UAI
Publicidade

Estado de Minas VOTAÇÃO INICIAL

Vereadores aprovam texto que reconhece BH como capital do 'grau' de moto

Texto sobre prática de motociclistas recebeu aval em primeiro turno; proposta que torna aula presencial serviço essencial também avança


06/10/2021 18:47 - atualizado 06/10/2021 19:25

Valentino Rossi, ícone da MotoGP
O 'grau', quando praticado em espaços adequados, se transforma em esporte; na foto, o piloto Valentino Rossi, da MotoGP (foto: ANDREAS SOLARO/AFP)
Os integrantes da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) aprovaram em primeiro turno, nesta quarta-feira (6/10), projeto de lei (PL) que reconhece a cidade como a capital nacional do "grau". A prática, feita por motociclistas, também é chamada de wheeling. Os simpatizantes "empinam" a moto em busca de manobras.

Também chamado de "cabral" e "cavalinho", o "grau", quando praticado em locais adequados, tem nome oficial pomposo: wheeling. A ideia de reconhecer Belo Horizonte como referência para o esporte foi proposta pelos vereadores Bim da Ambulância (PSD) e Léo Burguês (PSL).

No "grau", os pilotos equilibram a moto sobre apenas uma das rodas . Para controlar e mostrar habilidade, o freio traseiro é essencial. Quando feita na rua, em meio ao trânsito, o ato de empinar a motocicleta é infração gravíssima.

Segundo os autores da proposta, o "grau" ganhou terreno no Brasil a partir da década de 1990. "A proposta é reconhecer essa modalidade esportiva em Belo Horizonte e trazer mais uma oportunidade de esporte e lazer, negócios e turismo para a capital", argumentam Bim da Ambulância e Léo Burguês, na justificativa oficial do projeto.

O texto sobre as motocicletas vai retornar às comissões temáticas da Câmara para nova análise. Depois, estará pronto para a votação em segundo turno.

Escolas reconhecidas como essenciais


Ainda nesta quarta, os parlamentares belo-horizontinos deram aval, também em primeiro turno, proposta que reconhece, como serviços essenciais, atividades educacionais e aulas presenciais. A ideia é impedir que estabelecimentos de ensino sejam fechados em momentos excepcionais, como visto durante a pandemia de COVID-19. Segundo o texto, as aulas só podem ser interrompidas em caso de decretação de estado de sítio ou de estado de exceção.

Ontem, o prefeito Alexandre Kalil (PSD) autorizou o retorno de 100% dos alunos às atividades presenciais nas escolas . O texto aprovado nesta terça foi escrito por Bráulio Lara (Novo), Flávia Borja (Avante), Wesley Autoescola (Pros), Irlan Melo (PSD) e José Ferreira (PP).

"É muito importante que em momentos de pandemia, como ainda estamos vivendo, as escolas sejam tratadas como prioridade. Deveriam ser as últimas a fechar e as primeiras a abrir", sustenta Bráulio, ao defender a sugestão.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade