UAI
Publicidade

Estado de Minas CONGRESSO NACIONAL

Deputado mineiro pode assumir a vice-presidência da Câmara

Lincoln Portela foi escolhido pelo PL para substituir Marcelo Ramos, afastado pelo STF; ele precisará derrotar candidaturas avulsas na eleição em plenário


24/05/2022 19:15 - atualizado 24/05/2022 19:30

O deputado federal Lincoln Portela, eleito por Minas, discursa para colegas na Câmara
Lincoln Portela (foto) pode se tornar o vice de Arthur Lira amanhã (25) (foto: Paulo Sérgio/Câmara dos Deputados)

O deputado federal mineiro Lincoln Portela foi indicado, nesta terça-feira (24/5), como representante do PL, partido de Jair Bolsonaro, na eleição para vice-presidente da Câmara. Na disputa, marcada para esta quarta (25), ele vai enfrentar os correligionários Capitão Augusto (SP) e Fernando Rodolfo (PE), que serão candidatos avulsos, à revelia da decisão da bancada liberal.

Antes de ser oficializado como concorrente, Portela derrotou, em pleito interno do PL, o deputado Major Vitor Hugo (GO), ex-líder do governo de Bolsonaro. O militar reformado era o nome predileto do Palácio do Planalto para ocupar o cargo.

O parlamentar por Minas Gerais não esperava sequer disputar a indicação do PL. As articulações em torno de seu nome nasceram a partir de Sóstenes Cavalcante, deputado eleito pelo Rio de Janeiro.

"Me sinto alegre pelo fato de o partido ter votado comigo. Estou feliz por estar no sexto mandato e, pela primeira vez, concorrer a um cargo na Mesa Diretora", disse Portela.

A eleição extemporânea vai ocorrer porque Marcelo Ramos (PSD-AM) foi destituído ontem da vice-presidência da Câmara. A decisão foi tomada por Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF).

O afastamento de Ramos ocorreu em virtude de sua saída dos quadros liberais para ingressar nas fileiras pessedistas. O posto de vice-presidente da Câmara está vinculado ao partido do parlamentar no dia da eleição para a Mesa Diretora da Câmara.

Opositor de Jair Bolsonaro, Ramos mudou de sigla após o presidente chegar ao PL. Ele afirmou ter um acordo com Valdemar da Costa Neto, cacique liberal, para a transferência não acarretar sua destituição da vice-presidência.

Segundo o deputado amazonense, a saída ocorreu após pressões do Planalto sobre Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara. "Fui eleito pelo voto de 396 deputados e deputadas e destituído por 1 e atendendo a uma ordem do presidente da República".

Lincoln Portela venceu as prévias do PL por 22 a 19. Segundo ele, o resultado não vai provocar fraturas na relação entre os representantes liberais no Congresso Nacional.

"Foi uma votação serena. Fiz um acordo com Major Vitor Hugo que quem ganhasse apoiaria o outro", assinalou.

Deputado federal desde 1993, Lincoln Portela é ligado à bancada evangélica. Sua esposa, Marilda Portela, é vereadora em Belo Horizonte. Um dos filhos, Léo Portela, é deputado estadual em Minas.

Outro eleito por Minas no páreo


As mudanças de partido vão mudar, também, os titulares de secretarias da Câmara. Marília Arraes, a antiga 2° Secretária, foi afastada após trocar o PT pelo Solidariedade a fim de disputar o governo pernambucano. Para substituí-la, os petistas indicaram Odair Cunha (MG). O nome dele será ratificado em plenário na eleição de amanhã.

Haverá pleito, também, para a sucessão de Rose Modesto (MS) na 3° Secretaria. Ela perdeu o assento por ir do PSDB ao União Brasil.

Assim como na corrida pela vice-presidência, apenas deputados do partido original das afastadas podem disputar as vagas.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade