UAI
Publicidade

Estado de Minas CPI DA CEMIG

Deputado ironiza café que 'ativa o cérebro' de depoente na CPI da Cemig

Comissão da Assembleia de Minas colheu depoimento de Marcelo Flores de Moura, executivo da IBM


05/10/2021 12:40 - atualizado 05/10/2021 14:11

Zé Reis, Átila Pimenta Coelho Machado, Marcelo Flores de Moura, Cássio Soares, Sávio Souza Cruz, Beatriz Cerqueira e Professor Cleiton durante reunião desta terça da CPI da Cemig
Zé Reis, Átila Pimenta Coelho Machado, Marcelo Flores de Moura, Cássio Soares, Sávio Souza Cruz, Beatriz Cerqueira e Professor Cleiton durante reunião desta terça da CPI da Cemig (foto: Guilherme Bergamini/Assembleia Legislativa de Minas Gerais)
A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), instalada pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), colheu nesta terça-feira (5/10) o depoimento de Marcelo Flores de Moura, executivo e analista de sistemas da IBM. As falas, contudo, foram criticadas por alguns deputados estaduais, como Professor Cleiton (PSB), vice-presidente da CPI.

Após passar pelas perguntas do relator da CPI, deputado estadual Sávio Souza Cruz (MDB), o depoente passou a responder questionamentos de demais parlamentares. Em determinado momento, enquanto a testemunha respondia a Zé Reis (Podemos), o vice-presidente da comissão interpelou e ironizou as falas do executivo da IBM.

"Esse café da Assembleia, ele é impressionante. Como que esse café da Assembleia ele age, ativa o cérebro, age na memória da pessoa. Agora há pouco, o senhor Marcelo não sabia nem qual que era o valor do contrato com a AeC. Agora, ele já começa a lembrar de tudo", afirmou.

Zé Reis pediu para o colega parar de fazer 'piadinha', e o depoimento seguiu. Posteriormente, Professor Cleiton afirmou: "Só fiz um elogio aqui ao café da Assembleia". Em outro momento, o vice-presidente da CPI criticou a gestão da IBM.

“Só queria dizer que seria importante o senhor colocar seu time jurídico para assistir à oitiva do senhor João Polati aqui nesta CPI. O senhor vai perceber que o nome construído pela IBM foi colocado em um contrato que gera muita dúvida, que nos deixa com 50 pés atrás, e, ao mesmo tempo, nos assusta algumas coisas que estão acontecendo, a normalização de coisas que estão completamente fugindo da legalidade, da juridicidade, da constitucionalidade e da ética e da moral que eu sei que a IBM sempre preza. Mas numa diretoria que, atualmente, contrata companhia de lixo, empresa coletadora de lixo, para fazer serviço de manutenção da rede, nada mais nos surpreende”, afirmou. 

Thaís Lima de Marca, outra representante administrativa da IBM, também iria depor nesta terça. Contudo, a oitiva com a gestora foi adiada, já que a testemunha não compareceu por questões médicas.

A CPI da Cemig apura, entre outras possíveis irregularidades desde 2019, um contrato da empresa com a IBM no valor de R$ 1,120 bilhão por um serviço de call center por dez anos. Os deputados suspeitam que a contratação da IBM foi uma manobra, já que a empresa não foi a vencedora do processo licitatório - quem venceu foi a Audac.

Após contratação da IBM para prestação do serviço, as suspeitas dos parlamentares são de que a empresa subcontratou a AeC para executar a devida função. A AeC, contudo, tinha sido derrotada no pregão.

Outro fato que intriga os deputados é que a AeC foi fundada por Cássio Rocha de Azevedo, secretário de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais entre outubro de 2019 e abril deste ano - ele faleceu em junho de 2021.

Ao fim da reunião desta terça, os deputados aprovaram requerimentos. O próximo encontro da CPI, instalada em junho deste ano e presidida pelo deputado estadual Cássio Soares (PSD), ainda será agendado.

Posicionamento

 
Após reunião desta terça, a Cemig se manifestou a respeito da relação com a IBM. Leia, abaixo, a íntegra do comunicado: 
 
A IBM é a parceira estratégica da Cemig no Projeto Cliente %2b, que tem como escopo a integração de todos os canais de atendimento em uma única plataforma (omnichannel), com o uso de inteligência artificial e de funcionalidades para um atendimento rápido e fácil para o cliente. Antes dessa parceria, 14 fornecedores prestavam serviços de atendimento ao cliente na Cemig e cuidavam de diferentes canais (call center, Whatsapp, site, agências físicas, totens e etc.), sem que houvesse qualquer integração entre eles. O Projeto Cliente %2b remunera por resolução no atendimento, não por tempo de atendimento. Essa é uma mudança que beneficia os clientes e reduz custos. Na parceria com a IBM, é prevista uma economia de cerca de R$ 500 milhões em 10 anos. O programa estará completamente implantado em breve.

A Cemig informa ainda que a parceria com a IBM foi precedida de ampla consulta ao mercado, com a realização de dois Procedimentos de Manifestação de Interesse (PMIs) e a opção pela celebração da parceria com o uso da oportunidade de negócio (inovação trazida pela Lei das Estatais), com a seleção final validada por um comitê técnico composto por funcionários das principais áreas da companhia e com aprovação unânime da Diretoria Executiva e do Conselho de Administração. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade