sendo o melhor caminho, como a prática de exercícios de fortalecimento da musculatura do tronco e a realização constante de alongamentos da região.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade