UAI
Publicidade

Estado de Minas CPI DA COVID

Depois de bate-boca, ministro Wagner Rosário se torna investigado pela CPI

A decisão foi tomada pelo relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL, a pedido do presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM)


21/09/2021 17:25 - atualizado 21/09/2021 17:39

Ministro Wagner Rosário se torna investigado pela CPI da COVID
Ministro Wagner Rosário se torna investigado pela CPI da COVID (foto: Leopoldo Silva/Agência Senado)
O ministro da Controladoria Geral da União (CGU), Wagner do Rosário, se tornou investigado pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID após ter chamado a senadora Simone Tebet (MDB-MT) de “descontrolada”.
 
 
 
A ação do ministro gerou uma briga entre ele e os senadores, que o acusaram de “machista”. O único senador que defendeu o ministro foi o governista Marcos Rogério (DEM-RO).

A decisão foi tomada pelo relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL, a pedido do presidente da comissão, Omar Aziz (PSD-AM).
 
Rosário foi acusado de prevaricação por não agir diante de irregularidades identificadas pela Controladoria-Geral da União no Ministério da Saúde.
 

O que é uma CPI?

As comissões parlamentares de inquérito (CPIs) são instrumentos usados por integrantes do Poder Legislativo (vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores) para investigar fato determinado de grande relevância ligado à vida econômica, social ou legal do país, de um estado ou de um município. Embora tenham poderes de Justiça e uma série de prerrogativas, comitês do tipo não podem estabelecer condenações a pessoas.

Leia também:  Entenda como funciona uma CPI


O que a CPI da COVID investiga?



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade