UAI
Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES 2022

Pesquisa indica que Zema e Kalil concentram disputa em Minas

Levantamento mostra o governador com 44% e o prefeito de Belo Horizonte com 22% das intenções de voto


05/10/2021 04:00 - atualizado 05/10/2021 16:25

Governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo)
Governador Romeu Zema (Novo) está em primeiro lugar na pesquisa estimulada, com 44% (foto: Edésio Ferreira/EM/DA Press)
A um ano das eleições, a disputa pelo governo de Minas caminha para polarização entre o governador Romeu Zema (Novo) e o prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD). É o que revela pesquisa de intenção de voto realizada com eleitores pelo Instituto Opus, em parceria com o Estado de Minas .

No cenário estimulado, Zema tem 44% e Kalil, 22%. O deputado federal André Janones (Avante) aparece em terceiro lugar, com 4%. Em seguida, estão a deputada federal Áurea Carolina (Psol), o senador Carlos Viana (PSD), o deputado federal Reginaldo Lopes  (PT) e o deputado Marcelo Alvaro Antonio (PSL), com 2%.

Atualmente, Kalil tem maioria dos votos na capital e na Grande BH, mas Zema leva vantagem nas demais regiões do estado. O prefeito tem 51% em BH e 40% na Grande BH, contra 28% e 34% do governador. Nas demais regiões, Zema lidera com folga e Kalil fica em segundo, exceto no Triângulo Mineiro, onde o chefe do Executivo de BH cai para o quarto lugar, com 2%, atrás de Janones, com 11%, e de Áurea Carolina, com 4%.

O diretor do Instituto Opus, Matheus Dias, avalia que Kalil precisa ter um movimento para o interior do estado. Além disso,  Dias não descarta a aparição de  alternativa esquerda na disputa.

Alexandre Kalil
O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), é citado por 22% dos eleitores mineiros (foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)
“O prefeito de BH vai ter que interiorizar, se apresentar aos eleitores das regiões que não são próximas da capital. O caminho aponta mesmo para polarização entre o governador Zema e o prefeito Kalil, mas isso não impede que surjam nomes competitivos, principalmente de linha mais de esquerda, mas ideológica. Não está descartado, mas o cenário atual indica essa polarização, mas caso ele tenha real intenção, ele precisa interiorizar para que o nome seja mais conhecido, algo já realizado por Zema e que ocupa o atual posto, que dá projeção muito grande”, afirma.

Outro ponto abordado por Matheus Dias é que o cenário para o governo estadual está menos polarizado, por exemplo, do que o cenário para a Presidência da República. O motivo seria a diferença atualmente entre Kalil, malvisto por bolsonaristas, e Zema, nome simpático aos apoiadores do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

“Pontuaria que para presidente da República o cenário é mais polarizado que no cenário estadual por essa diferença no caso do governo de Minas. Mas, por enquanto, são duas disputas polarizadas, mesmo com diferenças de estilos e ideologia nos dois casos”, diz.
 
A pesquisa do Instituto Opus, em parceria com o Estado de Minas , entrevistou mil eleitores via ligação telefônica, espalhados por 273 cidades do estado. O levantamento foi feito entre 27 e 30 de setembro. A margem de erro é de 3,2%, e o intervalo de confiança é de 95%.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade