UAI
Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2022

Datafolha: Lula tem 47%, e Bolsonaro 28%

Pesquisa revela os índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2022; Ciro Gomes aparece em terceiro, com 8%


23/06/2022 17:52 - atualizado 23/06/2022 19:08

Montagem: Lula x Bolsonaro
Lula da Silva tem 47% das intenções de votos, seguido por Jair Bolsonaro (PL) com 28% (foto: JULIEN DE ROSA / AFP e Evaristo Sá/ AFP)
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tem 47% das intenções de votos na disputa pela Presidência da República. O presidente Jair Bolsonaro (PL) vem em seguida, com 28% . É o que aponta nova pesquisa do instituto Datafolha, divulgada no fim da tarde desta quinta-feira (23/6), pelo jornal Folha de S.Paulo. Ciro Gomes, do PDT, aparece em terceiro, com 8%.


Foram apresentados como pré-candidatos: Lula, Bolsonaro, Ciro, André Janones (Avante), Simone Tebet (MDB), Luciano Bivar (União Brasil), Felipe D'Ávila (Novo), Eymael (DC), Pablo Marçal (Pros), General Santos Cruz (Podemos), Leonardo Péricles (UP), Sofia Manzano (PCB) e Vera Lúcia (PSTU).

Pesquisa estimulada de intenções de voto no 1º turno

  • Lula (PT): 47%
  • Jair Bolsonaro (PL): 28%
  • Ciro Gomes (PDT): 8%
  • André Janones (Avante): 2%
  • Simone Tebet (MDB): 1%
  • Pablo Marçal (Pros): 1%
  • Vera Lúcia (PSTU): 1%
Os votos em branco/nulo/nenhum somam 7%. Os que não souberam responder
representam 4%.

Não pontuaram Sofia Manzano (PCB), Felipe D'Ávila (Novo), General Santos Cruz (Podemos), Luciano Bivar (UB), Eymael (DC) e Leonardo Péricles (UP).


Na espontânea, Bolsonaro cresce 

A pesquisa espontânea mostra crescimento de Bolsonaro: ele passou de 22% para 25%. Lula segue líder, tendo oscilado de 38% para 37%.
  • Lula: 37% (38% em maio)
  • Bolsonaro: 25% (22% em maio)

Prisão de ex-ministro


O governo do presidente Jair Bolsonaro estava apreensivo com os números da nova pesquisa. Isso porque, os pesquisdores do instituto foram às ruas ontem, mesmo dia da prisão do ex-ministro Milton Ribeiro, em Santos, litoral paulista. 

O mandado de prisão da Operação Acesso Pago, da Polícia Federal, cita crimes de corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência.

O desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), deferiu liminar, nesta quinta-feira (23/6), e cassou a prisão preventiva do ex-ministro.

A decisão ocorreu após habeas corpus apresentado pela defesa de Ribeiro, que havia sido negado mais cedo pelo desembargador plantonista Morais da Rocha. Ele alegou que a defesa do ex-ministro não havia apresentado provas de constrangimento ilegal durante sua prisão.

Pesquisa


O Datafolha ouviu 2.556 eleitores em 181 cidades em 22 e 23 de junho. A margem de erro da pesquisa, contratada pela Folha e registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 09088/2022, é de dois pontos percentuais para mais ou menos.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade