UAI
Publicidade

Estado de Minas FAMÍLIA BOLSONARO

'Filho 04': Jair Renan pode ser alvo do inquérito das milícias digitais

Investigação da Polícia Federal contra filho de Bolsonaro presidente por suposto tráfico de influência terá provas de inquérito das milícias digitais


07/12/2021 19:30 - atualizado 07/12/2021 20:07

Jair Renan, filho 04 do presidente Jair Bolsonaro
Jair Renan, filho 04 do presidente Jair Bolsonaro (foto: Reprodução/Redes sociais)
A delegada da Polícia Federal Denisse Dias Rosas Ribeiro recebeu um pedido de compartilhamento de informações que constam no inquérito das milícias digitais para abastecer a investigação contra o filho 04 do presidente Jair Bolsonaro, Jair Renan, por suposto tráfico de influência e lavagem de dinheiro.

Denisse comanda outras apurações sensíveis ao Palácio do Planalto, como o inquérito dos atos-antidemocráticos. Foi ela também que pediu a prisão preventiva do blogueiro bolsonarista Allan dos Santos.


Leia também: TikTok e política: como Renan Bolsonaro, o '04', virou fenômeno nas redes

Em ofício enviado à Denisse em outubro, o Setor de Inteligência Policial da PF no Distrito Federal registrou que diligências em andamento no inquérito que mira Jair Renan indicam a 'associação estável' entre o filho 04 de Bolsonaro e outros investigados 'no recebimento de vantagens de empresários com interesses, vínculos e contratos com a Administração Pública Federal e Distrital sem aparente contraprestação justificável dos atos de graciosidade'.

"O núcleo empresarial apresenta cerne em conglomerado minerário/agropecuário, empresa de publicidade e outros empresários", diz ainda o documento.

Os investigadores querem analisar vínculos entre os alvos da apuração que mira Jair Renan e os investigados no inquérito das milícias digitais, em especial uma possível ligação entre o filho 04 do presidente, o bolsonarista Oswaldo Eustáquio e Allan Lucena, apontado como sócio de Jair Renan.

A Polícia Federal aponta que, durante a Operação Lume - ofensiva aberta no bojo do inquérito dos atos antidemocráticos, que antecedeu o das milícias digitais - foi identificada uma conversa entre Oswaldo Eustáquio e um contato salvo em sua agenda como 'Allan Lucena Stf'. À época, ele ocupava o cargo de gerente da Secretaria de Estado do Esporte e Lazer do Distrito Federal.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade