Publicidade

Estado de Minas LAÇO AFETIVO

Dia do Amigo: idosos que cultivam amizades vivem mais e melhor

As relações de amizade para os idosos podem prevenir doenças cognitivas, como o Alzheimer


19/07/2022 11:39

Idosos amigos
(foto: Pixabay)

A amizade é uma relação afetiva entre pessoas e representa um dos vínculos sociais que a maioria dos seres humanos têm ao longo da sua vida. Segundo estudos, a origem da palavra amigo vem do grego e significa "sem o meu eu".

O relacionamento amigável é uma das interações interpessoais de mais profundidade e conexão. Muitas pessoas cultivam amizades que duram anos - começam na infância e vão até a terceira idade. E nesta quarta-feira (20/7), quando se lembra o Dia do Amigo e Internacional da Amizade, é pertinente falar sobre o tema.

Pesquisa realizada pela Universidade de Harvard sobre o segredo da felicidade atesta que pessoas que criam laços afetivos vivem mais e melhor. A amizade traz diversos benefícios para a saúde física e mental, especialmente quando se pensa nos idosos.

Amizade previne os sinais de depressão e doenças cognitivas

O idoso que possui relações de amizade tem redução nos níveis de ansiedade e estresse, o que pode ainda prevenir a depressão, diz a especialista em qualidade de vida na terceira idade e envelhecimento ativo, Márcia Sena. Outro benefício que a interação com amigos gera, cita a profissional, é combater sintomas e doenças cognitivas, como Alzheimer, pois as relçãos amistosas estimulam especialmente a linguagem e a memória, de suma importância para manter a mente e o intelecto ativos.

Criar novos laços de amizade é fundamental

"Novas amizades são ferramentas valiosas para manter o sistema social, mas também cognitivo e a memória em boas condições. Isso acontece devido às funções neurológicas, que continuam funcionando e promovendo conexões fundamentais para a saúde mental", acrescenta Márcia Sena.

 

Leia também: Os mitos e a realidade das amizades no século 21

Além disso, ela explica, ter amigos estimula a comunicação e a interação com novas pessoas, já que, ao longo da vida, o idoso tem algumas perdas no seu círculo de amizade, como quando sai do convívio dos colegas de trabalho, ou com a morte de um amigo de longa data.

"Essas quebras de relacionamento podem ocasionar um sentimento de solidão. Portanto, é fundamental os familiares incentivarem os idosos a construírem novos ciclos de amizades", indica Márcia.

Como o idoso pode conhecer pessoas novas e manter uma vida ativa socialmente?

É preciso que o idoso mude a rotina com atividades que gerem bem-estar, prazer e interação social, continua a especialista. "Iniciar um novo curso, praticar atividades físicas em grupo, pescar, participar de aulas de dança ou de artesanato. Claro, com a era digital, as redes sociais podem ser um bom lugar para se criarem novas amizades virtuais", exemplifica.

Na terceira idade, uma vida social ativa traz benefícios não apenas para o idoso, mas também para aqueles que estão ao redor. "Quanto mais saudável, feliz e disposto o idoso se sente, mais ele consegue viver momentos de qualidade com as pessoas que ama", conclui Márcia Sena.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade