Publicidade

Estado de Minas PANDEMIA

Bolsonaro fala sobre TCU e diz que cloroquina fez 'milagre no Brasil'

Para o presidente, existe um superdimensionamento de mortes por COVID-19; declarações de Bolsonaro contrariam orientações de especialistas


10/06/2021 18:09 - atualizado 10/06/2021 18:53

O evento foi promovido no Palácio do Planalto pelo Ministério do Turismo para apresentar ações visando a desburocratização e atração de investimentos(foto: Tv Brasil/Reprodução)
O evento foi promovido no Palácio do Planalto pelo Ministério do Turismo para apresentar ações visando a desburocratização e atração de investimentos (foto: Tv Brasil/Reprodução)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a insistir, nesta quinta-feira (10/6), em um superdimensionamento de mortes por COVID-19. Diferentemente das outras vezes, quando falou sem provas, o chefe do Executivo prometeu mostrar os documentos do Tribunal de Contas da União (TCU) na live de mais tarde.





“Vocês vão ver um milagre… se nós somos o país com menor número de mortes por COVID..., por que isso aconteceu? 'Tratamento precoce', ué", explicou o presidente. As declarações de Bolsonaro contrariam as orientações de epidemiologistas e outros especialistas para evitar a disseminação do coronavírus.
Segundo Bolsonaro, a maioria dos seus funcionários se tratou com cloroquina e essa seria a razão para as mortes do COVID não serem tão grandes no país. “Quem aqui tomou cloroquina? 90% levantou a mão. A obrigação do chefe de Estado é buscar soluções... Às vezes até errando, mas buscando soluções", explicou o presidente.

Ainda durante o discurso, Bolsonaro criticou o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. "O primeiro ministro da Saúde, quem lembra? O remédio dele era 'fique em casa'", brincou.

Leia: Bolsonaro sobre senadores da CPI da COVID: 'Não são exemplo para ninguém'

O “estudo paralelo” do TCU foi citado, pela primeira vez, por Bolsonaro na segunda-feira (7/6) para desqualificar a pandemia do novo coronavírus, que já matou quase 500 mil brasileiros. Na terça (8/6), o presidente assumiu que o “estudo” não pertence oficialmente ao Tribunal de Contas da União.
 
O evento foi promovido no Palácio do Planalto pelo Ministério do Turismo para apresentar ações visando a desburocratização e atração de investimentos.
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 
 
 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade