UAI
Publicidade

Estado de Minas GABINETE DO ÓDIO

Renan sobre Carlos Bolsonaro: 'Tem que encarar a face dura da Justiça'

Carlos apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) notícia-crime pedindo que CPI da COVID seja investigada


25/11/2021 19:03 - atualizado 25/11/2021 19:21

Senador Renan Calheiros de máscara fala ao microfone
Senador Renan Calheiros (MDB-AL) (foto: Pedro França/Agência Senado)
O senador Renan Calheiros (MDB-AL), que foi relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, atacou o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) nas redes sociais, após o filho “02” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) apresentar notícia-crime contra a comissão no Supremo Tribunal Federal (STF)

 
“Carlos Bolsonaro quer apresentar notícia-crime contra a CPI. Mas o que ele tem que apresentar são explicações para seus crimes provados, suas proezas no Gabinete do Ódio, as notícias falsas que criou e que provocaram mortes. Ele e seu bando terão que encarar a face dura da Justiça”, disse Renan.
 
 
 
Carlos foi apontado pela CPI como chefe do “gabinete do ódio”.  O grupo é formado por assessores e blogueiros bolsonaristas que usam as redes sociais para atacar adversários do presidente e espalhar notícias falsas.

Quem também respondeu Carlos foi o ex-presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM). O senador fez um pedido para que o Ministério Público (MP) investigue o “maior responsável pelas fake news” durante a pandemia.
 
“Ele tava doido para vir aqui falar e a gente não deu essa oportunidade. Encaminhamos para o MP-RJ a denúncia, mas não senti firmeza no procurador do Rio. Espero que o MP possa fazer a investigação contra o maior responsável por fake news que matou milhares de pessoas: Carlos Bolsonaro”, afirmou Aziz.
 
O vereador apresentou ao Supremo notícia-crime pedindo a investigação de Renan e Aziz, enquanto estavam à frente da CPI, por prevaricação e violação de sigilo funcional.

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade