UAI
Publicidade

Estado de Minas STF

Randolfe pede para o STF barrar 'campanha antivacina de Bolsonaro'

Para o parlamentar, a petição tem como objetivo de garantir que as propagandas sobre a imunização sejam alusivas à segurança e à eficácia da vacina


28/01/2022 15:43 - atualizado 28/01/2022 16:09

Randolfe em Plenário
Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) (foto: Senado Federal/Reprodução)
O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), acionou o Supremo Tribunal Federal (STF), para que a comunicação e as publicações do governo federal sejam compatíveis com a obrigatoriedade de vacinação contra a COVID para crianças e adolescentes. 


Para o parlamentar, a petição tem como objetivo “barrar a campanha antivacina do governo” e garantir que as propagandas sobre a imunização sejam alusivas à segurança e à eficácia da vacina. “Tal campanha deve ser alusiva à segurança e à eficácia da vacina", disse.
 
 
 
O senador também pediu que os integrantes do governo que contrariarem a lei e insistirem em fake news sejam afastados de seus cargos públicos, condenados a pagar multa e sejam responsabilizados administrativa, civil e penalmente.
 
O pedido foi endereçado ao ministro Ricardo Lewandowski no âmbito da ADPF 754, proposta pela Rede no ano passado em relação ao Plano Nacional de Imunização.
 
O presidente Jair Bolsonaro (PL) vem comandando uma campanha antivacina para crianças de 5 a 11 anos. Ele e seus apoiadores entendem que a imunização seria experimental e ainda sem comprovação científica. 
 
De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), as vacinas para crianças entre 5 e 11 anos contra a COVID são submetidas aos mesmos testes e rigor do que os imunizantes para adultos, e são seguras e eficazes. Ou seja, as doses não são experimentais. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade