UAI
Publicidade

Estado de Minas TRAVADO

Prévias do PSDB: governo Leite pagou R$ 6 milhões à criadora de app

A Faurgs foi a responsável por criar o aplicativo, que acabou sofrendo problemas durante as prévias tucanas


23/11/2021 14:46 - atualizado 23/11/2021 17:21

Eduardo Leite faz videochamada
Governador do RS, Eduardo Leite (foto: FELIPE DALLA VALLE/PALÁCIO PIRATINI/D)
O governo do Rio Grande do Sul, liderado por Eduardo Leite (PSDB), pagou cerca de R$ 6 milhões para a Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), em um contrato para prestação de serviços de análise, arquitetura, programação de software de produtos e aplicativos. A Faurgs foi a responsável por criar o aplicativo, que acabou sofrendo problemas durante as prévias tucanas. 

Leite era um dos concorrentes das eleições internas do partido. Além dele, Arthur Virgílio (PSDB) e João Doria (PSDB) também concorriam à vaga para a candidatura à Presidência.
 
 
Entre outubro de 2020 e outubro de 2021, a Faurgs recebeu R$ 5,96 milhões do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul), cujo maior acionista é o governo gaúcho. O contrato foi assinado por Cláudio Coutinho Mendes, presidente do Banrisul indicado ao cargo por Leite. As informações são da revista Veja.
 
As prévias tucanas foram marcadas por muita confusão. Com a instabilidade do aplicativo, muitos membros do partido não conseguiram votar no último domingo (21/11), data marcada para a eleição. Por isso, as prévias precisaram ser interrompidas.
 
O aplicativo criado pela Faurgs, que registra os votos de filiados em geral, deixou de funcionar em vários estados.
 
Na noite de segunda-feira (22/11), o PSDB anunciou que a votação das prévias presidenciais do partido será concluída até o próximo domingo (28/11). Segundo o partido, a decisão foi tomada em conjunto pela direção do partido e pelos três pré-candidatos.
 

Com a palavra, Faugrs

  
Em nota enviada ao Estado de Minas, a Faurgs esclareceu que o contrato com o Banrisul foi firmado por meio de edital público, em 2020, ainda na gestão anterior e que os serviços são prestados para a instituição financeira há mais de duas décadas, todos dentro das regras públicas vigentes, sem qualquer irregularidade verificada.
 
No texto, a fundação lamenta que um problema técnico seja usado para finalidades políticas, com inverdades sendo levadas à população para favorecer determinados interesses.
 
Ainda de acordo com a Faurgs, desde que foi detectada a falha no sistema, a equipe da Faurgs tem trabalhado de forma ininterrupta na busca da melhor solução para todas as partes.

"Com 28 anos de trajetória, a Faurgs possui uma longa ficha de serviços prestados à sociedade, com diversos cases que beneficiaram o Rio Grande do Sul e o país. A fundação reúne uma equipe comprometida com a excelência. E seguirá de forma inabalável sua sua missão, com seriedade e responsabilidade", diz o texto.
 

Com a palavra, Banrisul

 
 
Também em nota enviada, o Banrisul informa que a Faurgs, com sede em Porto Alegre, é fornecedora do banco há mais de 20 anos, via processo licitatório, com serviço aferido por pelo menos cinco diferentes gestões da instituição.
 
"Ao longo desse período, a referida fundação forneceu serviços de arquitetura, programação de software de produtos e aplicativos, bem como desenvolvimento de novas tecnologias", informa. "Como sociedade anônima de capital aberto, o banco tem uma gestão profissional e independente. O Banrisul segue inteiramente à disposição de seus clientes e acionistas para quaisquer esclarecimentos, com total transparência e profissionalismo", finaliza.
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade