UAI
Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2022

Lula e Kalil: advogado defenderá atingidos por drone em Uberlândia

Coordenador do Movimento Advogue pela Democracia disse que atenderá, de graça, pessoas que quiserem processar donos e operadores do drone


17/06/2022 15:23 - atualizado 17/06/2022 17:08

Drone em Uberlândia
Drone atira líquido com forte odor em apoiadores de Lula e Kalil (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Advogado e coordenador do Movimento Advogue pela Democracia, José Carlos Muniz postou hoje (17/6) em seu Twitter, que atuará gratuitamente em favor de pessoas atingidas por veneno, durante comício na quarta-feira (15) do ex-presidente Lula e do ex-prefeito de BH Alexandre Kalil, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro.

Pelo forte cheiro, em um primeiro momento, os presentes e a polícia pensaram tratar-se de fezes e urina.

Em sua mensagem, Muniz, que se apresenta como cristão e comprometido com as lutas populares, disse: "no evento do Lula em Uberlândia, um drone jogou fezes e urina no público, e o autor foi preso. Quem estava lá e foi atingido, me mande mensagem, vou auxiliar gratuitamente todos/as a ingressarem na Justiça, e o responsável vai ter que lidar com centenas de processos".

Militantes estavam reunidos no estacionamento do Centro Universitário do Triângulo (Unitri) à espera de evento. Segundo a PM, três pessoas foram detidas, e o drone, apreendido. Com os detidos foram encontradas diversas mensagens trocadas por celular, orientando a operação do aparelho e afirmando que "havia dois litros de substância venenosa" nos compartimentos.

Repercussão


Na rede social do advogado, até o início da tarde desta sexta-feira (17), havia mais de 5.600 replicadas, 429 comentários e 48 mil curtidas. Grande parte aplaudia a inciativa do advogado. A maioria dos comentários era favorável à iniciativa:

"Ótima iniciativa amigo; não podemos normalizar esse ato cruel; quem fez isso deve ser responsabilizado"

"Parabéns pela iniciativa, eles optam pela barbárie e o caos confiando na impunidade e no medo. Precisamos continuar e não calar"

"Tem que processar como terrorismo"

"Eu acho que as fake news deveriam ser tratadas assim também. Cada cidadão que se sentir lesado deveria ter o direito de cobrar de quem enviou responsabilidade pelo ato"

"Fazer sentir no bolso ou, em último caso, privação de liberdade; vão fazer com que esses canalhas sintam o peso dos seus crimes. Infelizmente, eles contam com a morosidade da Justiça para que, de fato, eles paguem pelos seus delitos."


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade