UAI
Publicidade

Estado de Minas CPI DA COVID

Na mira de Renan, filhos de Bolsonaro devem ser indiciados por fake news

Relator da CPI da COVID deve pedir o indiciamento de Flávio, Carlos e Eduardo por financiar grupos que espalham notícias falsas


15/10/2021 14:50 - atualizado 15/10/2021 15:19

Família Bolsonaro
Flávio, Jair, Eduardo e Carlos Bolsonaro (foto: REDES SOCIAIS/REPRODUÇÃO)
O senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, deve colocar em seu parecer o indiciamento do senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho “01” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), por ajudar a financiar grupos que espalham fake news durante a pandemia de COVID-19.
 
 
Para o relator, os filhos do presidente  tiveram ligação direta com a divulgação de notícias falsas. Flávio Bolsonaro seria o responsável por contar os empresários bolsonaristas.

Além de Flávio, Eduardo e Carlos também devem ser citados no relatório. 

Carlos Bolsonaro é apontado pela CPI como chefe do “gabinete do ódio”. O grupo é formado por assessores e blogueiros bolsonaristas que usam as redes sociais para atacar adversários do presidente e espalhar notícias falsas.
 

O pedido deve ser encaminhado para o procurador-geral da República, Augusto Aras. O relatório ainda deve passar por mudanças.
 

O que é uma CPI?

As comissões parlamentares de inquérito (CPIs) são instrumentos usados por integrantes do Poder Legislativo (vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores) para investigar fato determinado de grande relevância ligado à vida econômica, social ou legal do país, de um estado ou de um município. Embora tenham poderes de Justiça e uma série de prerrogativas, comitês do tipo não podem estabelecer condenações a pessoas.

Leia também:  Entenda como funciona uma CPI


O que a CPI da COVID investiga?

 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade