Publicidade

Estado de Minas MOTOCIATA

Bolsonaro: Quem é contra desobrigação da máscara, não acredita na ciência

O presidente discursou neste sábado (12/6) em cima de um trio elétrico após motociata em São Paulo


12/06/2021 15:07 - atualizado 12/06/2021 16:19

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em cima do trio elétrico em São Paulo neste sábado (12/6)(foto: Reprodução/Youtube)
Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em cima do trio elétrico em São Paulo neste sábado (12/6) (foto: Reprodução/Youtube)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar as medidas não-farmacológicas contra a COVID-19 neste sábado (12/6). De manhã, ele participou de uma motociata em São Paulo, e agora à tarde, discursou em cima de um trio elétrico ao lado do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, e do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.
 
 
“No começo, eu disse que tínhamos que cuidar do vírus e de outro problema: o desemprego. Essas duas causas deveriam ser tratadas com responsabilidade e de forma simultânea”, disse Bolsonaro.

Ao contrário do que especialistas defendem, ele criticou o isolamento social. “Deixei bem claro - tudo que falei lá atrás se confirma hoje em dia. O isolamento praticado no Brasil, em especial em São Paulo, não encontra fundamentação científica para tal”, afirmou. “Sempre falei do isolamento vertical. O meu governo não fechou o comércio. O meu governo não decretou lockdown. O meu governo não impôs toque de recolher. Quem fez isso, fez errado”, acrescentou.
 

Enquanto discursava sobre as medidas preventivas contra a COVID-19, apoiadores gritavam “Fora Doria”, em referência ao governador de São Paulo que impôs restrições no estado para impedir o avanço do vírus.
 

Máscara

Esta semana, Bolsonaro também afirmou que pediu ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que ele fizesse um comunicado para que o uso de máscaras no Brasil não seja mais obrigatório.  
 
“Acabei de conversar com o Queiroga e ele vai fazer um parecer para desobrigar o uso de máscaras para pessoas vacinadas ou que já contraíram o vírus”, explicou Bolsonaro. “Não quero que isso seja um símbolo”, disse ele com uma máscara na mão. 
 
 No discurso, Bolsonaro reforçou que sugeriu ao ministro para liberar o uso de máscara. "Quem, por ventura, for contra essa proposta de não impor a máscara para quem já foi vacinado é porque não acredita na ciência. O vacinado não tem como transmitir o vírus", disse.  
 
 
 
 
 
 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade