UAI
Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2022

Aécio Neves abre mão de disputar o Senado e vai tentar se reeleger deputado

Deputado federal disse que decisão contribui para 'fortalecer' a candidatura de Marcus Pestana ao governo; pedetista disputará o Senado pela coalizão


04/08/2022 14:33 - atualizado 04/08/2022 15:36


Acesse o site: https://em.com.br / https://uai.com.br

SE INSCREVA EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE!

Siga o Portal UAI nas redes sociais:
Instagram - https://instagram.com/estadodeminas/
Twitter - https://twitter.com/em_com

#AécioNeves #Deputado #Reeleição" />
O deputado federal Aécio Neves (PSDB) anunciou, nesta quinta-feira (4/8), que vai concorrer à reeleição. Embora estivesse cotado para disputar o Senado Federal, o tucano resolveu apoiar Bruno Miranda, candidato do PDT ao posto. O movimento foi feito a fim de fortalecer a participação do também tucano Marcus Pestana na disputa pelo governo mineiro.

PSDB e PDT alinharam uma aliança em torno de Pestana. Para ter um palanque a Ciro Gomes em Minas, os pedetistas resolveram apostar em uma candidatura ao Senado.

"Avaliamos que o mais importante, neste momento, é fortalecer a candidatura de Marcus Pestana ao governo. Isso passa, também, pelo fortalecimento da nossa aliança. Vou deixar a disputa ao Senado, em nossa chapa, para Bruno Miranda, grande quadro do PDT", disse Aécio.

"Continuarei candidato a deputado federal, retomando o trabalho que venho fazendo na Câmara", completou.

O parlamentar, contudo, afirmou que a decisão de tentar novo mandato na Câmara é uma "etapa" de "um projeto que vai muito mais longe".

"Quero, dentro de algum tempo, ver Minas Gerais voltar ao tempo em que as coisas funcionavam e em que os mineiros se orgulhavam de seu governo. E não vai demorar", garantiu.

Federação PSDB-Cidadania tem racha em Minas


Nesta sexta-feira (5), o PSDB deve oficializar a candidatura de Pestana e o apoio a Bruno Miranda. O partido compõe uma federação partidária com o Cidadania, outrora chamado de PPS. Nesse modelo, agremiações que se unem precisam agir como se fossem uma legenda única.

O Cidadania, porém, anunciou que vai aderir à campanha pela reeleição do governador Romeu Zema (Novo). O endosso será informal, porque o partido é minoritário na federação com os tucanos e, em termos formais, precisará seguir com Pestana e Miranda, emprestando a ambos, inclusive, sua fatia no tempo de propaganda em rádio e TV.

O Cidadania foi cortejado por Zema para indicar o jornalista Eduardo Costa como vice-governador na chapa que tentará a reeleição. A federação com o PSDB e a candidatura de Pestana, no entanto, frustrou a ideia.

Assim, o Novo disputará o pleito com chapa puro-sangue - Mateus Simões será o vice.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade